Ocupação do continente americano


Quando se fala em ocupação do continente americano surgem duas vertentes na mente de quem se questiona perante esse fato: ocupação europeia ou ocupação populacional? Nesse artigo, traremos diversas hipóteses, fatos e histórias que podem contribuir para o estudo e questionamento de quem trabalha na área, estuda os fatos e traz, consigo, algumas teorias próprias do que teria acontecido. Afinal, em face de ambas as vertentes, temos questionamentos: quem foram os primeiros europeus a ocuparem o continente americano? Quem foi os primeiros habitantes do continente americano e como chegaram até aqui?

A ocupação do continente americano pelos europeus se deu no ano de 1492 em viagem de Cristóvão Colombo financiada pela corte espanhola. Nessa época, o feudalismo decaía e dava início ao capitalismo, e um grande fortalecedor do capitalismo da época era as grandes viagens marítimas em busca de comércio, venda e exploração dos territórios que os navios atracassem. Dessa forma, com o surgimento desse novo sistema econômico, as potências da época (Portugal, Espanha, França, Inglaterra e Holanda) lançavam-se ao mar em busca de atingir territórios, como o fascínio dos espanhóis, por exemplo: as Índias.

Ocupação do continente

Em uma de suas viagens, com o intuito de atingir as Índias, os espanhóis acabam atracando seus navios numa terra antes desconhecida no ano de 1492. Espanha e Portugal, então, em 1494, dividem a Nova Terra entre eles através do conhecido Tratado de Tordesilhas. Seis anos após a chegada dos espanhóis ao continente americano, Pedro Álvares Cabral atraca no Brasil, no ano de 1500, dando início à ocupação do continente americano.

Com a ocupação dos europeus no continente americano, algumas mudanças geopolíticas foram se tornando frequentes, dentre elas estão: a ocupação do território não levou em conta as dificuldades de adaptação do povo nativo; a América do Norte era ocupada pelos ingleses, franceses e holandeses, a América Central pelos espanhóis e franceses e a América do Sul pelos portugueses e espanhóis; todas as riquezas (pedras preciosas e especiarias) eram trocadas por objetos inúteis para os nativos (como espelhos e pentes para o cabelo); genocídio dos povos nativos; imposição do trabalho escravo sob os povos nativos; regiões passaram a ser colônias de exploração.

Nessa tomada, houve dois tipos de colônias: de exploração e povoamento. A primeira fora a realizada pelos portugueses e espanhóis na América do Sul e Central, usufruindo da riqueza dos povos nativos e extinguindo todos os bens naturais das florestas e matas da região. Já os ingleses (protestantes), expulsos do Reino Unido, iniciarão uma colonização para povoar as regiões da América do Norte.

Porém, voltamos um pouco no tempo, um pouco antes das colonizações europeias em continente americano. Voltemos para a ocupação humana do continente, algo que instiga pesquisadores e historiadores no assunto. A pré-história americana foca seus estudos, principalmente, em quando os primeiros homens pisaram em solo americano, como chegaram até as Américas, como se desenvolveram, como atravessaram o mar que separa a África da América para chegar até aqui? São perguntas frequentes em simpósios, mesas redondas e em diversos estudos realizados sobre os primeiros homens que ocuparam o continente distante de onde todos nós surgimos.

Principais hipóteses da ocupação do homem na América Pré-Histórica

Talvez a mais conhecida teoria, e provável responsável por trazer a nossa espécie para o continente americano, anos antes da sua ocupação europeia, tenha sido a Teoria do Estreito de Bering. Segundo historiadores, as terras americanas começaram a ser povoadas pelos primeiros seres humanos quando estes, vindos da Ásia, atravessaram o Estreito de Bering na época da última glaciação, período em que o estreito estava coberto com uma camada de gelo, unindo o continente asiático com o americano.

As pesquisas indicam que a descoberta das Américas pelos Asiáticos do leste da Ásia se deu com as peregrinações realizadas atrás de alguns supostos animais gigantes. A ocupação ocorreu há cerca de 40 ou 50 mil anos e foi feita a pé, por motivos de os asiáticos desconhecerem a navegação.

A segunda teoria diz que a ocupação das Américas se deu devido à peregrinação de certos grupos de humanos que partiram das Ilhas da Polinésia e Oceania em pequenas embarcações, e chegou à América do Sul pelo Oceano Pacífico tendo, mais tarde, povoado o restante da América.

Esta teoria vai contrária a teoria do Estreito de Bering, já que ela afirma que os povos não chegaram há 40 mil anos, mas há mais de 50 mil anos, devido a evidências de pontas de flechas feitas com ossos de mamutes e bisões no Novo México, estado dos Estados Unidos.

Outra teoria diz respeito a uma rota alternativa. Segundo pesquisadores, um grupo de humanos seguiu um corredor terrestre aberto entre duas placas de gelo localizadas na região leste da América do Norte (mais especificamente na divisa leste entre Canadá e Estados Unidos – a existência desse corredor terrestre é compatível com dados paleoecológicos e ambientais) e que levava a regiões montanhosas e grandes lagos que foram povoados por esse grupo de seres humanos.

Há diversas evidências que dividem as teorias dos historiadores responsáveis por se dedicar ao estudo da ocupação do continente americano. Ainda que seja pelo Estreito de Bering, ou pelos Polinésios ou por outra rota alternativa, a certeza que podemos ter é que, muito antes de Cristóvão Colombo “descobrir” a América, muitos outros habitantes viveram e sobreviveram nesse meio.