Dinâmica populacional


A dinâmica populacional é a área de estudo que se concentra nas variações de populações em um determinado espaço e em um determinado período de tempo.

A dinâmica populacional é o objeto de estudo das ciências da geografia e da demografia. Os dados resultantes destes estudos são importantes para o desenvolvimento de políticas públicas, com fins de oferecer melhorias nas condições de vida da população, como saúde, educação e urbanismo.

Dinâmica populacional

Origem do estudo da dinâmica populacional

O estudo da dinâmica populacional começou com as pesquisas de Thomas Maltus. Suas pesquisas tinham por objetivo alertar sobre o crescimento populacional desordenado e sua relação com a produção de alimentos no mundo. Segundo Maltus, se a população continuasse a crescer em uma curva ascendente, no futuro, não haveria alimento suficiente para todos. Desta maneira, a humanidade entraria em uma grave crise de alimentos.

Entretanto, Thomas Maltus não considerou o avanço tecnológico proporcionado pela revolução industrial. Com o aprimoramento das técnicas de produção agrícola e as mudanças ocorridas no modo de vida das pessoas, as teorias desenvolvidas por Thomas Maltus deixaram de ter significado. Porém, o estudo da dinâmica populacional proposto por ele se manteve como uma área importante do estudo das populações.

Conceitos fundamentais em dinâmica populacional

Em dinâmica populacional, é importante que tenhamos definidos alguns termos de maneira bastante clara. Segue abaixo algumas definições:

População: definimos como população o conjunto de pessoas que residem em um mesmo território. Como território, podemos entender as cidades, países, bairros como territórios. A população pode ser classificada a partir do seu modo de vida. Ou seja, os hábitos de uma população, como vivem, qual a idade, quais os lugares que frequentam, relações econômicas, onde vivem, são informações úteis para classificar uma população de um território. A esta classificação chamamos de indicadores sociais.

Nação: definimos nação como todo e qualquer grupo de pessoas que compartilham da mesma história e da mesma cultura. Uma nação não está restrita a um território, podendo estar presente em mais de um país.

Taxa de Natalidade (N): é a relação entre o número de indivíduos que nascem em um determinado período de tempo, dentro de um determinado território.

Taxa de mortalidade (M): é a relação entre o número de óbitos em uma população no período de um ano.

Taxa de mortalidade infantil (Mi): relação entre o número de crianças, com faixa etária até 12 meses, que vieram a falecer versus a relação de crianças vivas com até 12 meses, no período de um ano.

Taxa de fecundidade: é a relação entre o número de crianças com idade igual ou menor do que cinco anos de idade pelo número de mulheres em idade reprodutiva de uma determinada população. A idade considerada reprodutiva entre mulheres pode variar em cada país. Alguns trabalham com uma faixa etária entre 15 e 44 anos de idade, outros com a faixa etária entre 20 e 45 anos de idade.

Taxa de imigração: número de indivíduos que chegam a uma determinada população, em um determinado território.

Taxa de emigração: número de indivíduos que deixam de viver em um determinado território, pertencente a uma determinada população.

Densidade populacional: é a relação entre o número de indivíduos de uma população e a área dentro do território que eles ocupam.

Estes conceitos nos apresentam os índices mais usados para o estudo da dinâmica populacional.

Dinâmica populacional e o crescimento de uma população

As taxas e conceitos apresentados no tópico anterior são extremamente úteis para o estudo nas dinâmicas populacionais. Para exemplificar como funciona este estudo, vamos usar o crescimento populacional de um território.

O crescimento populacional de um país costuma apresentar três fases. No gráfico abaixo, podemos notar que, nesta primeira fase, a base da pirâmide é larga, enquanto o topo é estreito. Isto ocorre porque a taxa de natalidade é bastante alta, assim como a taxa de mortalidade.

Em um segundo momento, há um equilíbrio entre a base e o topo da pirâmide, de modo que a figura se aproxima de uma coluna. Isto nos mostra que as taxas de natalidade e mortalidade estão bastante próximas.

Por fim, o topo da pirâmide passa a ser mais largo do que a base, de modo a formar uma pirâmide invertida. Neste caso, a taxa de mortalidade é menor que a taxa de natalidade.

Leitura dos gráficos de dinâmica populacional

Os gráficos nos trazem diversas informações sobre as populações. Na primeira imagem, podemos interpretar que uma população com alta taxa de natalidade também é uma população jovem, com pouco acesso à saúde. Este perfil é comum em países subdesenvolvidos.

No segundo gráfico, o equilíbrio entre as taxas de natalidade e mortalidade demonstra uma melhoria na qualidade de vida da população. É o caso de países em desenvolvimento, como o Brasil.
Por fim, no terceiro gráfico, há predominância de pessoas idosas, indicando o aumento da qualidade de vida. Este gráfico costuma representar países desenvolvidos, como o Japão.