Resumo da Ditadura no Brasil


Diversos países ao redor do mundo passaram por um período de governo ditatorial e com o Brasil não foi diferente. A Ditadura Militar por aqui foi um regime que vigorou do ano de 1964 até 1985, marcado pela truculência, tortura e por outras características muito peculiares. Não é à toa que deixa suas cicatrizes até hoje, especialmente nas pessoas cujos ascendentes foram vítimas da violência institucionalizada.

Vamos ver agora um resumo da Ditadura no Brasil, para compreender melhor o contexto em que ela se desenvolveu, como teve início e fim e quais foram as suas características mais emblemáticas.

Ditadura no Brasil

Resumo da Ditadura no Brasil – história e contexto de surgimento

A Ditadura é o período em que o país foi governado pelos militares e que teve início a partir do famoso “Golpe de 64”, ou seja, um golpe de estado que tirou o então presidente João Goulart (mais conhecido como Jango) do poder e colocou em seu lugar o General Castello Branco. É comum ouvirmos falar em “Revolução de 64”, mas o nome mais correto para o que aconteceu é “golpe”, porque normalmente a revolução parte da população, o que não foi o caso.

A data oficial de início da Ditadura Militar no Brasil é 1 de abril de 1964, no entanto, muitos acontecimentos que vieram antes disso foram decisivos para que o país passasse por esse regime. Vamos entender agora quais foram os antecedentes históricos do período ditatorial e que culminaram nele.

No ano de 1961, o presidente Jânio Quadros renunciou e em seu lugar assumiu o vice João Goulart. Mas na ocasião da renúncia, Jango, que era tido como um simpatizante do comunismo, estava realizando uma visita oficial à China, que era um país comunista. Isso já gerou um clima de tensão e medo por parte dos Estados Unidos e das camadas brasileiras mais conservadoras de que o país sofresse um golpe comunista.

Uma das grandes características do governo de Jango foi a abertura dada a alguns setores, como os estudantes, trabalhadores e organizações civis populares. Isso só fez com que a “ameaça comunista” se intensificasse, incomodando banqueiros, a Igreja Católica, os militares, empresários e a população de classe média e alta.

Aliado a esses fatores, o país estava passando por um período em que o custo de vida estava alto e Jango tinha algumas características bem populistas.

No dia 13 de março de 1964, o presidente realizou um grande comício no Rio de Janeiro, na Central do Brasil, em que o principal foco do seu discurso foi a defesa das reformas de base, que modificariam a estrutura agrária, econômica e educacional do país. Foi praticamente o estopim, já que os segmentos de direita acreditava que essas medidas prometidas por Jango eram essencialmente comunistas.

A Marcha da Família com Deus pela Liberdade foi um movimento realizado em São Paulo pelas camadas conservadoras, em repudio às reformas de base e ao governo de um modo geral.

Em 31 de março de 1964, as tropas militares de Minas e São Paulo saíram às ruas. Jango foi para o Uruguai, temendo uma guerra civil. Então, no dia seguinte, oficialmente teve início a Ditadura Militar. Os presidentes do período foram: Castello Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo.

Resumo da Ditadura no Brasil – características

As principais características do período foram:

• Estabelecimento dos Atos Institucionais (AI) que legitimavam os excessos de poder dos militares. O mais violento deles foi o AI – 5;

• Repressão de todo e qualquer movimento social que manifestasse oposição ao governo vigente;

• Censura aos meios de comunicação. A mídia não podia veicular absolutamente nada que contrariasse o regime de alguma forma, por isso, censores eram distribuídos pelos locais de produção de notícias, para evitar a divulgação de qualquer coisa que os militares não desejassem;

• Censura aos artistas. Músicos, pintores, atores e outros artistas também não podiam expressar a sua insatisfação com o governo por meio de suas obras, de modo que eles também enfrentavam a censura. Muitos deles tentavam “enganar” os censores, ou seja, fazendo suas críticas de maneira disfarçada, é o caso de Chico Buarque com a música “Cálice” e Roberto Carlos com “Debaixo dos caracóis dos seus cabelos”;

• Uso de métodos violentos para reprimir os que se opunham ao regime, inclusive a censura. Muitos estudantes, jornalistas, artistas e outras pessoas eram presas por manifestar a sua insatisfação e nas prisões eram submetidas a tortura física e psicológica de todo o tipo;

• Os movimentos de guerrilha que também se opunham ao governo eram enfrentados por tropas militares;

• Foi implantado o bipartidarismo, os dois partidos existentes eram o ARENA, do governo, e o MDB, que fazia oposição mas também era controlado.

A redemocratização do país começou no governo de Geisel e continuou no de Figueiredo. O pluripartidarismo retornou
em 1979 e em 1984 ocorreu o Movimento Diretas Já. Esse pequeno resumo da Ditadura no Brasil deve ser uma demonstração de algo que jamais pode acontecer novamente.