Resumo dos Blocos Econômicos


O processo de globalização intensificou as relações econômicas entre os países, o que criou uma grande tendência comercial: a de desenvolvimento de blocos econômicos.

Os blocos econômicos são criados com o intuito de facilitar as transações comerciais entre os países membros. E foi nesse sentido que as primeiras organizações capazes de notar as vantagens desse processo foram as capitalistas, possibilitando acordos que auxiliavam na garantia de mercados consumidores cada vez mais intensos para a venda de produtos industrializados como também para a disponibilização de matéria prima.

Blocos Econômicos

Os primórdios dos blocos econômicos

O primeiro bloco conhecido foi organizado logo após o final da 2ª Guerra Mundial, integrando Luxemburgo, Bélgica e Holanda. Muitas foram as vantagens proporcionadas com o desenvolvimento da BENELUX, que trouxe uma série de vantagens para o continente europeu. Isso fez com que outros países como a França, Itália e Alemanha também integrassem esse grupo, dando origem à CEE – Comunidade Econômica Europeia. Em 1992, a comunidade cresceu tanto a ponto de dar origem à famosa União Europeia.

No que diz respeito à economia e política, o principal intuito da criação desses blocos era recuperação comercial depois do final da Segunda Guerra, sendo que com o passar dos anos muitos foram os blocos desenvolvidos para integrar as economias de todas as potências em ascensão.

Sendo assim, são notáveis os benefícios proporcionados pelos blocos econômicos, já que eles possibilitam o barateamento e a facilidade de acesso para produtos que antes demandavam de pouca oferta e de preços muito mais altos.

Por outro lado, os blocos econômicos acabam atrasando o processo de desenvolvimento de economia nacional em algumas áreas, quando os outros países parceiros são melhor desenvolvidos. Por isso, os governos federais devem estar em constante alerta para notar se os blocos não provocam o atraso em alguns setores da indústria ou o próprio desemprego.

Os principais blocos econômicos atuais

• União Europeia

Logo quando falamos em blocos econômicos, não há como não relacionar a prática com a União Europeia, que foi oficializada em 1992 por meio do Tratado de Maastricht.

O bloco é atualmente formado por 28 países do continente europeu, lembrando que uma das características mais marcantes do bloco é a criação de uma moeda única: o EURO, além de um sistema bancário e financeiro em comum. Os cidadãos que nascem nos países-membros são também considerados cidadãos da União, e nesse caso, podem não só viajar como também morar de maneira livre em todos os países integrantes.

Além da economia, muitas são também as políticas de combate ao crime, de defesa, políticas de imigração e trabalhistas em comum. A União Europeia comanda também os órgãos: Parlamento Europeu, Comissão Europeia e Conselho de Ministros.

• NAFTA

A NAFTA – Tratado Norte-americano de Livre Comércio, por sua vez, abrange os países: Estados Unidos, Canadá e México. Ela começou as suas operações em 1994 e a principal vantagem oferecida aos países membros era o acesso total aos mercados. Dessa forma, foram extintas as barreiras alfandegárias, deu-se início à proteção comercial e foram desenvolvidas algumas leis e padrões financeiros entre os países. Porém, a zona estabelecida entre os países nunca foi de livre comércio, mas os valores e demais taxas foram reduzidas em até 20 mil produtos.

• APEC

A APEC – Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico foi desenvolvida em 1993 em meio a Conferência de Seattle, envolvendo os países: Japão, China, Estados Unidos, Taiwan, Coreia do Sul, Cingapura, Indonésia, Malásia, Tailândia, Brunei, Austrália, Nova Guiné, Canadá, México, Chile, Peru, Rússia, Filipinas e Vietnã.

A APEC, quanto estiver em funcionamento pleno (sendo a previsão para tal fator em 2020), será considerado como o maior bloco econômico de todo o mundo, já que a produção industrial dos países-membros é equivalente à metade de toda a produção industrial do mundo.

• Pacto Andino

O Pacto Andino é um bloco econômico estabelecido na América do Sul, sendo ele formado pelo Equador, Bolívia, Peru e Colômbia. Esse é um dos primeiros blocos econômicos desenvolvidos, já que a sua criação se deu em 1969 com o intuito de integrar os países-membros economicamente.

• Mercosul

O Mercosul – Mercado Comum do Sul foi estabelecido como um bloco econômico em 1991, sendo ele formado também por países da América do Sul, sendo eles: Argentina, Paraguai, Uruguai, Brasil e Venezuela. Porém, estuda-se a entrada da Bolívia e do Chile no bloco.

O principal intuito para a criação desse bloco é acabar com todas as barreiras comerciais entre os membros, além disso, há também a intenção de estabelecer uma tarifa zero entre os países e a criação de uma moeda única.

Outros blocos econômicos

Além dos blocos econômicos mais conhecidos, podemos destacar também a ASEAN – Associação de Nações do Sudeste Asiático, que foi desenvolvida em 1967 e inclui 10 países da região, como a Malásia, Tailândia e Vietnã.

Há também o MCCA – Mercado Comum Centro-Americano, formado pelos países da América Central e a SADC – Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral), criada por 15 países da região de extremo sul do continente africano.