Resumo sobre Ciclopes


Os mitos da Grécia antiga são repletos de personagens fascinantes. É possível encontrar entre eles grandes deuses e heróis, tais como Zeus, Atena, Aquiles, Perseu, Hipólita, Hércules, entre outros. Assim como é também possível ler lendas sobre monstros e animais fantásticos, como por exemplo, a Medusa, o Pégasus e o Minotauro. Algumas dessas criaturas que constituem a vastidão do universo mítico dos antigos gregos são os ciclopes.

Resumo sobre Ciclopes

Nesse resumo sobre ciclopes, iremos conhecer algumas das principais características dessas criaturas, que participaram de grandes aventuras e combates na mitologia.
Os ciclopes eram gigantes de força descomunal e donos de excelentes habilidades de combate e luta. Apesar de tais características, eles se tornaram famosos nas antigas narrativas pelo fato de possuírem apenas um olho, grande e circular, localizado bem no centro da testa.
Inclusive, o termo grego “ciclopes” vem “ciclos”, que significa redondo e “opus”, que designa a palavra “olho”.

Conforme rezam as antigas lendas, os ciclopes são reunidos em três tipos. São eles:

– Urânios: São os filhos de Urano e Gaia. O primeiro era a divindade que personificava o céu, a segunda era a entidade que personificava a Terra.

– Sicilianos: São os ciclopes filhos de Poseidon, também conhecido pelos romanos como Netuno. Poseidon era o deus que controlava os mares e todas as criaturas que neles habitavam.
O ciclope siciliano mais famoso é chamado de Polifemo.

– Construtores: São os ciclopes oriundos de uma província conhecida como Lícia, região repleta de montanhas e que faz parte da Ásia Menor.
Vale salientar também que alguns desses ciclopes possuíam grandes habilidades como ferreiros e construtores de armas, inclusive alguns trabalhavam junto com Hefestos, o deus do fogo, forjando os raios de Zeus, a principal divindade do panteão grego.

Características dos ciclopes

Em um resumo sobre ciclopes é importante destacar que os Urânios compreendem a geração mais antiga dessas criaturas.

Entre os ciclopes Urânios é possível destacar três:

– Arges: Esse ciclope participou da famosa guerra conhecida como Titanomaquia, que foi a épica batalha entre os titãs (chefiados por Cronos) e Zeus, que comandava os deuses olímpicos. A Titanomaquia decidiu quem iria governar o universo grego. Zeus saiu o vencedor.

– Brontes: Também atuou na Titanomaquia. Brontes nutria um ódio profundo por Gaia e Urano.

– Estéropes: Esse ciclope também atuou na guerra entre os titãs e os olimpianos. Estéropes lutou ao lado de Zeus.
Na titanomaquia os ciclopes foram de grande auxílio, visto que, além da força física, se mostraram bons construtores de armas ao forjarem os raios de Zeus, o tridente do Poseidon e o elmo de Hades, deus do mundo subterrâneo, que utilizava o elmo para adquirir o dom da invisibilidade.

Os ciclopes e as suas aventuras

Nos poemas atribuídos a Homero, os ciclopes sicilianos eram considerados gigantes brutos, de comportamento agressivo e apto a entrarem em constantes conflitos com qualquer pessoa ou monstro mitológico, inclusive contra os deuses.

Alguns deles trabalham com atividades agrárias, vivendo como pastores e cuidando de rebanho. Já outros viviam no interior das montanhas atuando como ferreiros e fabricando armas.

Foi um ciclope que habitava as cavernas obscuras de uma montanha que se deparou com o famoso herói Ulisses, no poema Odisseia, atribuído a Homero.
De acordo com essa narrativa poética, Ulisses retornava para a sua terra após a épica Guerra de Troia. Durante o percurso, o herói e os seus companheiros de viagem encontram uma gruta habitada pelo ciclope chamado Polifemo. O encontro entre a criatura e a equipe de Ulisses não teve caráter amistoso. Na ocasião, Polifemo se mostrou cruel e sanguinário.

Ulisses utilizou da sua astúcia para contornar a situação. Assim ele declarou que o seu nome era “Ninguém”, bem como ofereceu todo o seu estoque de vinho para o monstro. Polifemo ficou embriagado e, em um momento de distração, teve o seu único gravemente ferido por Ulisses. Assim, ao ser auxiliado por outros ciclopes, apenas gritava que “Ninguém feriu o seu olho”, facilitando assim a fuga de Ulisses.

Ainda no resumo sobre ciclopes, é pertinente citar que essas criaturas até hoje fazem parte do imaginário popular, sendo várias vezes citados nas mais diversas narrativas contemporâneas.
Entre as recentes aparições dos ciclopes na moderna cultura popular, é possível citar:

– Percy Jackson: Tanto nos livros escritos pelo autor Rick Riordan, como nas produções cinematográficas, são citadas as presenças dos ciclopes. A saga de Percy Jackson é uma aventura literária destinada para o público infanto-juvenil e que tem como característica inserir os mitos da antiga Grécia para o ambiente urbano e contemporâneo das grandes cidades, por meio de aventuras protagonizadas por pré-adolescentes.

– X-Men: O personagem Scott Summers é considerado um dos principais integrantes da equipe de super heróis conhecida como X-Men. Summers recebe o apelido de Cyclops por que os seus poderes consistem em emitir rajadas de energia por meio de uma máscara circular semelhante a um olho localizada na sua testa.