Hipoteca


Você sabe o que significa este termo da economia?

Aprenda qual o uso da hipoteca no mercado financeiro

Quem jogava Banco Imobiliário deve conhecer a palavra hipoteca, ela era aquele valor destinado à venda do seu bem quando você precisa de dinheiro e o vende ao banco. Mas na vida real, você sabe para que serve a tal hipoteca? E quais bens são passíveis de seu uso? Hoje vamos falar um pouco melhor sobre esse termo do mercado financeiro que estará presente na sua vida para sempre, principalmente se você quiser adquirir um novo imóvel ou automóvel.

Hipoteca

– O que é?

A hipoteca é uma garantia oferecida pelo comprador ao vendedor, por exemplo, quando se compra uma casa a partir de financiamento, é extremamente necessário que um bem móvel ou imóvel seja colocado como garantia, pode ser uma outra casa, carro, e até mesmo iates e aeronaves, obviamente que tudo nas suas devidas proporções. Quando o comprador quita sua dívida com o vendedor, a hipoteca é extinta, e o risco de perder aquele bem também acaba.

A grande função da hipoteca é proporcionar ao vendedor uma segurança ao passar seu bem a outra pessoa, com a garantia de que será pago, porque senão o comprador perde aquele bem que colocou na hipoteca, ou seja, se ele atrasar ou parar de pagar, o vendedor poderá tomar para si o móvel ou imóvel que fora hipotecado. Por isso que ter alguma coisa para hipotecar oferece mais segurança e facilidade na hora de comprar um bem durável, como casas e automóveis, bem como para propriedades rurais, como fazendas, sítios e chácaras.

– Como funciona?

Ao colocar algum bem como hipoteca, o dono daquele imóvel ou móvel não perderá seus direitos de posse sobre o que é seu, poderá continuar usufruindo suas atividades com aquilo que hipotecou, porém ele será sua garantia de pagamento da dívida, que é combinada diretamente com o vendedor, podendo ser paga mensalmente.

Algumas pessoas de má fé colocam seus imóveis hipotecados a venda, achando que assim se livrarão de perder dinheiro caso deixem de pagar suas dívidas, porém é assegurado por lei que todo e qualquer imóvel ou móvel (carro, moto, caminhão, barcos e aeronaves) que estejam sob a condição de hipoteca continuem assim, portanto a pessoa que adquirir um imóvel hipotecado tem grandes chances de perder o bem que comprou caso o devedor não salde sua dívida. Ou seja, a pessoa que comprou um bem de hipoteca terá que cedê-lo ao dono da dívida de qualquer jeito, e assim perderá seu dinheiro e capital investido duas vezes, uma com a compra e outra com o pagamento da dívida de seu vendedor, que devia para outro vendedor.

Pode parecer complicado, mas na verdade não é. Para quem vende, a hipoteca sempre será garantida por lei e não será passível de fraude, porém, se o devedor tentar passar esse bem hipotecado para frente, quem arcará com sua dívida será seu novo dono. Portanto, é de extrema importância saber todos os detalhes que envolvem a compra de um novo um bem imóvel ou móvel, através de seu histórico de venda e sucessão a outras pessoas. Este tipo de serviço você tem acesso nos cartórios, pois lá ficam guardadas todas as informações que permeiam o bem, principalmente se ele está sob a condição de uma hipoteca ou até mesmo para leilão, por causa de dívidas também.

– Quais são as possibilidades de extinção de uma hipoteca?
1. Com o pagamento total da dívida a que foi garantia;
2. Se o credor renunciá-la;
3. Remissão da hipoteca através do pagamento da dívida por outra pessoa;
4. Arremate através de leilões;
5. Perecimento do bem (deterioração do imóvel ou móvel)
6. Resolução da propriedade

– Qual o prazo de uma hipoteca?

As hipotecas duram 30 anos, segundo o Código Civil Brasileiro, após isso ela se extingue, ou seja, a propriedade não pode mais ser executada, porém isso não significa que o devedor estará livre de sua pendência com a dívida, ele continuará em crédito com seu vendedor e se tornará um devedor quirografário (seu significado é um devedor sem garantias).

– Principais características de uma hipoteca

1. O bem hipotecado deve ser de propriedade do devedor ou de um terceiro que consente sua hipoteca;
2. O devedor continua em posse de seu bem que foi hipotecado;
3. Dá ao credor o direito de preferência pela “compra” do bem;
4. Deve-se ter especificado o valor de sua dívida, juros e prazos;
5. Deve ser registrada em algum cartório de móveis ou imóveis.

– Quais os tipos de hipoteca que existem?

São três os tipos de hipotecas existentes, sendo eles:

1. Convencional: esta é do tipo que é acordada entre as duas partes envolvidas diretamente, tem sua origem no contrato de compra e venda do bem, ou seja, pela própria manifestação dos interessados;

2. Judicial: a judicial é aquela imposta através de uma sentença condenatória ou decisão judicial, imputando sua obrigação ou execução, para proteger o credor;

3. Legal: por fim, a legal é determinada por lei e garante certas obrigações e direitos, como herança, compartilhamento de bens e inventário.