Rafael Sanzio


Pintor, nascido em Urbino (comuna italiana) em 06 de abril de 1403, teve como suas maiores influências os pintores Renascentistas Leonardo da Vinci e Michelangelo.

O Renascimento é considerando um dos movimentos artísticos mais importantes, para grande parte dos estudiosos a ruptura da Idade Média e a passagem para a Idade Moderna são marcadas por ele. A influência do movimento vai muito além das artes, e está presente também nos campos científico e cultural.

Pintor Rafael Sanzio

As obras renascentistas, como eram conhecidas, tinham características específicas e que buscavam se aproximar, o máximo possível, da perfeição. Seja nas telas, ou nas esculturas, a estética era extremamente valorizada. Rafael Sanzio é reconhecido como uma das maiores expressões deste movimento.

Vida e formação

Rafael nasceu e cresceu cercado pela arte, filho de Giovanni Santi, um dos pintores da Corte do Duque Frederico de Montefeltro sofreu grande influência do pai. A primeira obra feita pelo italiano foi um autorretrato aos 15 anos de idade.

Ao completar seis anos, Giovanni Santi levou o filho ao estúdio de Pietro Perugino, outro famoso pintor italiano, foi lá que Rafael Sanzio aprendeu a técnica de pintura mural, também conhecida por afrescos, que mais tarde tornaram-se marca registrada em suas obras.

O pai do jovem pintor, e um de seus grandes incentivadores, faleceu no ano de 1494. Após a morte do pai, Rafael foi morar com seu tio Bartolomeu, que era sacerdote.

É válido lembrar que foi no ateliê de Perugino que Rafael produziu uma de suas grandes pinturas: O Casamento da Virgem, em 1504. Mas o primeiro grande trabalho de Rafael foi concluído no ano de 1502 na Igreja de São Nicolau de Tolentino o “Retábulo Baronci”.

Na sequência o jovem segue para a cidade de Siena onde trabalha na pintura de afrescos na Catedral Siena, e também, na Biblioteca Piccolomini. Outro fato interessante é que durante a produção de seus trabalhos, Rafael sempre contava com o auxílio do ex-assistente de Perugino.

Entre os anos de 1504 e 1508 o jovem pintor passa a viver em Florença, e essa pode ser considerada uma das épocas mais importantes para a arte de Rafael Sanzio, afinal é nesse período que ele recebe grandes influências do trabalho de Michelangelo e Da Vinci. Em 1508 pinta “Madona de Baldaquino” influenciado pela arte de Michelangelo e no mesmo ano cria “A Bela Jardineira”, mas desta vez a partir de técnicas de Da Vinci.

Trabalho reconhecido

No fim de 1508 Rafael Sanzio é convidado pelo Papa Júlio II a trabalhar em Roma, esta foi uma das grandes oportunidades para o artista provar seu valor. Foram longos anos dedicados à decoração de aposentos no Vaticano.

Uma de suas primeiras, e mais famosas, obras desta fase é a “Escola de Atenas” produzida entre 1509 e 1511. Nesta obra o artista retrata sábios gregos como Aristóteles, Platão, Pitágoras, Ptolomeu e diversos outros.

No ano de 1513 o Papa Júlio II falece, e em seu lugar assume Leão X que concorda em Rafael dar continuidade a seus trabalhos. Por volta de 1515 o artista é nomeado arquiteto da cidade do Vaticano, e então, torna-se responsável por coordenar obras na Basílica de São Pedro. Ainda nesse período também torna-se responsável por projetos arqueológicos em Roma, como resultado disso elaborou um mapa arqueológico da cidade.

Características e técnicas

Rafael foi um artista completo desenvolvendo não apenas trabalhos com pinturas, mas também com tapeçarias, ornamentações, além de planos arquitetônicos como o da Igreja de Sant´Eligio degli Orefici. Durante essa época foi considerado um dos artistas mais influentes da Itália e chegou a ser cogitado pelo Papa para se tornar um Cardeal.

Entre as principais características de seus trabalhos estão o desenvolvimento de técnicas baseadas em destacar o cotraste das luzes, além disso, fazia uso do sombreado como forma de tornar mais real as curvas do corpo humano, imprimia em suas obras expressões humanas em contraste com figuras religiosas, exatamente como seus Mestres Michelangelo e Da Vinci.

O pintor morreu em 1520 no dia em que completaria 37 anos vítima de uma forte febre que gerou complicações. O corpo de Rafael Sanzio foi enterrado no Panteão, em Roma, na Itália.

Sua última obra, denominada Transfiguração, foi produzida no ano de 1517. Tornou-se famoso, em especial, por um conjunto de obras conhecido como Madonas (Maria em italiano) que retratavam a mãe de Jesus.

Curiosidades

Rafael Sanzio foi considerado um mestre das artes aos 16 anos. Estudiosos de sua vida, dizem que o pintor sempre foi muito precoce.

O jovem artista não se casou, contudo há indícios de que ele chegou a noivar com Maria Bibbiena, sobrinha de um cardeal. Mas a verdade é que Rafael foi apaixonado por uma jovem padeira, conhecida por “Formarina”, alguns estudiosos afirmam, inclusive, que o pintor teria morrido por excesso de amor, entretanto a existência dessas duas jovens nunca foi confirmada.