Batalha das Termópilas


A batalha das Termópilas foi travada no mesmo contexto da Segunda Guerra Médica entre a aliança de pólis gregas (liderados pelo Rei Leônidas de Esparta) e o Império Persa de Xerxes I. Foram três dias de confronto finalizados em setembro de 480 a. C. tendo como cenário Termópilas, um desfiladeiro localizado na Grécia Central.

Como aconteceu

Batalha das Termópilas

O Rei Xerxes tinha mais de 200 mil homens em seu exército, enquanto, seu inimigo, o Rei Leônidas somente sete mil soldados.

A invasão dos persas foi uma resposta a Primeira Guerra Médica, da qual Atenas tinha saído vencedora. Xerxes tinha a missão de conquistar toda Grécia e para isso teria que invadi-la, pressentindo a eminente invasão um general ateniense propôs a seus aliados gregos que bloqueassem o exército persa, impedindo seu avanço.

Cerca de sete mil homens se dirigiram então ao Norte com o objetivo de bloquear a passagem. O exército persa teria chego ao local entre o fim de agosto e início de setembro, relatos revelaram que em número inferior os gregos foram capazes de deter o avanço persa por cerca de dois dias.

No mesmo período em que a batalha acontecia um pequeno grupo liderado pelo Rei Leônidas impediu a única passagem que os persas poderiam utilizar a fim de entrar na Grécia.

Mas, o que eles não esperavam é um morador local, de nome Efialtes – pastor proibido de lutar com Leônidas – traísse os gregos mostrando ao exército inimigo (os persas) uma estreita passagem pela qual poderiam acessar a parte de trás das linhas gregas.

Avisado do eminente ataque Leônidas mandou embora boa parte de seu exército grego, mas permaneceu junto com alguns aliados, sendo eles: 300 espartanos, 700 téspios, 400 tibetanos e centenas de outros soldados, a fim de proteger a retirada. Durante tal confronto muitos homens morreram.

Derrota nas Termópilas, batalhas e captura de Atenas

Após a derrota dos gregos os persas cruzaram Beócia capturando Atenas que já havia sido evacuada.

Contudo, os persas foram derrotados pelo exército aliado na Batalha de Salamina. Xerxes temia ser preso no continente europeu, por isso, juntamente com a maior parte de seu exército retirou-se para Ásia deixando Mardónio, um General, a comandar o restante do exército que deveria terminar a conquista da Grécia. Mas o sonho persa se viu desfeito quando foram derrotados na Batalha de Plateias.

Batalha heróica

A Batalha de Termópilas é considerada até hoje um dos mais heróicos duelos da história, principalmente devido ao exército patriótico que defendeu veementemente seu solo.

Para muitos pesquisadores os gregos seguraram “na raça” um exército, aproximadamente 43 vezes maior. Além disso, o campo de batalha – um desfiladeiro estreito atravessado por uma estrada que permitia apenas a passagem de uma carroça, além de ser protegida por três pequenas muralhas – era um local ideal para que os gregos resistissem.

O território auxiliou, e muito, na resistência do povo grego porque impedia que os persas utilizassem uma de suas táticas de batalha mais eficientes: os ataques de cavalarias. Devido a isso os persas se viram obrigados a utilizar armas leves, tais como lanças curtas de madeira, adagas, além de confiar na precisão do arco e flecha.

Em contrapartida, as armas dos gregos tinham maior eficiência para as condições de batalha que se apresentavam, afinal, seus escudos de madeira os protegiam das flechas e das lanças, o que evitava a aproximação dos persas. Foi essa tática que manteve os gregos seguros, pelo menos por dois dias.

Saldos da batalha

Foi somente devido a traição de Elfiates que os persas conseguiram avançar até as linhas traseiras dos gregos, isso aconteceu no terceiro dia de batalhas. Mesmo cercados os gregos liderados pelos chamados “300 de Esparta” lutaram bravamente, mas obviamente a luta era suicida para eles.

A fim de não deixar rastros dos gregos o Rei Xerxes ordenou a seus melhores arqueiros que liquidassem os últimos sobreviventes. Durante o confronto o exército persa teve uma baixa de 10 mil homens, entre os quais dois irmãos de Xerxes.

O Rei Leônidas também caiu morto, sendo decapitado e crucificado, além disso, sua cabeça foi empalada e no local onde aconteceu tal conflito o Rei ainda recebe diversas homenagens devido a sua bravura. Num monumento em homenagem a Leônidas está escrita a seguinte frase: “Digam aos espartanos, estranhos que passam, que aqui, obediente às suas leis, jazemos”.

Como já mencionado, posteriormente o exército persa foi detido e Xerxes voltou fugido ao seu local de origem: a Pérsia, contudo, anos depois morreu brutalmente assassinado.

Não há que se negar na Batalha das Termópilas a tática aliada ao patriotismo fez os gregos aguentarem firme, a inteligência se sobressaiu a força e também ao número. E. se não fosse por uma traição os gregos podiam ter chances de vitória, ou pelo menos, de mais um dia de vida.

Aguentar um exército quase 43 vezes maior é um grande desafio e só pode ser obra de um exército que realmente tem amor pelo seu povo e sua história.