Governabilidade


A governabilidade consiste em um termo diretamente relacionado com a legalidade, ou seja, a oficialização do ato de governar. Um governo só pode ser propriamente dito um, quando tem a ‘habilidade’ para assumir a governança.

Sendo assim, a circunstância que envolve o conceito de governabilidade demanda de estabilidade social, política e é claro, financeira, para que o poder executivo realmente permita àquele determinado governo o exercício de suas funções de maneira concreta e estável.

O termo governabilidade também remete a necessidade desse governo de atender às principais demandas e mudanças da sociedade. Além disso, é certo afirmar que tanto a governabilidade, como a governança, estão relacionados com o direito de cidadania e de poder.

Governabilidade o que é

Os principais objetivos da governabilidade

É certo afirmar que a governabilidade tem uma série de aspectos a serem cumpridos na comunidade em que se insere, sendo alguns deles:

• Necessidade de atender com as principais demandas da população;

• Deve ser não só a única, mas também a melhor decisão com base no que o povo quer e precisa, sem fazer com que a aprovação popular seja deixada de lado;

• Administração de todos os pilares do governo, cuidando de aspectos políticos, sociais e financeiros que interessem à população daquele determinado estado;

•Gestão pública de uma forma geral.

Principais características da governabilidade

A governabilidade é traduzida na própria legitimidade do estado em que se insere, colocando o seu governo à frente para atingir a todas as necessidades da população como um todo. Os governos, desde sempre, devem enfrentar uma série de problemáticas para que verdadeiramente assumam a sua condição positiva de governabilidade.

Em um âmbito geral a governabilidade consiste na própria aptidão, ou habilidade para governar. Seja um bairro, um município, um estado ou um país: essa capacidade é necessária para que a governabilidade seja exercita com êxito. Geralmente esse termo se aplica na administração pública.

E no que se refere à gestão pública é certo afirmar que o seu principal desafio está em buscar essa própria governabilidade, ou seja, a habilidade para assumir o poder do estado. A administração é algo que segue desde a antiguidade assim como afirmou um dos mais famosos filósofos gregos, Sócrates. Para ele, governar não passa de uma aptidão do tipo pessoal, que deriva tanto da experiência como também do próprio conhecimento técnico acerca dos variados assuntos pelos quais se deve governar.

Platão, por sua vez, preocupou-se principalmente com os problemas sociais e políticos envolvidos com a cultura e desenvolvimento social do povo e como eles se relacionam com a necessidade de um governo de qualidade, possibilitado por meio da governabilidade.

É então possível concluir que a governabilidade é o resultado que parte da afinidade que o governo tem com a população pela qual é responsável, além da própria legitimidade que deve partir do Estado.

Sem uma governabilidade ‘decente’ também não há possibilidade de governança, já que essa consiste em um conjunto extenso de regras, procedimentos e normas que devem ser seguidas para que haja bem-estar coletivo na sociedade em que a governabilidade é aplicada.

Quando a governabilidade não é realizada como deveria, ela pode causar o colapso e a verdadeira desordem do corpo político. Nesse sentido, a corrupção se torna um dos principais riscos para que o governo possa sobreviver e garantir o seu espaço lá em cima.

A política é influenciada principalmente por recursos que diretamente o envolvam, como é o caso dos cargos, das pessoas, votos e até mesmo as disputas de partidos políticos. Para uma governabilidade concreta e de qualidade, a importância de cada um desses aspectos na dimensão social também deve ser considerada em sua integridade.

E a democracia, no que se envolve?

A democracia, atualmente, consiste em um modelo de governabilidade que visa principalmente uma sociedade cada vez mais participativa nas decisões do governo, assim como mais independente e livre para tomar as suas próprias escolhas em vários âmbitos da sociedade moderna.

Nesse sentido a democracia se torna um modelo capaz de garantir maior transparência para a estrutura de poder daquele determinado Estado que convém com essas políticas, tornando a governabilidade daquele espaço social ainda maior. Porém, não é certo afirmar que a única forma de manter a capacidade para a gestão pública é apostando na democracia, já que muitas são as nações baseadas em outras políticas governamentais, que mesmo assim, mantém no poder políticos com extensa capacidade de governar.

A necessidade, no momento, é de que toda a sociedade verdadeiramente se mobilize para que os esforços na superação de dificuldades nos cenários políticos atuais sejam cumpridos. A fragilidade de nosso país não precisa ser uma realidade e nós temos total liberdade para transformar a situação de nossa nação. Quando um governo não tem a capacidade de governar, o povo pode tomar as rédeas e mostrar o que é melhor para o desenvolvimento pleno e constante de suas mais variadas atividades.