Origem do Golpe Militar


O Golpe Militar foi instaurado em 31 de março do ano de 1964, há pouco mais de 50 anos. Ao ser deflagrado, não houve qualquer ação ou histórico que o justificasse. Neste artigo, vamos discutir sobre a origem do golpe militar e causas paralelas que levaram ao acontecimento histórico.

Origem do Golpe Militar

Origem do Golpe Militar: como tudo começou?

Para compreender as razões que levaram ao golpe militar de 1964, é necessário voltar um pouco no tempo. Tudo começou com o governo de Getúlio Vargas, que alimentava os discursos que diziam que o Brasil sofria fortes ameaças de se tornar comunista. Não à toa, essa foi à justificativa do presidente, em 1937, para a constituição do Estado Novo.

Já na década de 60, as tensões governamentais estavam relacionadas à tomada de poder de João Goulart. Isso porque havia rumores de que o novo presidente estava sendo pressionado por armadilhas conservadoras, que alterariam os rumos do governo brasileiro. O auge deste temor foi em 1963 – quando as reformas de base começaram a ser discutidas.

A direita brasileira foi à loucura – o que inclui também as classes média-alta e o empresariado brasileiro. O projeto do presidente foi atacado uma vez que era considerado socialista.

Neste período, estudiosos da área afirmam que o território brasileiro estava passando por uma verdadeira reviravolta. Para exemplificar, trazemos alguns movimentos sociais que eram simpatizantes com as reformas de base de Goulart: a criação do CGT (Comando Geral dos Trabalhadores), a mobilização dos estudantes por meio da UNE (União Nacional dos Estudantes) e desenvolvimento das Ligas Camponesas, em defesa aos trabalhadores rurais.

Logo que as reformas do presidente foram anunciadas, os setores e movimentos da direita se juntaram na criação da “Marcha da Família, com Deus, pela Liberdade”. Os grupos do movimento se reuniam para a realização de protestos e manifestações ao longo de todo Brasil. Além de demonstrarem a insatisfação com as medidas reformistas, eles também deixavam claro seu posicionamento favorável a um golpe de Estado militar, que já havia sendo discutido há algum tempo.

Neste ponto, vale ainda lembrar que o golpe militar foi estimulado e apoiado pelos EUA, que, em uma operação nomeada como “Tio Sam”, ofereceram ajuda tanto militar como logística para a instauração do golpe.

A razão para o apoio dos norte-americanos é compreensível. Isso porque a década de 60 foi marcada pela Guerra Fria. Os EUA, neste sentido, perderiam ainda mais poder caso mais uma nação se tornasse comunista nas Américas.

Com base nos pontos destacados anteriormente, claramente notamos que o golpe militar foi instaurado não só por uma ou outra razão, mas sim, por uma grande concentração de tensões e fatos políticos que apenas explodiram em 1964.

Principais causas para o golpe militar de 1964

A seguir, destacamos três diferentes origens que levaram à instauração do Golpe Militar. São elas:

• Causa política

O governo do presidente João Goulart foi extremamente polêmico – do início ao fim. Ele assumiu o poder após a renúncia do então presidente Jânio Quadros e, já nos primórdios de seu governo, seu histórico como líder sindical foi resgatado pela oposição – que logo o associou a um possível ‘líder comunista’.

O medo de que o Brasil se tornasse uma nação comunista foi ainda maior entre as classes mais conservadoras, como de latifundiários, trabalhadores industriais, empresários e assim por diante.

Neste mesmo período, o Congresso deixou de “dar as caras”. Com a falta de posicionamento por parte do órgão, setores civis e militares do país se juntaram com a crença de que seria preciso interromper o quanto antes o regime populista que se instaurava aos poucos – ou melhor, desde que o cargo foi assumido por Goulart.

Vale lembrar que, quando a insatisfação chega a esse ponto, sempre vence quem tem o maior poder armado. No caso do golpe militar, as forças armadas além de dotarem de maior armamento, também estavam tendenciosas para a ocorrência do golpe. E foi assim que ele ocorreu do ponto de vista político.

• Causa econômica

Na década de 60, a inflação chegou a um ponto extremo. Já não havia mais controle das finanças externas e nem mesmo prestação de contas por parte do governo. Sem escolha e sem demais opções para sair desta condição, o golpe pareceu uma alternativa capaz de solucionar os problemas econômicos do Brasil.

• Causa internacional

Além da pressão interna, estimulada tano pelos militares como pelos setores de extrema direita do país, havia ainda a pressão anti-comunista que parti dos EUA.

A operação denominada ‘Tio Sam’, as quais já falaram um pouco anteriormente, apoiava o movimento interno brasileiro que levaria ao fim do governo de João Goulart. Por fim, a operação não precisou ser posta em prática, porém, já estava estabelecida caso algo saísse do controle – ou melhor, caso algo ferisse as necessidades norte-americanas, sendo a instauração do comunismo um exemplo disso.