Resumo do Liberalismo


Opositor do absolutismo, liberalismo prega individualidade e igualdade entre os seres

Doutrina aberta ao diálogo e que tem a tolerância como uma de suas principais características, o liberalismo prega a importância de cada integrante de uma sociedade e pode ser considerado do contraponto do absolutismo.

Seguido em diversos níveis, como por exemplo o político e econômico, a teoria prega a liberdade econômica e de pensamentos em todos os níveis e de todos os seres dotados de racionalidade. Entre suas principais questões de defesa estão processos como as eleições por meio do voto democrático, direitos civis, assim como liberdades em diversos níveis como: imprensa, religião e comércio.

Liberalismo

Com papel tão importante dentro da vida social, é importante então fazer um resumo do liberalismo.

Surgimento

Oposto ao absolutismo, que geralmente defende a monarquia e que reafirma a centralização do poder, garantindo que poderes políticos fiquem apenas em um segmento, pois são os melhores pensamentos a serem seguidos, o liberalismo nasceu na época iluminista, quando a doutrina a que se opõe tomava traços que delineavam uma tendência.

Logo em seu início, o liberalismo não defendia apenas as liberdades individuais, mas também a das populações, chegando inclusive a contribuir com questões polêmicas na Europa e América Latina, como a libertação nacional que surgiu no século XIX. Politicamente, as ações do liberalismo começaram durante as revoluções francesa e americana.

O liberalismo torna-se então a ideologia principal da burguesia e consegue predominar no século XIX, força política que se estendeu principalmente ao ocidente durante a I Guerra Mundial.

Pontos de Vista

O liberalismo pode ser aplicado:

– Na economia
– Na política
– Em aspectos sociais

Além de sua origem, também é importante entender neste resumo do liberalismo, quais são os pontos de vista e no que acredita a doutrina liberal.

Fundamentalmente, sempre existiu a crença no progresso das pessoas como indivíduos e como sociedade por meio de aspectos sociais, sempre questionando questões que eram impostas pelo Estado ou governo e abrindo a mente para novos tipos de pensamentos e questões sobre os direitos e caminhos que levaria a humanidade, de forma pessoal e também coletiva, a um caminho mais apurado e livre para alcançar o progresso.

Economicamente, as lutas dos que acreditam e seguem o liberalismo sempre se pautaram no combate à desigualdade social, inicialmente com ações voltadas a atender as demandas causadas pelo rápido crescimento demográfico e dificuldades deixadas pelas guerras a alguns povos.

Saiba mais sobre alguns pontos defendidos pelo liberalismo:

Individualidade: Prega que todos os indivíduos e não apenas o governo possuem liberdade e condições para pensar e agir em busca do benefício humano.

Governo limitado: Como já citado no item anterior, a liberdade dos seres é o principal ponto e por isso, pode se instalar uma diminuição do poder político, que deve ter suas ações e existências justificadas.

Estado de direito: Acredita e defende a igualdade entre todos os indivíduos, independentemente de sua classe, social, gênero, crença ou qualquer outra característica pessoal.

Livre Mercado: Proporcionado por meio de um contato, sem sofrer a interferência de políticos e sem basear-se nos interesses pessoais de alguns. É o contraponto aos modelos protecionistas e mercantilistas.

Outras aplicações

Alguns movimentos fortalecidos pelo liberalismo:

– Feminismo
– Igualdade Racial
– Grupos de defesa dos direitos civis

Além de ser aplicado em pontos como a economia, política e aspectos sociais, ainda existem outras correntes resultantes da doutrina e que devemos conhecer por meio do nosso resumo do liberalismo.

Diversos fundamentos da modernidade são pautados por princípios liberais, baseados muitas vezes em sua aplicação que conseguiu tirar forças de governos que eram fortes e fervorosos, como a monarquia e o absolutismo. Esses elementos tratam de direitos individuais como a liberdade de expressão e de associação, além de uma justiça independente e a não distinção entre povo e aristocracia.

Com essas mudanças, instala-se então a chamada ordem constitucional. Assim, o liberalismo também conquista diversos outros feitos, como o fim das políticas mercantilistas, monopólios e outras barreiras sobre as atividades econômicas. Tudo isso com a instalação dos mercados livres, que chegaram por meio do fim de estruturas econômicas que estavam instaladas em regimes monarquistas e absolutistas.

Nas décadas de 1960 e 1970, a busca pela expansão dos direitos civis proporcionou um fortalecimento muito significativo do feminismo, quando organizações feministas e liberais tomaram corpo efetivo. Além da igualdade de gênero, questões raciais também passaram a contar com mais campo e mais defensores para as suas lutas.

Também é importante abordar em nosso resumo do liberalismo, a ascensão do internacionalismo liberal que também foi conquistada após a Segunda Guerra Mundial, principalmente por meio da Liga das Nações. Desde então, alguns historiadores afirmaram que o liberalismo contribuiu para o mercado interno aonde o internacionalismo liberal se instalou.

Porém os mais críticos ao movimento acreditavam que essa internacionalização era praticada por democratas que jamais poderiam atingir o nível de qualidade oferecido pelas soberanias governamentais.