República Velha


A República Velha pode ser considerada como um dos principais períodos da história brasileira. Também denominada como Primeira República, foi uma época conturbada que aconteceu entre os anos de 1889 (ano da Proclamação da República) e 1930 (ano da Revolução de 1930). Este derradeiro acontecimento marcou a deposição do presidente Washington Luís, último governante da República Velha. Nesse mesmo momento, o país foi titulado como Estados Unidos do Brasil, mesmo nome dado em 1891.

República da Espada e República Oligárquica

Estes dois momentos marcaram a real formação do Estado republicano do Brasil. Confira baixo as principais características de cada um deles.

República Velha

• República da Espada: caracterizada pela dominação das divisões movimentadas do Exército, que tinham total apoio dos republicanos, teve sua abrangência durante os governos do Marechal Floriano Peixoto e do Marechal Deodoro da Fonseca. Essa época iniciou em 15 de novembro de 1889, dia da Proclamação da República brasileira e perdurou até o presidente Prudente de Moraes ser eleito como o primeiro governante civil do Brasil. Ainda, a era da República da Espada ficou assinalada pela Revolta da Armada e a Revolução Federalista (desordens ocorridas em meio às elites brasileiras) e pelo conflito do Encilhamento;

• República Oligárquica: esse período começou no ano de 1894, foi até a Revolução de 1930 e teve como dominantes principais as elites regionais do sudeste e do sul do Brasil. A supremacia mineira e paulista no revezamento da presidência foi denominada de Política do Café com Leite devido ao grande valor que o leite, vindo de Minas Gerais, e o café, produzido por São Paulo, traziam para a economia do país.

Como se não bastasse, toda essa industrialização ocasionou várias modificações no que se referia à estrutura social no Brasil. Através da criação de uma nova categoria, a classe operária, e do aumento do espaço urbano, as alterações ocorridas no meio político e social tiveram reflexo direto na modernização. Além do que, alguns conflitos sociais foram marcados tanto na cidade quanto no campo. Dentre eles estão as greves operárias de 1910, a Revolta da Vacina e a conhecida Guerra de Canudos.

Ainda, a crise econômica mundial e a das oligarquias rurais acertou em cheio a plantação cafeeira. Com isso, o desagrado de toda a população que viveu no período da República Velha veio na forma de insatisfação conjunta. As pessoas atribuíram à eleição de Júlio Prestes o motivo principal para tirar do poder os fazendeiros políticos. A partir daí, fizeram a Revolução de 1930, finalizando a era da República Velha e iniciando a Era Vargas.

Os conflitos, as revoltas e os governantes da República Velha

Todos os tipos de revoltas e conflitos constituem parte importante dentro do processo de desenvolvimento e da evolução de uma sociedade. Na era da República Velha não era diferente. As pessoas pertencentes a essa época tinham formas diferentes de expressar a sua indignação e contrariedade com os seus governantes. Logo, isso se refletiu em movimentos populares muito expressivos que marcaram para sempre o período em questão. A título de contribuir para um melhor entendimento sobre a República Velha, seguem os fatos mais marcantes dessa época.

• Ano: 1893-1894 – Fato: Revolta da Armada;
• Ano: 1893-1895 – Fato: Revolução Federalista;
• Ano: 1893-1897 – Fato: Guerra de Canudos;
• Ano: 1904 – Fato: Revolta da Vacina;
• Ano: 1910 – Fato: Revolta da Chibata;
• Ano: 1912-1916 – Fato: Guerra do Contestado;
• Ano: 1914 – Fato: Sedição de Juazeiro;
• Ano: 1917-1919 – Fato: Greves Operárias;
• Ano: 1922 – Fato: Revolta dos Dezoito do Forte;
• Ano: 1923 – Fato: Revolução Libertadora;
• Ano: 1930 – Fato: Revolução de 1930.

Como forma de tentar contornar, aprimorar e quem sabe consertar o mau momento econômico e social que o Brasil estava enfrentando, foram eleitos e depostos, durante todo o período da República Velha, vários candidatos à presidência do país. Confira os principais nomes.

• Quem: Marechal Manuel Deodoro da Fonseca – Ano: 1889-1891;
• Quem: Floriano Vieira Peixoto – Ano: 1891-1894;
• Quem: Prudente José de Morais e Barros – Ano: 1894-1898;
• Quem: Manuel Ferraz de Campos Sales – Ano: 1898-1902;
• Quem: Francisco de Paula Rodrigues Alves – Ano: 1902-1906;
• Quem: Afonso Augusto Moreira Pena (veio a falecer no decorrer do mandato) – Ano: 1906-1909;
• Quem: Nilo Procópio Peçanha (foi substituído pelo seu vice-presidente Afonso Pena) – Ano: 1909-1910;
• Quem: Marechal Hermes da Fonseca – Ano: 1910-1914;
• Quem: Wenceslau Brás Pereira Gomes – Ano: 1914-1918;
• Quem: Francisco de Paula Rodrigues Alves (não chegou a assumir oficialmente o cargo, pois morreu de gripe espanhola) – Ano: 1918-1919;
• Quem: Delfim Moreira da Costa Ribeiro (foi substituído pelo seu vice-presidente Rodrigues Alves) – Ano: 1919;
• Quem: Epitácio da Silva Pessoa – Ano: 1919-1922;
• Quem: Artur da Silva Bernardes – Ano: 1922-1926;
• Quem: Washington Luís Pereira de Sousa (derrubado por meio da Revolução de 1930) – Ano: 1926-1930;
• Quem: Júlio Prestes de Albuquerque (foi eleito no ano de 1930, porém não foi nomeado por causa da Revolução de 1930) – Ano: 1930;
• Quem: Junta Militar Provisória: Almirante Isaías de Noronha, General João de Deus Mena Barreto e General Augusto Tasso Fragoso – Ano: 1930.