Tipos de migração


O processo de migração é um dos mais antigos em todo âmbito global, uma vez que existe desde o surgimento das primeiras civilizações. O homem, desde sempre, procurou um novo ambiente para se adequar, visando seu objetivo principal: a sobrevivência.

No início, principalmente no continente africano, a migração buscava melhores condições para conseguir sobreviver, uma vez que esses espaços já poderiam ter esgotado os seus recursos como emprego, alimentação, moradia e outros.

Mas, nas sociedades atuais, o principal motivo para a imigração já não é mais a sobrevivência, mas sim, garantir melhores condições econômicas – principalmente por meio do trabalho legalizado pelas legislações trabalhistas, que diminuem as cargas horárias e aumentam os salários.

migração

Sendo assim, a globalização fez com que com migrações sejam incentivadas pelo viés econômico, em que indivíduos partem para outro país em busca de melhores salários, condições de vida, empregos e assim por diante.

Os diferentes tipos de migração

E por mais que possa parecer algo muito simples, a verdade é que existem variados tipos de migração com base em alguns conceitos.

São três grandes variáveis, ou seja, três grandes grupos capazes de classificar os tipos de migrações, sendo eles: o tempo em que o migrante permanece, o espaço de deslocamento e o próprio formato de migração. Vamos conhecer um pouco sobre cada uma delas?

• Migração por tempo de permanência

Nesse caso, são duas opções:

1. Migração definitiva – o indivíduo passa a morar no espaço pelo qual migrou de forma permanente, ou seja, para o resto da vida;
2. Migração temporária – o migrante reside apenas por algum período já pré-estabelecido entre ele e o governo do lugar em que ele migrou. Os boias-frias são um exemplo claro de grupo que migrou apenas de forma temporária.

• Migração por espaço do deslocamento

1. Migração interna – ocorre dentro do mesmo país do indivíduo, podendo ainda de subdividir em duas diferentes ocasiões. A migração inter-regional é aquela que ocorre de um estado do país para outro; e a migração inter-regional é aquela que acontece nesse mesmo estado, ou seja, como quando a pessoa sai da cidade grande e vai para o interior ou vice-versa.

2. Migração internacional – quando o indivíduo sai de um país e migra para outro.

• O que levou a essa migração?

1. Migração forçada – a migração forçada é aquela que ocorre quando a pessoa é obrigada a migrar de seu espaço de origem para outro, sem qualquer tipo de planejamento. Esse tipo de migração geralmente acontece em caso de fenômenos naturais, como é o caso de terremotos, enchentes ou até mesmo a seca que ocorreu no nordeste brasileiro no século XIX;

2. Migração espontânea – já esse tipo de migração é quando o indivíduo planeja de forma totalmente espontânea a sua migração, indo para outra região por um motivo pessoal que pode envolver razões políticas, econômicas, culturais e/ou outras.

Outros tipos de migrações

Mas é claro que, além dos tipos de migração mais conhecidos e populares, existem também os mais “específicos”, os quais você conhecerá a seguir:

• Migração pendular – a migração pendular, por muitos teóricos geográficos, nem sequer é classificada como tipo de migração. Isso porque a migração pendular funciona como um “pêndulo”: é aquela que realizamos todos os dias ao migrar de casa para o trabalho, do trabalho para a faculdade, da faculdade para casa e assim por diante.

• Migração sazonal – esse tipo de migração durante apenas alguns meses do ano, sendo ela uma subclassificação da migração temporária. Esse tipo de migração é aquele que ocorre quando a pessoa faz um intercâmbio para estudar em outro país ou estado, por exemplo, retornando para seu local de origem após seis meses ou um ano. Migrar para o interior durante o período de solo fértil e voltar para a capital nas épocas de chuvas, também é um dos exemplos desse tipo de migração, conhecida também como transumância.

• Migração campo-cidade ou de êxodo rural – nesse tipo de migração vários grupos de trabalhadores deixam o campo para procurar melhores condições nas ‘cidades grandes’.

• Migração de êxodo urbano – ao contrário da anterior, aqui um grande número de indivíduos deixa as cidades urbanas para migrar para as zonas rurais.

• Migração cidade-cidade: nessa subdivisão da migração interna, um grande fluxo de indivíduos deixa uma cidade para procurar melhores condições em outra – de um mesmo espaço geográfico.

• Nomadismo – os nômades, como você já deve conhecer, são os grupos de indivíduos que se deslocam para os mais variados pontos do mapa, não tendo uma moradia fixa em qualquer um deles. Os mochileiros, que viajam vários continentes por um tempo indeterminado são alguns exemplos de nômades.

• Diáspora – por fim, esse tipo de migração ocorre quando, rapidamente, um grupo populacional se dispersa para vários espaços. Um exemplo é a diáspora judaica que ocorreu durante a época nazista, em que cada um procurou um lugar diferente para sobreviver.