Partilha da Ásia


Veja como foi realizada a partilha do território asiático entre países europeus e ocidentais, assim como a descolonização ocorrida após décadas de controle.

A colonização europeia na Ásia ocorreu com maior intensidade no final do século XIX, ainda que o controle e domínio já ocorressem na região desde o século XVI, principalmente na Índia, que inicialmente era administrada por Portugal, assim como a as regiões da Indonésia, Sri Lanka, Malaca e Malásia. Outros locais eram controlados pela Holanda, como a Indonésia, e pela Espanha, que dominava as Filipinas. Essa expansão territorial foi motivada pelo Imperialismo europeu, que visava o domínio de capitais em busca de matéria prima e retorno financeiro. Por ter um mercado consumidor bastante ativo a Ásia foi bastante explorada, sendo ocupada inclusive de modo político-militar.

Ásia

Inicialmente controlada por Portugal, a área da Indonésia passou a ser administrada pela Inglaterra. Com o passar do tempo, as antigas definições de território foram se alterando, com Portugal perdendo o restante de suas colônias e a Espanha cedendo a região das Filipinas para os Estados Unidos mediante acordos realizados após a guerra hispano-americana.

– Índia (Portugal e Inglaterra)
– Indonésia (Holanda)
– Sri Lanka, Macau, Malaca (Portugal)
– Filipinas (Espanha e Estados Unidos)

O panorama do controle na Ásia centralizou-se no domínio da Inglaterra e da França, controlando as regiões mais importantes e mais relevantes no aspecto econômico e geográfico. Ambos os países demonstram forte influência e poder no médio oriente a na área sul. Este período, no qual cerca de dois terços da área asiática estava sob o domínio estrangeiro, indica o ápice do colonialismo da Europa Ocidental sobre a Ásia. A consolidação do imperialismo europeu e de potências ocidentais no continente asiático aumentou ainda mais as rivalidades sociais e políticas, o que trouxe à tona crises e disputas entre os países colonizadores.

DOMÍNIO EUROPEU

No extremo oriente do continente outras potências surgiam buscando a expansão de seus territórios, como o então Império Alemão, a ilha do Japão, a Rússia, os Estados Unidos. Em contrapartida o território chinês, que reinava sob a dinastia Manchu, conseguiu manter sua independência e liberdade frente às investidas colonialistas. Ao menos no quesito geográfico a China mostrou-se fortalecida, embora na área econômica o país indicasse parcerias com a Europa ao estabelecer locais de comércio no litoral, apesar de ter perdido a região Sul da Manchúria para o Japão e sua crescente expansão territorial e econômica. Neste cenário a Tailândia também conseguia manter sua independência no sudeste.

– Afeganistão (Japão)
– Coreia (Rússia e Japão)
– Manchuria (Japão)

O avanço norte-americano mostrou-se como uma conseqüência do interesse dos Estados Unidos no Pacífico e a ocupação das áreas do Havaí, Guam e Filipinas. A expansão territorial russa deu-se de forma menos agressiva por conta da ocupação anterior da Sibéria. Por não ser uma nação industrializada e com pouco capital o controle era diferente do Imperialismo praticado pelos outros países colonizadores. O Japão, após a revolução que deu origem à Era Meiji, aumentou sua modernização dando início a um novo regime de administração. A revolta ocorrida no Japão causou sérias alterações no sistema de governo, desde o setor monetário até o militar.

DESCOLONIZAÇÃO

O domínio europeu sobre a Ásia começou a perder força com a Segunda Guerra Mundial, com diversos países proclamando independência e declarando resistência ao controle de países estrangeiros. A Indochina Francesa, por exemplo, foi desmembrada em Laos, Camboja e Vietnã, enquanto a Coreia foi dividida nas regiões Norte e Sul. Esse processo de soberania asiática sobre seus próprios domínios foi concluído nos anos 60.

A incapacidade dos países europeus de continuarem regendo e controlando áreas asiáticas foi um dos principais motivos para a independência em massa das colônias. Aliado a este panorama também foi fator contribuinte para este novo cenário o início da guerra fria, onde Estados Unidos e os países socialistas deram apoio às revoltas visando ampliação do capitalismo e disseminação de ideologias, respectivamente.

Os países asiáticos que conquistaram independência nesta época foram:

– Paquistão, Malásia, Cingapura, Índia: se rebelaram contra a Inglaterra

– Irã: retirou o domínio soviético

– China: livrou-se do controle inglês, alemão e japonês

– Filipinas, Líbano e Síria: independências oficializadas

– Camboja: libertou-se do domínio francês

– Índia: rompimento com a Inglaterra

A situação mais complexa na independência ocorreu na Índia, onde a mudança de controle territorial deixou transparente o atraso econômico e social que ocorria na região. No geral todo o processo de proclamação de descolonização na Ásia ocorreu através de diversos conflitos bélicos e crises políticas. Atualmente apesar de enfrentar dificuldades em algumas regiões, principalmente no Oriente Médio, o setor asiático vem crescendo exponencialmente frente ao mundo. O Japão continua mantendo sua força econômica e a China mostra-se como grande potência mundial, disputando força de mercado e influência política com grandes nações europeias e com os Estados Unidos.