Resumo do Neoliberalismo


O neoliberalismo nada mais é do que um modelo de economia de mercado que foi de grande destaque em políticas adotadas economicamente a partir da década de 70, com ideias muito similares com o que conhecemos como os ideais de direita nos dias atuais.

O neoliberalismo consiste em um conjunto completo de ideias tanto econômicas quanto políticas que tem como base os princípios capitalistas. Dessa forma, defende-se que o governo do Estado não deve interferir na economia do país, garantindo então a circulação livre dos capitais.

Sendo assim, com base na doutrina em questão, a liberdade do comércio deve ser total, já que isso é o que garante tanto o desenvolvimento quanto o próprio crescimento de um determinado espaço segundo seus ideais.

Neoliberalismo

Sendo assim, devemos destacar que esse modelo surgiu da Escola Monetarista, em 1970, pelo economista Milton Friedman. A intenção foi criar um modelo que atuasse como uma verdadeira solução contra uma crise financeira que atingiu todo o mundo em 1973, causada por conta do aumento (autorizado pelo estado) no preço do petróleo de maneira excessiva.

Como fica a função do estado?

Muitos são os indivíduos que ficam em dúvida no que diz respeito à atuação do estado em um modelo de governo neoliberalista. Nesse caso, seu papel tem como principal intuito a privatização das empresas do estado, assim como o foco em medidas que visem reduzir a prestação dos serviços públicos, os investimentos mais baixos em assistencialismo, como é o caso de seguro desemprego, aposentadoria, pensionistas e outros programas similares e o próprio controle dos gastos de viés público.

O neoliberalismo se diferencia do liberalismo em alguns quesitos. Dessa doutrina, ele adota a sua experiência econômica, porém, aliada com condições e recursos aplicados do capitalismo da modernidade.

Além disso, o neoliberalismo também defende que o mercado deve crescer de maneira mais espontânea, garantindo condições positivas para o desenvolvimento da economia de mercado, com foco sempre na estabilidade monetária do lugar em questão.

Características do neoliberalismo

A principal característica do neoliberalismo está relacionada com a participação mínima do estado na economia do território nacional. Sendo assim, o governo quase não intervêm no mercado econômico em questão, atuando tanto na diminuição das medidas de assistencialismo como no aumento da privatização de empresas do estado.

Sendo assim, o governo deixa de pensar para dentro e volta o seu pensamento em âmbito global, sendo esta uma aposta à globalização. Por isso, os capitais internacionais também têm livre circulação no estado em questão. Além disso, a economia local também abre as suas portas para a atuação das multinacionais.

Assim, o estado se torna muito menos burocrático, já que toda a legislação envolvendo regras e leis monetárias se tornam mais simples, fazendo com que as atividades de viés econômicas sejam também simplificadas. O estado então se torna menor e por outro lado, de maior eficiência.

Além disso, há também um aumento de produção, sendo o principal intuito nesse quesito a facilitação do desenvolvimento da economia, controlando unicamente os serviços e produtos oriundos do estado. A lei de oferta e demanda, por sua vez, tem como principal intuito a regularização dos valores.

Países que adotaram o neoliberalismo

Desde o seu surgimento, o neoliberalismo ganhou força principalmente em países como Inglaterra, ainda na década de 70, e foi implantado também nos Estados Unidos pelo presidente Ronald Reagen, que implantou esse modelo político e econômico nos anos 80.
No Brasil, esse tipo de governo foi adotado duas vezes: entre os anos de 1990 e 1992 no governo de Fernando Collor de Melo, e entre 1995 e 2003 com o domínio do então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Países como o Chile, com os governos de Eduardo Frei, Ricardo Lagos e Michelle Bachelet, assim como o México com o governo de Vicente Fox Quesada, Estados Unidos com Ronald Reagen, George Bush e George W. Bush e no Reino Unido, com Margaret Thatcher são países que até os dias de hoje focam nos modelos de governo neoliberalistas e suas características fundamentais.

Os principais teóricos e a defesa do neoliberalismo

Os principais pensadores que se dedicaram ao estudo do neoliberalismo foram: Leopold Von Wiese, Friedrich Hayek, da Escola Austríaca, Ludwig Von Mises e Milton Friedman, que participou de pesquisas tanto na Escola de Chicago como também na Monetarista.

Todos os teóricos defendiam a criação de um sistema que visa o desenvolvimento da economia local e social de um país. Além disso, há também a defesa de que o neoliberalismo torna a economia de estado muito mais competitiva, garantindo também o próprio desenvolvimento das tecnologias. Por fim, as políticas de livre concorrência fazem com que os preços sejam mais realistas e a inflação do estado também seja reduzida.

Já a crítica aponta que o modelo político do neoliberalismo é capaz de gerar possíveis consequências para o país, como salários mais baixos, desemprego, dependência internacional e diferenças sociais mais agravantes.