Relógio de Sol


O relógio do sol é um dispositivo que mede o curso do tempo pelo estudo do posicionamento do Sol. Os modelos mais comuns são os relógios de sol de jardim, que são constituídos por uma superfície plana que atua como mostrador, no qual estão sinalizadas as linhas que apontam as horas, e com uma placa ou pino, cujo reflexo projetado em cima do mostrador atua como um ponteiro de horas em um relógio convencional. Ao passo que a disposição do Sol muda, o reflexo move-se pela superfície do mostrador, percorrendo ao mesmo tempo pelas linhas que apontam as horas.

Também há relógios de sol mais elaborador, com mostradores curvos ou inclinados. Os relógios de sol frequentemente sinalizam a hora solar aparente, porém, com pequenas alterações, também podem mostrar à hora padrão, que é a hora do fuso horário onde o relógio está geograficamente posicionado.

Desde antigamente os homens babilônicos e egípcios, ao olhar o Sol, constataram que esse provocava o reflexo dos objetos. Ao fazer esses reconhecimentos perceberam que no decorrer do dia o tamanho desses reflexos muda. O homem primário, inicialmente, utilizou seu próprio reflexo para determinar as horas. Logo após observou que podia, por meio de uma vareta enterrada no chão no arranjo vertical, fazer essas mesmas avaliações.

Relógio

Estava fabricado o progenitor de todos os relógios de Sol, o popular Gnômon. Quando amanhecia o reflexo estava muito longe, no meio dia estava no seu menor tamanho e ao entardecer voltava a ampliar-se novamente.

Utilidade atualmente

Existem alguns motivos para criar um relógio de sol atualmente:

– como objeto de curiosidade e decoração, em parques, jardins e praças, por exemplo.

– com propósito educacional, produzindo curiosidade por astronomias entre adultos e jovens, em museus, escolar e outros lugares públicos.

– para realmente examinar as horas, em lugares externos onde geralmente as pessoas não usam relógios de pulso como, por exemplo, em piscinas, praia e em canchas de esporte.

Construção

O motivo essencial para a elaboração de um relógio de sol é o de que o apontador que irá desenhar o reflexo em cima do mostrador dever ser colocado de maneira a ficar equidistante ao eixo de rotação da Terra.

Um esquema sintetizado para a fabricação de um relógio de sol com mostrador horizontal é retratado a seguir:

Informações essenciais

Achar o sentido do norte magnético usando um dos seguintes processos:

– com uma bússola e identificando a declinação magnética do lugar.

– determinação prática, usando um pino vertical preso no meio de circunferências de mesmo centro.

– latitude do lugar.

Material

– Ponteiro ou pino: na condição de uma placa, é preciso cortar um triangulo retângulo com um ângulo agudo de medida semelhante a latitude do lugar. O tamanho da hipotenusa ou do pino do triangulo deve ser menor ou semelhante ao raio do mostrador.

– Mostrador: pode ser feito com uma placa plana de pedra, de material rígido ou de concreto, geralmente no molde de um retângulo ou circulo.

Construção

– prender a placa do mostrador ou o pino, com direção no eixo norte-sul e inclinação referente ao plano horizontal semelhante a latitude do lugar. Dessa forma, uma das pontas do ponteiro estará presa no mostrador e a outra fica pendurada, indicando para o ponto celeste do hemisfério onde está.

– sinalizar as linhas das horas usando um dos seguintes métodos:

. Na execução, em um dia de sol, com ajuda de um relógio comum.

. Usando a figura produzida por um programa de computador. Esse procedimento tem a vantagem de possibilitar que as linhas dos solstícios e equinócios sejam incorporadas no mostrador.

Correção de Longitude

Um relógio solar fabricado em razão de um local específico mostrará a hora solar aparente daquele certo ponto, distribuída unicamente por locais co-meridionais, isto é, por locais alinhados em um mesmo meridiano. Esse é o modelo de hora mostrado na grande parte dos relógios solares, e, até pouco tempo atrás, tem sido usado como o modelo de tempo padrão no dia a dia das pessoas.

Essa mudança da duração das horas no ano, contudo, foi admitida ate o ápice dos sistemas de telecomunicações e transporte, por volta de 1850. Desde então, foi preciso determinar uma hora uniforme e constante, fora um modelo cronológico comum que pudesse incorporar uma quantidade maior de lugares distantes entre si que compartilhassem de um mesmo horário local.

Um evento que pode vir a ser instalado a equação do tempo para contar as horas comuns a horas solares é, dessa forma, a correção de longitude. Seu valor é adquirido pela fácil diferença entre a longitude do ponto do relógio, e a longitude do meridiano de orientação. A leste desse meridiano, o relógio solar ficará adiantado, ao mesmo tempo em que a oeste ficará atrasado.