Barroco Brasileiro – Literatura


O estilo Barroco é de uma tendência no âmbito artístico que se desenvolveu nas artes plásticas e depois na música, na literatura e no teatro. Suas primeiras manifestações foram na Itália, em meio ao século XVII. Os países europeus foram os primeiros a vivenciar o estilo barroco, que só chegou no Brasil no século XVIII, junto com o nosso conhecido “período de ouro”.

No começo do século 18 foi a primeira vez que o Brasil presenciou o surgimento tão expressivo de uma literatura própria, já que o barroco se desenvolveu principalmente a partir dos escritores e artistas que nasceram no Brasil colônia.

Porém, no começo, a arte foi fortemente influenciada pelo barroco português. As maiores produções artísticas e barrocas brasileiras tiveram maior alcance nas cidades do estado de Minas Gerais, já que eram municípios mais ricos e com uma vida cultural e artística mais marcante e em constante desenvolvimento.

 Barroco Brasileiro

Em Minas Gerais, o artista que mais representou o barroco brasileiro foi Antônio Francisco de Lisboa. Também conhecido popularmente como Aleijadinho, o mineiro, arquiteto e escultor, tinha como característica a criação de obras confeccionadas em pedra sabão e em madeira (os materiais mais comuns no Barroco Brasileiro), sendo elas com um alto caráter religioso. Duas de suas obras de maior sucesso foram Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão.

O contexto histórico

Com o tempo, notou-se que não tinha como seguir a tendência do barroco português, já que este tinha as suas próprias características bem marcadas: uma pompa aristocrática e uma sociedade luxuosa. Enquanto isso, o território brasileiro passava por uma realidade bem diferente, marcada principalmente pela violência entre os índios, que eram perseguidos, e os negros, que eram escravizados.

No Brasil Colônia, o barroco começou a se desenvolver entre os anos de 1720 e 1750, já que foi esse o momento em que várias academias literárias começaram a surgir em todo o País. A primeira obra que marcou o início do barroco brasileiro foi “Prosopopeia”, de Bento Teixeira.

O principal “centro”, onde se concentrava a riqueza, foi em Minas Gerais e a produção artística do estado estava diretamente relacionado com a igreja.

Um pouco antes, houve duas invasões no País pela Holanda, uma em 1624, na Bahia, e outra em Pernambuco, apenas seis anos depois. Essa segunda foi mais forte e durou até 1654, exatamente na área em que a produção açucareira do País era realizada.

O Barroco surge, então, no meio de um contexto em que o Brasil precisava viver com base em seus esforços individuais, principalmente porque a disputa pelo poder do País chamava a atenção em todo o mundo.

Características únicas do Barroco Brasileiro

Já que não tinha a intenção de romper completamente com o Renascimento, o Barroco no Brasil foi capaz de expressar uma grande religiosidade em âmbito católico, sem deixar de lado a exploração dos sentimentos que marcavam a arte renascentista ainda presente nessa época.

Além da madeira e da pedra sabão, no Brasil também eram utilizados outros materiais como o barro cozido e o cedro para a confecção de suas principais obras.

As esculturas e obras barrocas no Brasil tinham algumas características bem únicas, principalmente na região de Minas Gerais: a movimentação dos corpos era expressa nas obras, assim como havia grande exploração de gestos dramáticos.
Os detalhes também eram bem explícitos principalmente por conta da inserção frequente de ícones e demais acessórios em meio às obras.

Dessa forma, era possível notar que o barroco brasileiro se desenvolveu a ponto de expressar, em suas obras, a própria experiência da fé humana com a ajuda de tais elementos. E foi exatamente com essas intenções que o barroco ganhou paredes e interiores de igrejas e de suas pinturas.

Se formos ver também do ponto de vista econômico, é certo de que a arte barroca em Minas Gerais surgiu em um cenário muito positivo com as riquezas da indústria mineradora. Sendo assim, foi a mineração que possibilitou a melhora socioeconômica de uma parte de população, que também gostava de se ocupar com arte, cultura, arquitetura e pintura – setores desenvolvidos pelo barroco.

Os principais artistas

Nas artes, quem mais se destacou foram os artistas Mestre Valentim e Manuel da Costa Ataíde, o primeiro mineiro e o segundo carioca. Em Salvador, o barroco brasileiro ganhou forte influência na decoração de igrejas, principalmente na Ordem Terceira de São Francisco e na Igreja de São Francisco de Assis.

Já o barroco brasileiro na literatura ganhou destaque com Gregório de Matos Guerra, um poeta que também ficou conhecido como “Boca do Inferno”. Na literatura barroca, também foi de grande influência o padre Antônio Vieira, principalmente por conta de seus grandes sermões.

Outros escritores que também merecem destaque são: Bento Teixeira, Frei Itaparica, Botelho de Oliveira, Sebastião da Rocha Pita e Nuno Marques Pereira, grandes nomes da literatura barroca brasileira tanto na poesia, como também na prosa.