Resumo do Parnasianismo


Em 1822, quando o Brasil se tornou independente de Portugal, algo importante aconteceu para a Literatura e para as artes de um modo geral: elas também deixaram de ser tão condicionadas pelo que se produzia na Europa. Embora a literatura brasileira tenha sempre recebido influências do que vinha de fora, a partir de 1822, a tendência foi a produção de uma arte cada vez mais com a cara do país.

E é por isso que todas as escolas literárias que surgiram depois do Romantismo (que coincide com esse período de independência) são de extrema importância para o estabelecimento da nossa identidade cultural. Uma dessas escolas é o Parnasianismo, caracterizado pela produção de poemas e que coincide com o mesmo período do Realismo e do Naturalismo.

Parnasianismo

Acompanhe a seguir um resumo do Parnasianismo, com as suas principais características e obras.

Resumo do Parnasianismo – contexto e principais características

O Parnasianismo foi um movimento que surgiu na Europa, mais especificamente na França, na segunda metade do século XIX. Esse nome é um derivado do termo “Parnaso”, típico da mitologia grega, que designava um local, no alto de um monte, onde o deus Apolo se reunia com as musas da poesia para celebrar o belo e a estética.

Na França, esse movimento literário foi representado por muitos poetas, entre os quais se destacaram: José Maria de Heredia, Leconte de Lisle, Théodore de Banville e Théophile Gautier. No Brasil, o Parnasianismo teve grande adesão do público e da crítica, foi um movimento muito bem recebido, tanto que permaneceu forte até a ascensão do Modernismo, no ano de 1922.

Inclusive, outras escolas literárias que vieram depois do Parnasianismo e que traziam a produção de poesias, como o Simbolismo, tiveram muita dificuldade de aceitação, justamente porque os poetas parnasianos eram quase como se fossem “celebridades”, tamanha a admiração que se sentia por eles.

Vamos ver quais eram as principais características do Parnasianismo:

• Oposição ao Romantismo, rompendo com todo aquele sentimentalismo exacerbado que existia na poesia romântica. O Parnasianismo faz parte do momento de valorização da ciência e do chamado Positivismo;

• Objetividade acima de tudo. Os poetas parnasianos tratam os temas abordados nas poesias partindo sempre da realidade, deixando de lado a sua subjetividade e as suas próprias emoções;

• Valorização da beleza e da estética, aliás, os poemas parnasianos exaltam muito a questão da arte pela arte, sem ter aquele fundo de crítica social ou de expressar os sentimentos. Para eles, uma poesia merece ser escrita apenas para representar a beleza, seja de um vaso de flores, de uma paisagem ou de qualquer outra cena;

• Impessoalidade, ou seja, você não vai perceber a visão pessoal do eu-lírico interferindo na abordagem do tema;

• Preferência por sonetos, que são aqueles poemas de forma fixa: quatro estrofes, sendo as duas primeiras com quatro versos e as duas últimas com três versos;

• Linguagem mais rebuscada, com um vocabulário nitidamente culto. A métrica também é bastante valorizada, sendo que tudo isso é uma forma de deixar a poesia perfeita do ponto de vista estético;

• Os temas relacionados com a mitologia grega aparecem com frequência;

• O meta-lirismo também aparece bastante, ou seja, não é raro ver o poeta usando o poema para falar sobre o próprio processo de escrita, como se ele fosse um ourives que trabalha na confecção de uma joia. Isso é mais um reforço da objetividade, ao colocar a poesia como produto do trabalho e do esforço e não de uma inspiração;

• Não é raro ver a forma sendo considerada mais importante do que o próprio conteúdo. Não importa sobre o que se escreve, e sim como se escreve;

• A figura da mulher também é exaltada, mas de uma forma diferente da que era utilizada pelos expoentes do Romantismo. Os artistas parnasianos tratavam a mulher de uma forma mais sensual e erótica, não como uma criatura pura e inatingível;

• Valorização da descrição detalhada, seja de cenas ou de objetos.

Resumo do Parnasianismo – principais nomes brasileiros

Como dissemos anteriormente, o Parnasianismo foi um movimento que ganhou bastante força aqui no Brasil e isso se deve aos grandes poetas que se engajaram nessa forma de fazer arte. Três deles ganharam ainda mais destaque do que os demais: Olavo Bilac, Raimundo Correia e Alberto de Oliveira formavam a chamada Tríade Parnasiana.

Vamos ver agora um resumo do Parnasianismo em nomes, ou seja, os principais poetas que representaram o Brasil e as suas obras mais emblemáticas.

• Olavo Bilac: Poesias, Crônicas e Novelas, Tratado de Versificação, Dicionário de Rimas, Ironia e Piedade, Tarde, Crítica e Fantasia, Conferências Literárias.

• Raimundo Correia: Primeiros Sonhos, Sinfonias, Aleluias, Versos e Versões, Poesias.

• Alberto de Oliveira: Meridionais, Versos e Rimas, Poesias, Céu, terra e mar, O Culto da Forma na Poesia Brasileira.

• Vicente de Carvalho: Ardentias, Relicário, Poemas e Canções, Versos da Mocidade, Páginas Soltas, A Voz dos Sinos.

• Francisca Julia: Mármores, Livro da Infância, Alma Infantil.