Resumo da Literatura Brasileira


Literatura Brasileira tem autores memoráveis e características fortes

Detentora de um papel importante na grade educacional do nosso país, a literatura brasileira surgiu após fortes incentivos literários recebidos pelos jesuítas após o descobrimento do Brasil, no século XVI. Porém nossa identidade só foi se apurando durante os movimentos romântico e realista, no século XIX.

Neste resumo da literatura brasileira, pretendemos abordar os grandes escritores de nosso país, como Cecília Meireles, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade, entre tantos outros.

Literatura Brasileira

Escolas Literárias e seus períodos

Quinhentismo (século XVI)

Primeiro período de nossa literatura e iniciada junto ao processo de colonização, as obras criadas nesta época refletem bem essa influência. Por meio de seus poemas, autos, sermões, cartas e hinos, o catequista Padre José de Anchieta é um dos destaques do estilo.

Também nesta época, todas as informações deste novo lugar ( que era o Brasil) e todas as descrições da viagem eram repassadas no diário e também nas cartas que Pero Vaz de Caminha escrevia para dar informações essenciais sobre geografia e diversas características nacionais ao rei de Portugal.

Pero Vaz de Caminha era escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral e acabou se tornando um dos nomes importantes de nosso resumo da literatura brasileira na era do Quinhentismo.
Barroco ( século XVII )

Existente em uma época mais conflituosa e cheia de questões espirituais conflitantes, o Barroco foi influenciado pelo momento que o país vivia, assim como antes citado no caso do Quinhentismo.

A maioria das obras possuíam textos angustiados e com falta de compreensão entre as questões materiais e espirituais, enriquecendo assim o rico uso das figuras de linguagem.

Tomam lugar as poesias e críticas satíricas, como as escritas por Gregório de Matos Guerra, assim como as obras Prosopopeia, de Bento Teixeira e o Sermão de Santo Antônio, produzido pelo Padre Antônio Vieira.

Arcadismo/Neoclassicismo ( século XVIII )

Neste período literário, os conflitos saem de cena e dão lugar a obras objetivas e com predomínio da razão. Também se instala uma linguagem mais coloquial e menos rebuscada.

Instalada em uma época em que a burguesia vive um momento áureo, o neoclassicismo ou arcadismo traz em suas obras uma valorização pela vida simples e bucólica do campo e um êxodo das cidades. Assim como a idealização da natureza também ocorre a valorização literária da mulher amada.

Entre os autores destaque desta escola que podemos citar em nosso resumo da literatura brasileira estão Cláudio Manoel da Costa, Basílio da Gama, Marília de Dirceu de Tomás Antonio Gonzaga e Frei José de Santa Rita Durão.

Romantismo ( século XIX )

Acontecimentos como o desembarque da família real portuguesa no Brasil durante o ano de 1808, assim como a proclamação da independência de nosso país em 1822 impulsionaram um período mais moderno na literatura brasileira.

Entre as principais características das obras românticas estão a abordagem de fatos históricos, desejos criativos, culto a liberdade e mais uma vez, a idealização da mulher.

Nesta escola, os autores que mais se destacaram foram José de Alencar, que escreveu obras como “O Guarani” e Gonçalves de Magalhães, responsável por “Suspiros Poéticos e Saudades”, além de outros grandes nomes como Teixeira e Souza, Álvares de Azevedo, Junqueira Freire e Casimiro de Abreu.

Realismo/Naturalismo ( final do século XIX )

Podemos também afirmar neste resumo da literatura brasileira, que na metade final do século em que se consagrou, a escola literária romântica começou a enfrentar uma queda. Assim se inicia o Realismo ou Naturalismo.
Como o próprio nome diz, as obras da escola começam a se basear e a denunciar questões relativas a realidade do ser humano, como questões sociais e conflitos, por meio de artifícios como a ironia, linguagem simples, influências de personagens e realidades encontradas no cotidiano.

Brilhante e reconhecido até hoje como um dos maiores escritores da nossa literatura, Machado de Assis é o grande destaque, principalmente com o clássico “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, entre outros.

Porém, o realismo também conta com uma série de escritores que também representam muito bem a fase. Entre eles estão Raul Pompéia e Aluisio de Azedo.

Parnasianismo ( final do século XIX/ começo do século XX )

A linguagem rebuscada volta definitivamente à tona durante o Parnasianismo. Nele, os autores optam por valorizar textos extremamente descritivos e com linguagem culta.

Os temas já não são mais ligados ou baseados com a realidade, as poesias passam a retratar mitologia, produzindo arte pura, sem se preocupar com insatisfação com a realidade ou questões que rodeiam a existência humana.

Essa “despreocupação” rende aos seus representantes fama de alienados. Os principais deles foram Alberto de Oliveira, Vicente de Carvalho, Raimundo Correa e Olavo Bilac.

Simbolismo (final do século XIX)

A abstração presente no Parnasianismo também se mantém durante o Simbolismo, porém muda de padrão e é repleta de questões místicas e religiosas cheias de questões subjetivas.

Missal e Broquéis, do escritor João da Cruz e Souza é a obra inicial desta fase.

Pré-Modernismo (1902 até 1922)

É a escola que precede o modernismo, que só se inicia realmente no ano de 1922. Porém, desde 1902, obras de autores pré-modernistas como Euclides da Cunha, Monteiro Lobato e Lima Barreto já se destacam.

Nelas, estão contidas características como o positivismo, linguagem popular e a volta da temática dos problemas sociais.

Modernismo (1922 a 1930)

Iniciada em 1922 com o acontecimento da Semana de Arte Moderna, escritores como Mario de Andrade Alcântara Machado e Manuel Bandeira destacam-se abordando temas urbanos.

Em suas obras é possível notar um constante relato do cotidiano de maneira criativa e livre, pois usava se muito humor e escrita direta.

Neorrealismo (1930 a 1945)

Nesta fase, ocorre uma mistura entre temas como desigualdade social, mas também ainda existe lugar para as questões subjetivas, místicas e religiosas.
Destacam-se os autores Graciliano Ramos, José Lins do Rego, Raquel de Queiróz e Jorge Amado. Na poesia, os principais nomes são Cecilia Meireles, Vinícius de Moraes e Cecilia Meireles.