Transporte marítimo


Conheça o meio de transporte mais antigo do mundo

Aprenda mais sobre esse tipo de transporte

Na geografia do transporte se estuda todos os tipos de transporte presentes na história e na atualidade, quais são seu benefícios à sociedade, como surgiram e qual é a melhor maneira de usá-los. Hoje, você irá aprender mais sobre o transporte marítimo, o qual é o meio mais antigo da história da sociedade e, também, um dos mais utilizados até os dias de hoje.

A história do transporte marítimo

Os barcos surgiram quase que ao mesmo tempo que a existência do homem racional, assim como ele criou ferramentas como a roda, machados, potes e outros, criou também um meio de transporte que o levasse para locais que antes não eram desbravados por ele. O transporte marítimo aparece na história dos Vikings e outras civilizações, como na era das navegações, que permitiu que países europeus descobrissem outras terras e as dominassem para seu próprio benefício.

Transporte marítimo

Na era da navegações, o transporte marítimo proporcionou ao portugueses descobrirem o Brasil, por exemplo. Os europeus tinham como objetivo chegar as índias por um trajeto diferente e, assim, acabaram descobrindo a América, com o desbravador Cristóvão Colombo. Além disso, na época das navegações foi quando iniciou-se a terrível escravidão dos negros, que eram vistos como mercadoria para trabalhar nas colônias conquistadas ou servirem como moeda de troca.

Ao longo dos tempos, com a evolução da tecnologia e das ciências, a Europa passava pela sua primeira Revolução Industrial e começou a abolir a escravidão em seu território, por isso, as navegações mudaram de foco e, ao invés de navios negreiros, transportava-se pela primeira vez produtos que foram feitos dentro das fábricas inglesas ou francesas, os países pioneiros na industrialização. Iniciava-se, assim, a globalização através do transporte marítimo, que perdura até hoje como um dos mais baratos meios de transporte de produtos.

Vantagens e desvantagens do transporte marítimo

Apesar de ser o meio de transporte mais antigo, o transporte marítimo é utilizado até hoje. Os portos representam uma grande fonte de enriquecimento para os países, já que podem ser entremeios de itinerário, recebedores ou enviadores de cargas. Por isso, usa-se muito o transporte marítimo até mesmo como tratado de diplomacia entre os países. Confira quais são as vantagens de seu uso:

– Baixo custo de frete;
– Capacidade de transporte muito superior aos outros (terrestre e aéreo);
– Segurança maior aos tripulantes.

E as desvantagens:

– Baixa velocidade na viagem;
– Tempo maior de descarga, devido aos portos e alfândegas;
– Grandes distâncias;
– Possíveis estragos nas cargas.

Para ter uma ideia, os navios hoje em dia podem aguentar cargas que vão até 500 mil toneladas, enquanto, no século XVIII, eles aguentavam no máximo 1000 toneladas. A tecnologia que move o transporte marítimo também evoluiu muito, em seu princípio era movido a remo ou a vela, depois por carvão e petróleo (o que causou muita poluição aos mares do mundo) – e hoje já existem tecnologias atômicas para movimentar as navegações.

No Brasil, um dos grandes problemas que envolvem o transporte marítimo é a ineficiência portuária que, muitas vezes, causa congestionamentos e a perda de grande contingente de produtos, devido à demora na alfândega e burocracias que envolvem o transporte. Vale ressaltar que qualquer tipo de transporte deve ser muito bem fiscalizado, pois pode ser utilizado de forma indevida, seja para carregar produtos falsificados, contrabandeados e até mesmo ilegais, como drogas e armas que são de uso exclusivo da polícia e do exército.

Hoje em dia, o transporte marítimo não tem mais tanta serventia para transportar pessoas, a não ser em viagens turísticas feitas pelos cruzeiros, sua maior importância como transporte vem do fato de poder carregar a longas distâncias uma grande quantidade de produtos. Por isso, pode-se dividir o transporte marítimo em duas vertentes: a de viagens internacionais (ou longo curso) e também as costeiras (ou de cabotagem, que são feitas ao longo da costa marítima de um país, continente ou território).

– Navegação em longo curso: também conhecida como navegação internacional, é destinada para o transporte de importações e exportações, ou seja, para o comércio entre os países que os mantêm. A navegação internacional depende diretamente da infraestrutura dos portos nacionais e internacionais para determinar a sua qualidade, pois, muitas vezes, os portos são tão precários que há inúmeros riscos em se transportar uma carga até ele, o que desmotiva o exportador de fazê-lo.

– Navegação de cabotagem: é a navegação costeira, ela é muito útil para países que têm longas faixas de territórios à beira do mar, facilitando o processo de transporte das suas cargas para um mesmo território, porém, sem a necessidade de transportá-la via terrestre, o que acaba encarecendo os custos e muitas vezes deteriorando o material. Também pode envolver países costeiros de um mesmo continente, como o Brasil e o Uruguai.