Resumo sobre a Coreia do Norte


A Coreia do Norte consiste em um país de política socialista localizado no continente asiático. Após a divisão do que antes era apenas ‘Coreia’, o país foi formado no ano de 1948. Nesta época, a Coreia foi fragmentada por conta dos interesses estadunidenses e da URSS (República Socialista Soviética), o que levou ao surgimento da Coreia do Sul (República da Coreia) e Coreia do Norte (República Democrática Popular da Coreia).

Resumo sobre a Coreia do Norte

Surgimento da Coreia do Norte

Coreia do Norte foi criada em meio à Conferência de Potsdam. Se por um lado a Coreia do Sul se estabeleceu como república capitalista (com apoio dos EUA), por outro lado, a Coreia do Norte é essencialmente socialista e tem como principal parceiro a União Soviética.

A Coreia do Norte está localizada na região leste da Ásia e tem como limites a China (para o oeste), Rússia (para o Nordeste), Coreia do Sul (para o Sul) e ainda é banhado pelas águas do oceano Pacífico. Ao Norte a região ainda é cruzada pela Linha do Equador, ou seja, o hemisfério setentrional. O país fica em meio ao Trópico de Capricórnio e Câncer, e por isso, é parte da Zona Climática Intertropical.

No que se refere ao clima da região, devemos afirmar que ele é predominantemente temperado – é verão quase o ano todo, porém, os invernos são extremamente rigorosos e apresentam períodos prolongados de chuva.

Já a topografia da Coreia do Norte é marcada por montanhas e colinas bem expressivas e de todos os lados. No oeste do país há ainda a predominância de planícies. O ponto mais elevado do país tem quase 3000m de altitude, sendo o pico denominado como Paektu-san. Já os maiores rios do país são os rios de Yalu e Tumen.

Economia

Já a economia do país é extremamente planificada, sendo ela criada pelos moldes da União Soviética. Neste sentido, afirma-se que a relação comercial e internacional do país é bem limitada e restritiva. O regime político seguido na Coreia do Norte é um dos mais fechados de todo o mundo – e atualmente todas as suas fronteiras são constantemente vigiadas. Não à toa, desde a separação das ‘Coreias’, a economia da Coreia do Norte entrou em total recessão e decadência. Para se alimentar o país conta com um auxílio da ONU – Organização das Nações Unidas, mesmo que a atividade agropecuária e industrial seja a base econômica do país.

Aproximadamente 50% de toda a reserva de Magnesita do mundo está em território norte-coreano, além de uma grande variedade de depósitos de tungstênio, carvão, grafite e ferro. Mesmo que extremamente rico em minerais, tal fator não garante autossuficiência para a economia do país.

Os alimentos produzidos no país não são o suficiente para atender a toda a demanda populacional. Para se alimentar o país conta com um auxílio da ONU – Organização das Nações Unidas, mesmo que a atividade agropecuária e industrial seja a base econômica do país. Mesmo assim, infelizmente, mais de dois milhões de indivíduos já morreram no país por motivos de subnutrição.

Hoje em dia, aspectos como idioma e etnia são bem pouco variáveis na Coreia do Norte, que apresenta uma população bem heterogênea.

Principais características da Coreia do Norte

Os principais dados sobre a Coreia do Norte são:

  • Nome completo: República Democrática Popular da Coreia;
  • Capital do país: Pyongyang;
  • Área total: 120 mil quilômetros quadrados;
  • Linguagem oficial: coreano;
  • Tipo de governo: república socialista;
  • Demografia: quase 24 milhões de habitantes – destes, 63% moram em área urbana;
  • Moeda em circulação: Won norte-coreano;
  • Mortalidade infantil: cerca de 46 óbitos para cada 1000 crianças nascidas;
  • PIB: de 40 bilhões (na moeda norte-americana, ou seja, dólares)
  • PIB per capita, na moeda local, equivale a apenas 618 dólares (o que inclusive é um fator que justifica a falha na economia do país).

Cuiriosidades

  • O 1º reator nuclear de todo o continente asiático entrou em funcionamento na Coreia do Norte, especificadamente, na cidade de Yongbyon, lado Norte do país. O fato é datado de 1965 – ele era soviético e em sua construção trabalharam apenas especialistas da primeira formação da URSS;
  • Mesmo que totalmente socialista, o país, em setembro de 2002, deu início a alguns empreendimentos essencialmente capitalistas. São eles: uma zona internacional comercial, financeira e industrial na cidade de Sinuiju, que poderá operar por 50 anos sem qualquer tipo de interferência governamental; parque industrial denominado Kaesong, que abriga mais de 200 mil residências e 3 mil fábricas; por fim, um enclave totalmente turístico na região do Monte Kumgang. O principal objetivo deste último é atrair estrangeiros (principalmente de outros lugares asiáticos);
  • O regime norte-coreano é tão fechado que a população não é autorizada a utilizar telefones celulares. Os turistas, por sua vez, não podem fotografar monumentos.