Antigo Regime


No artigo de hoje iremos abordar um conteúdo muito cobrado em provas de e exames para admissão em Instituições de Ensino Superior: o Antigo Regime.

Características

Podemos definir o Antigo Regime como um sistema político que moldou as características da Idade Moderna. Na política figurava o Absolutismo, enquanto que na Economia quem dominava era o Mercantilismo. Logo, temporalmente falando, o Antigo Regime nos remete a chamada “Idade Moderna”, período compreendido entre os Séculos XV e XVIII.

Em diversas literaturas é descrito que a origem do Antigo Regime ocorre na mesma época em que se inicia a formação dos chamados “Estados Nacionais”. Por diversas razões – entre as quais a identificação do sistema – a França é considerada o berço dessa nova ordem política surgida no fim da Era Medieval e início da Era Moderna.

Antigo Regime

Em virtude da nova ordem os franceses dividiram a sociedade em três estados. O primeiro dos estados vinha representando o clero, um dos grupos com mais simpatizantes a época.

O segundo estado representava a nobreza, que verdade seja, dita não fazia nada além de viver às custas da “escravidão” dos camponeses. Já o terceiro e último estado era o representante do restante da população, ou seja, quem não fazia parte do clero, mas também não era nobre. Os alocados no terceiro estado – os camponeses – tinham de pagar altos impostos para fazer a máquina girar e se sustentar.

O responsável pelo comando de todos os sistemas era o Monarca.

A política

No fim do período medieval também entra em colapso a política baseada no Feudalismo, agora, o chamado “Estado Nacional Moderno” será caracterizado por limites e leis muito bem definidas que centralizam o poder em todo território.

Para tanto, os Estados Nacionais Modernos passam a utilizar o chamado Absolutismo, algumas das características desse regime são: o soberano, rei tem poder incontestável, poder esse que tem o objetivo de criar leis que de alguma maneira beneficiassem a burguesia; dentro desse mesmo assunto temos a divinização do rei por meio do clero, dessa maneira seria mais fácil convencer a população a respeitar suas leis.

Outra característica do Absolutismo é o poder hereditário, portanto, o trono passa de pai para filho e assim sucessivamente. Além disso, imagine um único homem, rei e soberano sendo o Poder Executivo, o Legislativo e o Judiciário, era mais ou menos isso que acontecia. Um dos exemplos de soberano no Absolutismo foi Luís XIV (Rei Sol), famoso pela frase: “O Estado sou eu”.

A economia

Enquanto na política imperava o Absolutismo na economia o grande ideal era representado pelo Mercantilismo, vamos a algumas informações sobre essa política econômica.

Caracterizado como um dos antecessores do Capitalismo, o Mercantilismo tem como uma de suas características o intervencionismo, ou seja, o Governo – no papel do Rei – controlava a economia determinando quem deveria ser o responsável por determinadas rotas e nichos de mercado, por exemplo.

Além disso, havia o protecionismo, isto é, o Governo criava ações para proteger a economia do território, proibindo, por exemplo, a entrada de determinados produtos no país, assim, não corria o risco de perder o lucro com os seus próprios produtos.

Assim como no Capitalismo o objetivo da política econômica do Mercantilismo é lucrar, mas lembrem-se quem lucrava na época era apenas a Nobreza, o Rei e, é claro, a Burguesia. Outra característica é a criação de monopólios sobre mercados, setores, rotas e produtos.

É importante dizer ainda que o Mercantilismo têm diferentes tipos, sendo eles: comercialismo, metalismo, plantation e industrialismo.

A decadência

Por volta do Século XVII diversas mudanças sociais, e também, econômicas começaram a acontecer em toda Europa Ocidental, tais transformações iniciaram a fragmentação do Antigo Regime.

Até então uma pequena parcela da população vivia de maneira luxuosa aproveitando regalias que o restante do povo acreditava ser uma espécie de “dom divino”, e não fruto de roubo e corrupção.

Podemos citar o Iluminismo como uma das primeiras correntes de pensamento que fez com que o Antigo Regime passasse a ser questionado. Por meio dos pensamentos iluministas novas ideias começaram a ser difundidas entre a população.Tão logo isso aconteceu uma nova política econômica também passou a surgir, assim nasce o chamado “pensamento liberal”, onde a figura do homem passa a ser vista como um ser econômico e social.

Por fim, podemos citar a Revolução Francesa como a grande responsável pela ascensão da Burguesia que fez cair o sistema Absolutista.

Note que algumas características, principalmente econômicas, do Antigo Regime ainda podem ser observadas no “Capitalismo nosso de cada dia”. Com relação a política podemos dizer que o Absolutismo já não mais figura nos dias atuais, contudo, tal escola rendeu grandes Dinastias, Monarquias e Reis todos influenciados pela Burguesia que no fim das contas foi a primeira a abandonar o barco e adotar os ideais iluministas a fim de também ter o seu lugar ao sol.