Importância das florestas


Há milhares de anos os humanos dependem das florestas como fonte de recurso para medicamentos, matéria prima, alimentação, entre outras necessidades. As florestas ocupam, atualmente, 1/3 da superfície da Terra e são responsáveis, entre outras coisas, por manter o equilíbrio climático.

Dada a necessidade que estas áreas têm para a manutenção de diversos seres vivos, é necessário trazer a tona algumas informações que ajudam a compreender melhor a importância das florestas. Vamos começar lançando informações sobre a diversidade de florestas existentes e a biodiversidade encontrada em cada uma.

Florestas

Tipos de floresta

Existem quatro tipos de florestas, sendo elas:

Florestas Equatoriais: Suas principais características são interior muito quente e úmido devido a grande quantidade de chuvas. Exemplo: Floresta Amazônica.

Florestas Tropicais: Apresenta diversidade de espécies e possui ambiente um pouco menos quente e úmido do que as equatoriais. Exemplo: Mata Atlântica.

Florestas Temperadas: Possuem clima temperado, como o próprio nome sugere, onde predominam plantas que possuem folhas de coloração alaranjada e amarelada que se desprendem dos galhos durante o outono. Exemplo: Florestas do Canadá

Florestas Coníferas: Clima temperado e composto por árvores que tem folhas pontiagudas, poucos animais se adaptam a esse tipo de bioma. Exemplo: Florestas do norte da Califórnia.

Agora que já temos um conhecimento básico sobre os tipos de florestas existentes no planeta e a importância de cada uma, vamos passar a discussões no âmbito do que vem sendo feito com esses biomas hoje em dia.

Biodiversidade X Desenvolvimento

Há muito tempo o homem utiliza, transforma, e porque não dizer, destrói as florestas sem se dar conta de que essas áreas são na realidade um local de grande biodiversidade, responsável pela manutenção de condições que propiciam a vida de diversos seres vivos, além de auxiliar na manutenção de uma temperatura climática ideal, no lançamento de 40% do oxigênio na atmosfera e manter a qualidade da água de nossos rios, mananciais e nascentes.

A cada ano que passa o número de habitantes do Planeta Terra aumenta, como consequência disso, os espaços ficam menores, o consumo aumenta e a produção, principalmente de alimentos, tem de acompanhar essa demanda. Estima-se que desde os primórdios da agricultura já foram destruídas mais da metade das florestas originais do planeta, tudo em prol de plantações e criação de gado.

De acordo com pesquisadores florestais da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, as florestas tropicais, um dos biomas de maior biodiversidade do planeta, está desaparecendo em ritmo acelerado. A mesma pesquisa afirma que entre 1990 e 2010 a taxa de desmatamento foi 62% maior que na última década, chegando a 6,5 milhões de hectares anualmente.

2011 foi declarado o Ano Internacional das Florestas de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). A ideia era mostrar a população formas de manejo e conservação baseadas na sustentabilidade.

A situação do Brasil

O Brasil é mundialmente conhecido por sua grande extensão florestal, sendo o segundo país do mundo nessa categoria, ficando atrás apenas da Rússia que tem 516 milhões de hectares, totalizando uma área de 60,7% de seu território convertidos em florestas.

No Brasil estão concentradas 30% das florestas tropicais mundiais, incluindo a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica que, infelizmente, hoje figura entre as 10 regiões florestais mais afetadas do mundo.

Apesar de ser um país privilegiado com tantas florestas e diversos tipos de vegetação, o Brasil ainda engatinha quando o assunto é desenvolvimento sustentável. Com políticas públicas pouco definidas e um território extremamente grande, o que dificulta a fiscalização por parte dos órgãos competentes, o país vê a cada ano milhares de hectares sendo desmatados, para venda ilegal de madeira e a instalação de pastos para criação de gado.

Dados Internacionais

A fim de demonstrar ainda mais a importância das florestas a ONU divulgou alguns dados que dizem respeito sobre o papel destes biomas. As florestas armazenam vida a cada Km2 sendo responsáveis por abrigar 80% da biodiversidade mundial.

Mas os números não param por aí, pouco mais de 1,6 bilhões de pessoas no mundo todo tiram seu sustento das florestas, dependendo delas para se alimentar, ou mesmo, trabalhar. Além disso, 300 milhões de homens e mulheres vivem no entorno de florestas. E, para finalizar, 30% da matéria prima usada na fabricação de inúmeros produtos é retirada das florestas.

Ou seja, quando o homem utiliza estas áreas de maneira desordenada, sem se preocupar com a sustentabilidade ele afeta toda uma cadeia produtiva, que tem início na destruição de árvores, na infertilidade do solo, até chegar a ameaça de extinção de diversas espécies animais.

A conscientização deve começar desde muito cedo, ações para educação e aprendizado que baseiam-se em retirar das florestas somente o extremamente necessário para sobrevivência vem sendo lançadas dia a dia, em uma tentativa de recuperar o que há muito foi sendo apenas destruído. Campanhas de Organizações Não Governamentais (ONGs) como o Greenpeace e o WWF tem demonstrado que problemas como a Crise da Água na região sudeste do Brasil tem início no desmatamento de florestas e vegetações que deveriam proteger os recursos hídricos.