Grécia: Período Clássico


A Grécia foi uma sociedade que, já na Antiguidade, contribuiu muito para a configuração da sociedade ocidental que temos nos dias de hoje. Para citar alguns exemplos, os grandes filósofos cujos pensamentos são utilizados na atualidade para compreender fenômenos da vida humana são, em sua maioria, gregos. E como todos sabem, a democracia também surgiu na Grécia, portanto, se hoje as sociedades têm o direito de escolher seus governantes e se envolver na política, também é graças ao grego.

Grécia: Período Clássico

A história grega (assim como a de toda a sociedade) é subdividida em períodos, de acordo com acontecimentos e características. Hoje, você vai aprender um pouquinho mais sobre o Período Clássico e compreender quais os impactos dele até os nossos dias atuais. Estudar a Grécia é apaixonante! Vamos lá?

Grécia: Período Clássico – quando?

O Período Clássico da Grécia é compreendido entre os séculos VI e IV a.C., sendo também conhecido como Período das Hegemonias, porque foi uma fase em que a soberania das cidades-estados Atenas e Esparta se revezaram entre si. Esse é conhecido como o período mais grandioso e glorioso da Grécia, mas também marcado por conflitos.

Alguns elementos são a chave para entender o Período Clássico da Grécia:

  • Guerras Médicas;
  • Liga de Delos;
  • Governo Péricles;
  • Guerra do Peloponeso;
  • Invasões macedônicas.

Veremos um a um em seguida.

As Guerras Médicas aconteceram entre os anos 490 e 479 a.C. e é um dos episódios mais conhecidos da história. Basicamente, os persas tentaram invadir o território grego, aproveitando as colônias que possuíam na região da Ásia Menor. O conflito também foi uma tentativa persa de repreender as revoltas nas colônias que haviam sido conquistadas, como a Jônia. Dario I foi o primeiro rei persa a declarar guerra à Grécia e foi derrotado. Dez anos depois, seu filho, Xerxes I, voltou a atacar os gregos e saiu derrotado mais uma vez. Em 468 a.C., os persas declaram uma terceira guerra e são vencidos mais uma vez.

É interessante observar que os persas eram militarmente superiores aos gregos, mas os vencedores eram mais estrategistas e isso foi o elemento chave para conquistar as três vitórias consecutivas. Após a última derrota, os persas foram obrigados a assinar um tratado reconhecendo a superioridade grega na região do Mar Egeu.

E o que foi a Liga de Delos? Ela foi criada entre a segunda e a terceira Guerra Médica e o seu maior objetivo era justamente reunir as cidades gregas para que a civilização estivesse organizada se por acaso os persas atacassem novamente (como aconteceu). Portanto, todas as cidades que faziam parte da Liga pagavam tributos anuais para criar uma espécie de fundo de segurança e também se comprometiam a ceder homens e barcos em possíveis conflitos.

No entanto, depois da terceira Guerra Médica, a cidade-estado de Atenas começou a usar a Liga de Delos em benefício próprio. Qual foi o resultado? Ela cresceu e se modernizou ainda mais, tornando-se superior a todas as outras cidades. Foi nesse cenário que se destacou o governo de Péricles: com ele, Atenas ficou mais moderna, a democracia intensificou-se, assim como o comércio. Não é à toa que o século V a.C. ganhou o apelido de Século de Péricles.

Atenas acabou consolidando seu imperialismo sobre as demais cidades e a Liga de Delos se tornou algo que a beneficiava. Para acirrar ainda mais os ânimos, os atenienses proibiram qualquer um de abandonar o grupo e as contribuições das cidades se tornaram impostos para Atenas. Por isso, sob a liderança de Esparta, as demais cidades formaram a Liga do Peloponeso e a Guerra do Peloponeso, de 431 a 417 a.C., foi justamente o confronto entre as duas ligas.

Esparta sempre foi uma cidade muito militar e, desse modo, Atenas foi derrotada e seu imperialismo chegou ao fim, dando lugar à hegemonia espartana.

Grécia: Período Clássico – como terminou?

A satisfação dos espartanos como imperialistas durou pouco, pois o Império Macedônico se aproximava. Os macedônicos eram considerados bárbaros por não falarem grego. Mesmo assim, muitos dos seus líderes absorveram vários traços da cultura grega. No reinado de Filipe II, da Macedônia, macedônicos e gregos entraram em conflito por território, e mesmo com toda a força militar que Esparta possuía, a Macedônia conquistou a região da Grécia continental e foi isso que colocou fim ao Período Clássico.

O filho de Filipe era o famoso Alexandre O Grande, que assumiu a Macedônia após a morte de seu pai e se tornou conhecido por ser um grande conquistador. Foi nesse momento que surgiu a cultura helenística, uma mistura da cultura grega e macedônica, que foi levada para os territórios conquistados por Alexandre. Ou seja, os costumes gregos não foram suprimidos, mas incorporados.

Mesmo diante de tantos conflitos e guerras, o Período Clássico foi importante para consolidar características que já pertenciam aos gregos, como a democracia ateniense ou o militarismo espartano.