Resumo da Energia Nuclear


Energia Nuclear é uma das soluções para questões energéticas mundiais

Grandes potencias como Japão e EUA utilizam a fonte de energia. No Brasil, terceira usina deve ser inaugurada em 2018.

As discussões e buscas de soluções para questões ligadas à questão das fontes de energia são cada vez mais atuais em todos os países de maneira global. Tudo isso porque o assunto está diretamente ligado ao desenvolvimento de todas as nações, pois um país eficiente energeticamente poderá atender melhor a todas as necessidades de seu povo e economia.

Energia Nuclear

Uma das alternativas para atender a toda essa necessidade global, é a energia nuclear, que é envolta em muitas discussões, mas que como toda forma de produção de energia conta com as suas vantagens e desvantagens. Para conhecer mais sobre essa questão controversa, faremos um resumo sobre a energia nuclear, abordando o que ela é, quais as suas aplicações, assim como os seus prós e contras para a sociedade e meio ambiente, entre outras questões.

A energia nuclear aproveitada para a produção de eletricidade é produzida basicamente por meio de dois processos, um chamado de fissão nuclear, que é baseado na divisão do núcleo atômica dos átomos, que nesta metodologia se divide em uma ou até mais partículas. Outra possibilidade é a em ocorre a união entre dois ou mais núcleos para a produção de um novo elemento, processo chamado de fusão nuclear.

Mesmo com essas duas possibilidades, a mais popular continua sendo primeira, a já citada em nosso resumo sobre a energia nuclear, fissão do átomo de urânio. Estima-se que atualmente ela esteja presente em pelo menos 400 centros nucleares mundiais, que estão situados em países como Coréia do Sul, Estados Unidos, França, Japão, Alemanha e Suécia, entre outros.

A Associação Nuclear Mundial (WNA, World Nuclear Association, em inglês) estima que, pelo menos, 14% da energia elétrica mundial seja gerada por meio de fontes nucleares, número esse que ainda pode crescer, pois estamos diante do crescimento de alguns países que têm novas usinas ainda a serem construídas. Porém, nos dias atuais, o maior detentor de parques nucleares do planeta continua sendo os Estados Unidos, com um total de mais de 100 usinas em atividade, além de investir em aumento de produção e capacidade dessas matrizes.

Prós e Contras

As discussões sobre quais seriam os benefícios e os perigos da energia nuclear para o planeta acontecem há décadas e percorrem diversas particularidades que devem ser abordadas em nosso resumo sobre a energia nuclear.

Entre os pontos citados está o perigo de que existam acidentes e vazamentos, que causariam mortes e destruição, como já ocorreram em lamentáveis casos anteriores como em Chernobyl, na Ucrânia, que na época fazia parte da antiga União Soviética, além da mais recente e conhecida pelos mais jovens, que ocorreu na usina japonesa de Fukushima.

Outro ponto amplamente exposto pelos que são contra essa fonte de energia inclui diversos temas como destruição, questões políticas e direitos humanos. Trata-se da possibilidade de que com a tecnologia seja possível desenvolver bombas nucleares, que têm um poder praticamente inigualável de destruição e que pode causar a morte de uma quantidade imensa de pessoas, além de danos materiais imensuráveis.

Nosso resumo sobre a energia nuclear também deve citar que essa forma de produção de energia também é mais cara na comparação com outras, além dos problemas ambientais que podem acontecer, inclusive o aquecimento na vida aquática, devido a possíveis resfriamentos de reatores. Outro cuidado fundamental dá conta do lixo radioativo, que deve ser armazenado em locais isolados e com extrema segurança.

Porém, também existem uma série de vantagens envoltas na produção de energia nuclear e as principais são de benefício ao meio ambiente, já que não são liberados gases estufa, além de existir muito combustível, evitando o uso de recursos naturais utilizados por outras fontes. Outro pró é a pequena quantidade de resíduos.

Do ponto de vista de eficiência, existe a produção independente de fatores climáticos, fator que evitariam crises como as vividas atualmente por causa da falta de chuva, por exemplo.

No Brasil

– Angra 1

É a mais antiga usina brasileira, que está em operação desde 1985 e segundo informações da Eletrobras Eletronuclear, somente em Angra 1 é gerada energia suficiente para atender uma cidade com 1 milhão de habitantes, como Porto Alegre ou São Luís.

Logo no início de sua operação, os equipamentos da usina enfrentaram alguns problemas, porém eles foram solucionados e a produção começou a ser compatível com padrões internacionais e em anos como 2010 e 2011, Angra 1 bateu recordes de produção.

– Angra 2

Em operação comercial desde 2001, a segunda usina nuclear do Brasil é capaz de gerar energia para atender ao consumo de uma cidade com até 2 milhões de habitantes, como é o caso da capital mineira, Belo Horizonte. A potência é de 1.350 megawatts.

Desde a sua entrada em operação, Angra 2 contribuiu para que houvesse economia nos reservatórios das hidrelétricas do país, amenizando questões de racionamento, principalmente na região Sudeste do Brasil.

– Angra 3

Ainda em obras, a terceira usina nuclear brasileira, Angra 3 deve entrar em operação comercial em 2018, com a potência de 1.405 megawatts, suficiente para abastecer Brasília e Belo Horizonte durante o mesmo tempo e a expectativa é de que a partir do início das suas operações, Angra 3 passe a ser responsável por atender 50% do consumo de todo o estado do Rio de Janeiro.