Economia da China


Hoje a China é responsável por uma das economias que mais cresce em todo o mundo – a taxa de crescimento anual do país é de 8,5%, o que ultrapassa o índice de desenvolvimento de grandes economias europeias, além de Estados Unidos e Brasil.

A economia chinesa vem se transformando deste modo tão expressivo desde o ano de 1978, quando o governo decidiu criar um sistema de planejamento centralizado. E o que isso significa? Que a economia deixaria de ser aberta ao comércio internacional e passaria a ser orientada mais para o mercado privado e local.

economia da china

E foi por conta da mão de obra barata que o mercado chinês começou a atrair indústrias estrangeiras de todos os cantos do mundo – principalmente as europeias e estadunidenses.

Dados os primeiros passos desse modelo de economia a China tornou-se, em 2010, o maior exportador de todo o mundo. Já em 2014, seu PIB conseguiu ultrapassar o PIB dos EUA (atingindo 10,4 trilhões de dólares americanos, ou então, 63,35 trilhões de iuanes, moeda local). Por outro lado, vale destacar que o PIB per capita ainda está marcado abaixo da média mundial, sendo ele mais baixo inclusive do que o brasileiro.

Hoje o território chinês destaca-se como um dos grandes e maiores parceiros comerciais para nações de todo o mundo – o que inclui também o Brasil. Em 2001, o país passou a integrar a OMC – Organização Mundial do Comércio, e desde então, vem intensificando de maneira agressiva suas relações de negócios.

A economia chinesa representa 15% de toda a economia mundial, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Porém, estudos realizados recentemente revelam que a China pode ultrapassar a economia estadunidense ainda neste século, o que a tornaria a maior economia do mundo.

Características da economia da China

Essa atuação mais ‘agressiva’ da China no mercado econômico vem sendo aplicada desde 1978, como já vimos anteriormente. Porém, esse ajuste ao mundo globalizado e à economia internacional passou a ocorrer na década de 90, quando o território cresceu, economicamente, mais de 10% em apenas um ano. Os olhos do comércio internacional abriram-se para a China a partir desse momento.

Hoje a China destaca-se como o maior produtor de alimentos de todo o mundo: são quase 500 milhões de toneladas de grãos e mais de 550 milhões de suínos produzidos anualmente.

Vamos conferir as principais características e dados sobre a economia da China separados por tópicos?
• Hoje a China é um dos maiores importadores mundiais no que se refere à matéria prima;

• Por outro lado, o país também se destaca como maior produtor de arroz e milho;

• Mesmo com tantos avanços tecnológicos, a China ainda conta com agricultura mecanizada – o que é capaz de gerar resultados maiores de produtividade, porém, são extremamente agressivos para os seus trabalhadores;

• As principais áreas de investimento atuais são voltadas para a mineração, especialmente, de carvão mineral, petróleo e minérios de ferro;

• Mas, além disso, há ainda um crescente investimento em infraestrutura local, como na construção de ferrovias, prédios públicos, rodovias, aeroportos e hidrelétricas. Um destaque fica por conta da hidrelétrica de Três Gargantas, que hoje é a maior do mundo.

Mas é claro que nem tudo são flores para o comércio chinês.

Para fazer com que esses resultados econômicos sejam tão positivos, há um forte controle governamental tanto no que se refere às legislações trabalhistas como também aos salários.

Isso porque as empresas instaladas na China têm um custo verdadeiramente baixo com mão de obra, pagando pouco para o esforço de seus funcionários. Isso é o que faz com que os produtos (tais como eletrônicos, produtos de higiene, roupas e outros) sejam os mais baratos de todo o mundo – o que também explica os altíssimos índices de exportação chinesa.

Muitas são também as multinacionais que se instalaram na China graças a esses benefícios, buscando por baixos custos para produção, com bastante mão de obra e é claro, mercado consumidor amplo (por meio da exportação para todo o mundo).

Principais dados econômicos

• Moeda da China – Renminbi Yuan (RMB);

• PIB Chinês: a estimativa atual do PIB da China é de 17,5 trilhões de dólares americanos, o que se dá graças ao valor de compra do yuan, que está em alta em toda a Ásia. Por outro lado, o PIB seria de 10,4 trilhões de dólares se levarmos em consideração a taxa de câmbio oficial mundial;

• Taxa de desemprego: atualmente a taxa de desemprego chinesa é de 4,1%, porém, concentra-se unicamente em áreas urbanas. O subemprego e desemprego existem de modo quase que substancial em áreas mais rurais;

• Taxa de inflação: certamente aqui a China se destaca mais uma vez, uma vez que as medidas adotadas pelo sistema de planejamento centralizado de mercado fizeram com que a nação pudesse impedir o crescimento da taxa de inflação. Hoje, ela é de apenas 2%.