Resumo Ano Novo (Revéillon)


É certo afirmar que o Ano Novo é uma data especial para muitos de nós, não é mesmo? Geralmente, junto com o novo ano civil, surgem também novas oportunidades para a vida pessoal, profissional, acadêmica, e assim por diante. Por isso, assim que um novo ano se aproxima, muitos já ficam afobados, ansiosos e querendo que o antigo ano termine logo para abrir espaço para as situações mais diferenciadas, cômicas, divertidas (ou não!) situações que podem acontecer no ano subsequente.

Se fôssemos resumir o ano novo, é certo afirmar que o Réveillon nada mais é do que o dia em que se celebra a passagem de um ano para outro, sendo ele comemorado exatamente entre os dias 31 de dezembro e 01 de janeiro. Quando o relógio marca a meia-noite do dia 1º, essa é a hora que a alegria não poderia ser maior. Abraçamos e beijamos nossos familiares, amigos e, até mesmo, os desconhecidos que passam no mesmo local em que decidimos comemorar naquele ano. Mas, o que você verdadeiramente sabe sobre essa data? Por que ela é comemorada? Quem foi que deu início a esse costume?

Resumo Ano Novo

Resumo sobre o Réveillon

Para início de conversa, o termo “réveillon” vem do francês e tem um significado bem convincente para a data: retomar ou, então, despertar. Dessa forma, essa é uma referência à nova fase de nossas vidas que começa assim que esse ano se estabelece em nosso calendário.

É curioso ainda afirmar que esse termo, há algum tempo, era utilizado para nomear a famosa ceia de Natal, ou seja, a noite do dia 24, quando nos reunimos especialmente com os nossos familiares. Foi só depois de algum tempo que se notou que a expressão tinha muito mais a ver com a semana seguinte, no Ano Novo!

Comemorar o início do ano novo com muita festa já é tradição em todo o território brasileiro e em várias outras nações com essência religiosa cristã. Porém, não pense que essa tradição é algo recente. Na verdade, a origem do Réveillon está em um capítulo muito anterior à própria história do cristianismo, sendo essa data comemorada já há mais de 2 mil anos antes de Cristo, na Mesopotâmia.

A comemoração, nessa região, era algo como um festival para o ano novo. Os assírios, fenícios, persas e gregos que habitavam a região nessa época realizavam as suas passagens de um ano para outro com muita festa e alegria, já que, desde então, acreditava-se na grandeza de experiências que poderiam surgir a partir de então.

Mas é certo afirmar que cada espaço do globo, com base em suas tradições, crenças e cultura própria, comemoram a passagem do ano de uma maneira – e em uma data – específica. Pois é, não é só no dia 01 de janeiro que o novo ano é comemorado em âmbito global. Na China, por exemplo, o começo do ano é no finalzinho do mês de janeiro ou no começo de fevereiro, que é quando os judeus comemoram a mesma data que para nós ocorre entre os meses de setembro e outro.

Já para a religião muçulmana, presente principalmente no Oriente Médio e algumas partes da Europa, os religiosos preferem comemorar a passagem de ano no mês de maio.

No Brasil, assim como em grande parte dos países latino-americanos e tradicionalmente ocidentais, o Réveillon é comemorado exatamente em 1º de Janeiro. A decisão por esse dia é um resultado do antigo calendário romano criado em cerca de 743 a.C. Desde então, a tradição foi mantida e a Igreja Católica oficializou o calendário no século XVI.

Tradições durante o Ano Novo

Se fossemos perguntar para você quais são as tradições que mais conhece, certamente, elas seriam:

• Pular as ondinhas na areia da praia;

• Abrir um champanhe;

• Posteriormente, colocar dentro da garrafa um papel com todos os desejos para aquele ano.

Porém, em âmbito global, o que mais ocorre durante a data é um show de fogos de artifício, além de diferenciadas tradições e atrações que variam muito entre um país e outro. Com base na grande mistura cultural brasileira, aqui as manifestações que expressam o novo ano que se inicia não são nada limitadas.

Uma das comemorações mais tradicionais no Brasil, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, envolve mitos e tradições herdadas de religiões afro-brasileiras e africadas, como é o caso da Umbanda ou Candomblé, por exemplo. Alguns exemplos são:

• Jogar oferendas ao mar realizando o culto à Iemanjá – essa é uma das atividades realizadas com frequência e não só por parte de quem integra a religião, como também por outros indivíduos que se interessem por essas manifestações durante o Ano Novo;

• Além disso, outro hábito desse povo é se vestir todo de branco durante o dia, já que eles acreditam que isso gera a promoção da paz em todo o ambiente que propagam.