Feudalismo


Nesse artigo você aprenderá um pouco mais de organização política e social, chamada feudalismo. Trata-se de um sistema baseado em relações servo-contratuais originárias do Império Romano, com as invasões germânicas (bárbaras) do século V, mas existente em maior intensidade na Europa durante a Idade Média. No sistema o poder é descentralizado, ou seja, está na mão dos senhores feudais e a economia é baseada em agricultura e trabalho dos servos.

Feudalismo

A estrutura se dá com relações de vassalagem e suserania. O último tinha um lote de terra que era concedido ao vassalo. Esse, por sua vez, prestava fidelidade e ajudava seu suserano. Oferecia trabalho em troca de proteção e local para produzir alimentos. Diversas regiões tinham uma rede de vassalagem e o rei seria o suserano mais poderoso. Poderes jurídicos, econômicos e políticos eram do senhor feudal dono dos lotes.

Portanto, basicamente haviam as seguintes classes sociais durante o período feudal:

  • Clero: tinham a função de rezar e concentravam grande poder político e econômico.
  • Nobreza: tinham a função de guerrear e exerciam poder político.
  • Servos de gleba: eram a maioria da população de camponeses e estavam presos ao trabalho e subordinados ao senhores feudais.
  • Vassalos: ofereciam fidelidade em troco de proteção e uma terra para viver e plantar.

Como funcionavam sociedade, economia e religião?

Não havia como crescer socialmente no feudalismo. Basicamente era estática e hierarquizada. Os nobres que correspondia aos cavaleiros, duques, viscondes, condes e senhores feudais tinham terras e angariavam os impostos com os seus camponeses. Em seguida tinha a igreja, ou seja, o clero o qual detinha grande poder, pois eram considerados os responsáveis pela proteção do espírito social.

Em terceiro lugar tinha os servos e artesão. Eles pagavam taxas e impostos aos seus senhores como a talha, que correspondia a metade da produção, a corveia que se tratava de 2 a 4 dias nas terras do senhor feudal e a banalidade que eram taxas pagas para usar o moinho e forno do senhor.

A economia feudal correspondia a basicamente a agricultura. Apesar de haver moeda, ela era muito pouco usada pelas pessoas, a economia se baseava em trocas de produtos. Aqueles que possuíam uma maior quantidade de terra tinham mais poder.

Isso ocorreu, pois a moeda perdeu seu espaço e a produção agrícola ganhou a frente. Esse fator se deu por conta a grande quantidade de guerras promovidas durante as invasões de bárbaros bem como a crise dos centros urbanos.

Outro mecanismo de produção era o artesanato, mas não era feito em larga escala, afinal eram técnicas bem básicas.

A religião era extremamente forte e dominante. O poder espiritual influenciava em tudo, inclusive no pode de pensar da Idade Média. A parte econômica também cercava a igreja, que tinha grande poder afinal também tinha servos e terras.

Como o clero fez um acordo com os reis, para expandir a ideologia cristã, a classe de clérigos começou a influenciar e a interferir em questões políticas. O rei doava algumas terras à Igreja para demonstrar a devoção.

Quando, no século X, o feudalismo chegou ao seu ápice e se tornou vigente em quase toda a Europa. Dessa maneira as técnicas foram melhorando com o tempo bem como o crescimento da população contribuiu para a melhora das atividades comercial e ampliação dos centros urbanos.

Outras características do modelo

As terras durante o sistema feudal tinham, basicamente, três divisões:

  • Domínio: eram apenas do senhor feudal e com trabalho feito pelo servo.
  • Terra com, pastos e matas: poderiam ser utilizadas pelos senhores e pelos servos.
  • Manso Servil: área voltada para os servos e eram dividas em “glebas” aonde metade da produção deveria ser realizada e dada ao senhor feudal (a chamada talha já mencionada).

A parte de educação era bem restrita e concedida apenas aos filhos dos nobres. A igreja influenciava essa área com o ensino do latim, tática de guerra e doutrina religiosa. Dessa forma as pessoas eram, em sua maioria, analfabetas e sem acesso a qualquer livro.

A parte artística tinha, também, total influência religiosa retratando passagens bíblicas. Nos vitrais das igrejas eram ensinadas as questões bíblicas à população.

O feudalismo se findou aos poucos com o enfraquecimento do seu sistema. Em pouco tempo foi substituído pelo capitalismo a partir do momento que entrou em crise. Mas, historicamente, a queda do feudalismo está associada a do Império Romano do Oriente ou a Queda de Constantinopla.

Isso aconteceu pelas mudanças econômicas, sociais e políticas da sociedade. As técnicas agrícolas começaram a estagnar e não acompanharam o grande fluxo de crescimento populacional. Houve também a peste que dizimou um terço da população europeia que já estava sofrendo pela fome. Reservas de minério também abalaram o comércio e, por fim, o crescimento da burguesia e crise religiosa terminaram de deteriorar o sistema feudalista.