Resumo do Império Napoleônico


1) Império Napoleônico consolida a burguesia e expande interesses franceses pela Europa

2) Governo de Napoleão Bonaparte se dividiu em três períodos: Consulado, Império e Governo dos Cem Dias

Resumo do Império Napoleônico: O Império de Napoleão corresponde a uma época da história da França que se iniciou com o Golpe de Estado de 18 Brumário. O golpe pôs fim à Revolução Francesa e colocou em prática, na história do país, a inserção dos interesses da burguesia. De acordo com o calendário revolucionário da França, a data do golpe se deu no dia 18 de Brumário do ano IV. Segundo o calendário gregoriano, esse dia corresponde a 9 de novembro de 1799.

Desde então, a burguesia se consolidaria na França e se propagaria por toda a Europa. O período do Império Napoleônico só chegaria ao fim na Batalha de Waterloo, quando Napoleão é derrotado e precisa ficar exilado na Ilha de Santa Helena, no ano de 1815.

Império Napoleônico

Antes disso, Napoleão estaria no governo durante 15 anos. De 1799 a 1804, tem se o início da instauração do Consulado. De 1804 a 1814, a implantação definitiva do Império e, em 1815, o Governo dos Cem Dias.

Para que o Golpe do 18 Brumário se consolidasse, algumas alas da alta burguesia, como os girondinos, se juntaram com o exército para colocar um fim na situação instável que perpassava o país. Quando Robespierre foi derrubado, em 1794, a burguesia passou a tomar conta da Revolução. O governo novo recebeu o nome de Diretório e era formado por um colegiado de líderes.

No entanto, o Diretório sofria o tempo todo com problemas internos. Além disso, alguns grupos de tendência jacobina organizavam revoltas pelo país e o Diretório também enfrentava ameaças externas, vindas majoritariamente da Áustria. Esse país tinha interesse em restaurar a ordem monarquista. Era por isso que a burguesia necessitava de um governo forte e, isso só ocorreria se estivesse amparada no Exército. Assim, era possível manter a estabilidade da plebe e dos líderes radicais. Nesse contexto, tem-se o famoso golpe de 18 de Brumário.

Quando chegou ao poder, Napoleão iria se transformar em um dos cônsules, junto com Roger Ducos e o abade Sieyès. No entanto, quem centralizava o poder, por ser o primeiro-cônsul, era Bonaparte. Embora o Consulado se passasse por um governo republicano e democrático, Napoleão se encarregava de propor leis, controlar a política externa, nomear integrantes para a administração e, principalmente, comandar o exército.

Resumo do Império Napoleônico: Consolidação da burguesia, aniquilação das oposições e esmagamento de projetos de emancipação populares foram algumas marcas do Consulado. A ideia era reorganizar a economia e criar estabilidade na França. Como característica de mudanças financeiras, temos a criação do Banco da França. Com isso, tinha-se o padrão monetário do franco, que ajudou a controlar a inflação. Além disso, o banco fornecia financiamento à agricultura e à indústria.

O Código Civil Napoleônico foi criado, inspiração para posteriores códigos civis. Direitos da burguesia foram assegurados, como a liberdade individual, de consciência, de trabalho, igualdade perante a lei, Estado leigo e garantia de propriedade privada. No entanto, trabalhadores assalariados não foram contemplados pelo Código Civil Napoleônico. A escravidão foi reestabelecida nas colônias e os trabalhadores proibidos de se organizarem e realizarem greves.

O ensino recebeu algumas reformas. Liceus foram criados, direcionados principalmente aos oficiais do exército e ao funcionalismo público. No campo religioso, uma concordata foi firmada com o papa Pio VII a fim de harmonizar a relação entre a França e a Igreja.

Como resultado das obras realizadas, em 1802 Bonaparte é nomeado cônsul vitalício, decorrência do apoio de setores da elite francesa e também da aprovação popular.

Resumo do Império Napoleônico: A implantação do Império ocorreria após mobilização da opinião popular. Um plebiscito, feito em 1804, reestabelecia o regime monárquico e elegia Bonaparte para o trono. Desse modo, o imperador foi oficialmente nomeado Napoleão I em 2 de dezembro do mesmo ano. Vale salientar que esse Império consolidava poderes da burguesia, na da nobreza.

A expansão francesa tinha início. Em pouco tempo, o exército de Bonaparte se transformou no mais destacado de toda a Europa. Em contrapartida, os ingleses se preocuparam com esse domínio e organizaram coligações internacionais que tinham como objetivo conter a ampliação francesa.

Resumo do Império Napoleônico: No ano de 1805, Napoleão fracassou ao tentar invadir a Inglaterra. Se não funcionava de um jeito, deveria funcionar de outro. A ideia do imperador foi decretar o Bloqueio Continental, que previa o fechamento dos portos na Europa para o comércio inglês. Não deu certo, como esperava Napoleão, pois a França sozinha não foi capaz de suprir todo o mercado europeu.

A Rússia aderira ao Bloqueio através do acordo Paz de Tilsit. Uma crise econômica decaía sobre os russos. Por isso, o país teve que largar o Bloqueio Continental. Como represália, o exército de Bonaparte invade a Rússia nos anos de 1812. A campanha militar francesa na Rússia, contudo, seria um verdadeiro desastre.

Mesmo com um exército francês composto de mais de 600 mil homens, os russos saíram vitoriosos. As tropas de Bonaparte, ao avançar pelo território czarista, se deparavam com cidades e plantações incendiadas. Assim, a sobrevivência dos franceses estava ameaçada, pois esses não tinham como se alimentar. Além disso, o inverno rigoroso da Rússia também foi definitivo para que os franceses saíssem derrotados.

Napoleão recuou com um exército de aproximadamente 100 mil militares. Esse desastre deu coragem para que outros países resistissem à soberania francesa. Um exército de russos, prussianos, austríacos e ingleses se formou e invadiu Paris em 1814. A Coligação obrigou o Imperador a assinar o Tratado de Fontainebleau, pelo qual Napoleão perdia os direitos ao trono, se exilava no Mediterrâneo, a Ilha de Elba, mas ainda assim recebia uma pensão anual de dois milhões de francos. A dinastia dos Bourbouns foi recomposta com a ascensão de Luis XVIII ao trono francês.

Napoleão, contudo, não se deixaria vencer facilmente. Ele foge da ilha e volta a Paris em 1815. Aos gritos de “viva o Imperador”, a população o transformava em herói. Bonaparte se instala no trono e faz com que a família real fuja. Mas a glória seria de apenas cem dias. A coligação militar dos aliados se reorganiza e derrota Napoleão na Batalha de Waterloo. Dessa vez, Bonaparte é enviado para a Ilha de Santa Helena, onde permanece até morrer. Era o fim do Império Napoleônico.