Isolacionismo


O isolacionismo é um termo que designa uma situação política e diplomática de alguns territórios que escolheram manter sua sociedade literalmente isolada do resto do mundo, uma maneira de preservar sua própria cultura e tradições ou para manter sua política, geralmente ditatorial, longe dos olhares dos outros países, para que não existam interferências em seu modo vigente de governo. Ao longo da história houve muitos territórios que estiveram sob esse estado de isolamento, seja por sanções econômicas impostas de outros países ou por decisão própria de seus governantes, como é o caso da Coreia do Norte, que até hoje pode ser considerado um país isolacionista.

Exemplos de isolacionismo pelo mundo <\h2>

Durante toda a história mundial, exemplos de países que se tornaram isolacionistas são vários. Cada um teve seu motivo para escolher tal posicionamento perante o resto do mundo, portanto não se podem generalizar os seus motivos. Conheça abaixo os países que já tiveram em sua história algum momento de isolacionismo.

Isolacionismo

– Coreia do Norte: A Coreia do Norte é até hoje um país isolacionista. Ela sempre foi um país que teve relações estremecidas com a Coreia do Sul, já que as duas têm governos completamente opostos, enquanto uma vive no capitalismo liberal (Sul) a outra vive um regime ditatorial que já foi considerado comunista, mas que na realidade é um tipo de monarquia com culto à personalidade de seus líderes. O país se fechou para o mundo externo com a desculpa de preservar suas tradições e cultura, mas na realidade é uma forma obscura de manter sua política intacta, sem as pressões e mandos de outros países que têm maior economia que a sua. Lá é terminantemente proibido o acesso à internet (somente participantes do alto escalão do governo têm acesso), tendo apenas uma rede de telefonia muito pobre. Qualquer coisa considerada ocidental também é proibida, bem como a compra de produtos tecnológicos de sua evoluída vizinha, a Coreia do Sul.

Butão: o país dos altos índices de felicidade já foi um completo isolacionista, hoje tem aberto suas portas gradativamente, porém ainda não há efetiva diplomacia ou uma economia que fature com exportações ou importações. Ainda é um país que vive no meio rural e tem grande agricultura de subsistência (familiar), porém hoje em dia o país está aceitando a visita de turistas, mesmo que poucos.

– Japão: o período de isolacionismo no Japão aconteceu em 1641 e ficou conhecido como Período Edo. Foi de forte isolamento político e econômico, na época expulsaram-se todos os cristãos que por lá viviam, cortaram relações econômicas com a Holanda e a China e os japoneses eram proibidos de sair o país. O período proporcionou uma forte evolução cultural e de relativa paz. O governo dividiu a população em quatro classes: camponeses, artesãos, comerciantes e samurais, nenhum deles poderia ter sua realidade mudada. Diante uma ameaça de guerra vinda dos estadunidenses, depois de mais de 200 anos, o líder japonês se viu obrigado a abrir seus portos e economia para o mundo.

Estados Unidos da América: sim, o poderoso país dos Estados Unidos já se viu obrigado a ter seu território em período isolacionista, porém de forma leve. Ele ocorreu poucos anos antes da segunda guerra mundial. Era calcado na ideologia da Doutrina Monroe de 1823, “A América para os americanos”, os líderes do país decidiram se afastar da Europa após perceberem que conflitos de poder e políticos estavam ocorrendo no continente e em seguida o estouro da Segunda Guerra Mundial. Contudo, os japoneses fizeram um ataque surpresa à base naval de Pearl Harbor, dos Estados Unidos, que deflagrou a entrada do país na guerra.

O isolacionismo imposto à Inglaterra

Em 1789 acontecia na França a Revolução Francesa, que acabou com qualquer resquício da monarquia tradicional e familiar no país. Ao fim da revolução, com a morte de Robespierre, um dos revolucionários e líderes dela assumiu o poder na França, seu nome era Napoleão Bonaparte. O icônico imperador francês tinha sede de mudança e ansiava por deixar a França como a maior potência do mundo. Porém, mesmo reconstruindo o país com suas medidas e reformas, a Inglaterra era a grande potência econômica da época, no início do século XIX.
O imperador Napoleão havia fortalecido seu exército e colocava medo em todos os países a sua volta. Então, para conseguir colocar a França no patamar de potência mundial, em 21 de novembro de 1806, ele emanou o Decreto de Berlim, que ordenava aos países conquistados e amigos da França, a proibição de comprar qualquer produto ou mercadoria oriunda do Reino Unido. Foi o início do famoso Bloqueio Continental da Inglaterra.
Este foi um tipo de isolacionismo imposto, que atrapalhou muito a economia inglesa e acabou dificultando, também, os planos de Napoleão. O Bloqueio Continental acabou resultando na vinda da corte portuguesa ao Brasil, mas isso é assunto para outro post!