Teogonia de Hesíodo


A Teogonia, poema épico composto pelo poeta grego Hesíodo, é junto com a Ilíada de Homero, um dos grandes pilares da literatura ocidental.

Se na Ilíada, o poeta Homero narra alguns eventos que antecederam o final da Guerra de Troia, na Teogonia o poeta Hesíodo narra os adventos que envolvem o surgimento dos deuses do Olimpo, a origem do mundo, dos monstros e dos seres que infestam a mitologia grega. É também possível afirmar que esse poema narra como a hierarquia do panteão mitológico da antiga Grécia, bem como narra como Zeus se tornou o líder das deidades do Monte Olimpo.

A Teogonia é um termo que vem do grego “Teo”, que é relativo a “deus”, junto com o termo “gonia”, relacionado ao sentido de nascimento. Sendo assim, “O Nascimento dos Deuses” se equipara em grandeza com a épica Ilíada, que supostamente foi composto por Homero, na mesma época.

Hesíodo

A Teogonia de Hesíodo foi composta no século VIII A.C. O poema não possui uma narrativa com um fio condutor ou um conflito envolvendo os personagens. A Teogonia é narrada pelo próprio autor, possui 1.022 versos hexâmetros a qual era forma de medida padrão dos poemas compostos naquele período.

A estrutura básica da Teogonia pode ser dividida em três momentos:
•A origem do mundo ou cosmogonia – Nessa etapa o autor narra como o caos primordial convivia com seres metafísicos como Hemêra (o Dia), Nix (a Noite), Eros (o Amor), Urano (o Céu), Gaia (a Terra).
•A origem dos deuses e seus descendentes – Nessa etapa Hesíodo relata que Urano e Gaia geraram os monstros conhecidos como Titãs, entre eles estão Cronos, o titã que se voltou contra o pai, casou com Reia e gerou seis filhos, entre eles Zeus.
•Zeus assume o poder – Nessa fase o poema mostra a Titanomaquia, que é a batalha que Zeus, auxiliado por seus irmãos e demais seres, derrotou os Titãs e os aprisionaram no Tártaro, local inóspito escondido nos locais mais obscuros e profundos da Terra.

Os deuses mitológicos da antiga Grécia

Com a Teogonia, o poeta Hesíodo estabeleceu uma ordem cronológica e hierárquica entre os deuses e demais entes metafísicos que preenchiam o imaginário grego.
Entre os seres fantásticos que estão na Teogonia de Hesíodo, há o que mais se destacam. São eles:

•Gaia: Divindade que representa a Terra. Gaia gerou Urano (o Céu) sozinha. Dessa relação entre Gaia e Urano surgiram os doze Titãs, sendo o mais novo deles conhecido como Cronos.

•Nix: É a deusa que representa a personificação da noite. Nix é filha do Caos (o ser primordial), irmã mais velha de Gaia. Nix possui dons proféticos e ela é temida até pelos deuses mais poderosos. Além disso, Nix é a divindade que gerou sozinha Moros (o Destino), Tânatos (a Morte), Hipnos (o Sono), entre outras entidades metafísicas.

•Eros: Na versão da Teogonia de Hesíodo, o deus Eros (que personifica a força atrativa e universal do amor) é filho do Caos. Eros, entre os romanos, é chamado de Cupido.

•Afrodite: Deusa do amor, da beleza e do sexo. Afrodite surgiu quando os órgãos genitais de Urano foram cortados por Cronos e jogados no mar. Da espuma gerada por eles nasceu a deusa. Afrodite também é citada na Ilíada de Homero. Essa deusa era conhecida pelos romanos pela alcunha de Vênus.

•Cronos: Um dos doze Titãs. Cronos casou-se com a própria irmã chamada Reia. O casal teve seis filhos e três filhas. As meninas eram Deméter, Héstia e Hera, já os três filhos eram Hades (deus do mundo subterrâneo), Poseidon (deus dos mares e possuidor de um tridente) e Zeus, o mais poderoso da hierarquia e possuidor dos raios das tempestades.

•Reia: Irmã e esposa de Cronos, Reia é considerada a deusa da fertilidade, pois é a mãe de vários deuses. A partir do momento em que o marido passou a assassinar os próprios filhos temendo que eles os retirassem do trono. Reia teve tempo de proteger o mais novo, Zeus.

•Zeus: Foi o deus que sobreviveu ao ato furioso do pai Cronos. Mais tarde Zeus trouxe os seus irmãos de volta para a vida, destronou o seu pai e se tornou o mais importante deus do panteão grego.

O poeta Hesíodo

Em uma época em que ainda a linguagem escrita era praticamente inexistente, as histórias e lendas eram narradas de forma oral. Nesse contexto, poetas como Hesíodo gozavam de prestígio e respeito.

Hesíodo viveu na Beócia, região central da Grécia. O poeta exerceu, em seu tempo, a atividade de pastor, atividade comum em um período onde a prática da agropastoril dominava a economia da sociedade.

Além da Teogonia, o poeta é autor de Os Trabalhos e os Dias, poema composto por mais de 700 versos, que possui um caráter quase didático ao relatar questões sobre a economia e o trabalho como fonte de renda.

Outros poemas atribuídos ao autor são O Escudo de Hércules, Catálogo das Mulheres, Ornitomancia, entre outros.