O que é Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)?


Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um critério comparativo utilizado para identificar os países através do seu nível de “desenvolvimento humano” e para auxiliar na identificam dos países como desenvolvidos, que tem um desenvolvimento humano muito alto, em desenvolvimento, com desenvolvimento humano entre médio e alto, e em subdesenvolvidos, quando o desenvolvimento humano é baixo.

A estatística é constituída por meio de informações de educação, expectativa de vida ao nascer e PIB per capita levantados em padrões nacionais. Por ano, os países integrantes da ONU são identificados conforme as suas medidas. O IDH também é utilizado por empresas ou entidades locais para mensurar o desenvolvimento de instituições subnacionais como cidades, estados, aldeias, etc.

O índice foi criado pelos economistas Mahbub ul Hag e Amartya Sen, em 1990, e vem sendo utilizado desde 1993 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no seu diagnostico anual.

(IDH)?

Origem

O IDH aparece no Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) e no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Esses foram desenvolvidos e divulgados pelo economista Mahbud ul Hag, em 1990, e teve como claro propósito redirecionar o foco do progresso da contabilidade e da economia de rendimento nacional pra políticas centralizadas em pessoas.

Para elaborar os RDHs, Mahbud ul Hag uniu um conjunto de economistas muito conhecidos, envolvendo; Frances Stewart, Paul Streeten, Gustav Ranis, Sudhir Anand, Keith Griffin e Meghnad Desai. Porém foi a pesquisa de Amartya Sem a respeito do funcionamento e das capacidades que ofereceu o cenário conceptual implícito.

Haq tinha convicção de que uma mensuração simples, formada pelo desenvolvimento humano, seria essencial para provar aos acadêmicos, a opinião publica e ao poder político de que é possível e precisa ser feito a avaliação do desenvolvimento não apenas pelos progressos econômicos, mas também pela beneficiação no bem-estar humano.

Sen, no começo foi contra essa ideia, porém ele começou a ajudar a produzir, juntamente com Haq, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Sen estava apreensivo de que seria complicado apanhar toda a dificuldade das capacidades humana em somente um índice, porém Haq o convenceu de que somente um único número atrairia a atenção do poder público para a atenção econômica da segurança humana.

Padrões de avaliação

Desde o diagnostico feito em 2010, o IDH associa três grandezas:

– uma vida saudável e longa: expectativa de vida ao nascer

– a obtenção do conhecimento: anos aceitáveis de estudo e anos esperados de escolaridade.

– um modelo de vida digno: PIB per capita.

Até o ano de 2009, o IDH utilizava os três padrões seguintes como modelo de avaliação:

– Padrão de educação: para determinar a grandeza da educação à estimativa do IDH avalia dois indicativos. O primeiro, com um peso dois, é o nível de alfabetização de indivíduos com quinze anos ou mais, uma vez que, na grande parte dos países, uma criança com essa idade já terminou a primeira fase de estudos. O segundo indicativo é o nível de escolaridade: soma-se a quantidade de pessoas, independente da idade, matriculadas em um curso, seja ele superior, médio ou fundamental, dividido pela quantidade total de indivíduos entre sete e 22 anos do lugar.

– Longevidade: o elemento longevidade é mensurado avaliando a expectativa de via ao nascer. Esse indicativo exibe o numero de anos que um indivíduo nascido em um lugar, em um ano de orientação, deve viver. Revela as condições de salubridade e saúde no lugar, já que a contagem da expectativa de vida é muito influenciada pela quantidade de mortes prematuras.

– Renda: a renda é contada com base no PIB per capita do país. Como há disparidade entre custo de vida de uma nação para outra, a renda mensurada pelo IDH é em dólar PPC (Paridade do Poder de Compra), que exclui essas desigualdades.

Distribuição geográfica

Apesar de não existir nenhuma pesquisa sobre relação de causa-efeito entre as regiões do mundo, as latitudes e o clima com o IDH dos países, pela analise do mapa com tons mostrando o IDH é possível entender certos fatos.

– Nações com IDH muito elevado ficam normalmente nas maiores latitudes, lugares de temperaturas médias menores. É a situação da Europa Ocidental, América do Norte, Japão, Austrália, Coréia do Sul e Nova Zelândia.

– Com IDH moderadamente menor nessas alturas ficam a Rússia e os antigos países do “bloco comunista”, nações no qual a renda per capita é pequena, havendo, contudo, bons padrões de expectativa de vida e alfabetização. Estão incluídos também o Chile, Argentina e Uruguai, as nações de clima mais gélido da América Latina.

– Países com IDH intermediário encontram-se em grande parte na América Latina, no Oriente Médio, norte da África, China, Irã, Ásia Central, países que estão no meio de regiões de clima mais gélido e as áreas equatoriais.

– As nações de menor IDH estão visivelmente nas latitudes menores, climas mais quentes, com intensa aglomeração no subcontinente indiano e na África. Ainda no continente africano pode ser identificada uma pequena propensão de maior IDH nas regiões mais distantes da linha do Equador.

No Brasil, se forma uma predisposição geográfica parecida, com IDH elevado nas regiões Sudeste e Sul, com subdivisões no Centro-oeste. As áreas de menor IDH estão no Nordeste e Norte do país, mais nas imediações da Linha do Equador.