Categorias da descrição gramatical segundo Azeredo


O livro Iniciação à Sintaxe do Português foi elaborado pelo professor José Carlos de Azeredo com o objetivo de analisar o modelo tradicional da forma sintática e descrever os rumos essenciais para seu estudo. A obra também visa encontrar soluções para a necessidade de um melhor aproveitamento tanto do aluno como do professor.

Categorias da descrição gramatical segundo Azeredo

O quarto capítulo do livro aborda as Categorias da Descrição Gramatical, por meio da análise de oito aspectos essenciais da sua concepção: frase e oração, hierarquia gramatical, classes de palavras, classes de sintagmas, transposição, oração, predicadores e processos sintáticos. A definição de cada um é importante para a categorização geral das classes. Vamos analisar todos para entender como o processo se dá.

Primeiros conceitos

Antes de definir oração e frase, Azeredo recorre ao conceito de texto. Segundo o autor, o texto é conceituado de acordo com uma unidade de comunicação, e, nesse sentido, dizemos que ele é uma entidade pertencente ao discurso. A Frase, então, é o texto mais curto possível, e pode ser declarativa ou não. Quando se tratam de frases indicativas (como a da placa “saída à direita”), exclamativas, imperativas e interrogativas não retóricas elas fecham-se na situação enunciada. Ou seja, não fogem o seu referencial exposto.

Mas se as frases são declarativas, vão para o domínio da Oração, que possui uma estrutura bimembre: sujeito (o tema a que se refere) e predicado (verbo e complemento com os quais se declara). Nesse caso, as orações podem ser interpretáveis sem o próprio respaldo, ou seja, alheias ao contexto situacional a que se referem.

Azeredo explica que a hierarquia gramatical no português comporta vários níveis, cada um com um tamanho de unidade. São eles: sintagma, vocábulo, oração, período e morfema. A análise gramatical é, basicamente, a tarefa de identificar cada uma dessas unidades e as regras que as possibilitam combinarem-se entre si. O autor considera que os sintagmas são as unidades primordiais da análise sintática, já que é por meio deles que as orações são formadas. Apesar disso, não há uma área de estudo específica para eles, ao contrário das orações, morfemas e vocábulos. Segundo ele, aqui reside um problema para as Categorias da Descrição Gramatical.

As definições a partir das classes de palavras

As Classes das Palavras são definidas de acordo com suas propriedades sintáticas, semânticas, e morfológicas. As palavras de um idioma se enquadram em dois grupos: nocionais e instrumentos gramaticais. As primeiras referem-se a seres e ações, reais ou imaginários, e os segundos têm um papel estruturador, e por isso mesmo são chamados de “gramaticais”.

Por exemplo, as palavras inseto, comer, lagoa, cair e peixe podem ter algum sentido se tomadas em conjunto, como uma frase estruturada. Mas não será declarativa, explicita ou clara. O conjunto de palavras só se tornará uma frase com sentido se lhe inserimos alguns instrumentos gramaticais, como as palavras esses, o, que, na. Veja o exemplo da união:

  • Esses peixes comem os insetos que caem na lagoa

Dentro desse contexto, os nomes, conectivos, locuções conjuntivas, artigos e numerais são essenciais para as classes fundamentais.

Em relação aos Sintagmas, há cinco classes:

  • Sintagma adjetivo (SAdj)
  • Sintagma verbal (SV)
  • Sintagma adverbial (SAdv)
  • Sintagma preposicional (SPrep)
  • Sintagma nominal (SN)

Embora sejam elementos importantes para a análise sintática, Azeredo não considera essencial ao estudo das Categorias de Descrição Gramatical. Os sintagmas precisam ser formados através de um processo chamado Transposição, que também constitui e distribui os seus elementos formadores. Os constituintes da oração de um sintagma e suas funções em uma oração são preservados se eles são transpostos.

Em relação à Oração, ela possui um eixo essencial: o verbo. Toda oração possui um predicado e um verbo predicador ou transpositor. Seu conceito pode ser confundido com o de período, pois esse pode funcionar como frase por possuir pelo menos uma oração. Mas a diferença é que o período possui duas ou mais orações que se ligam coordenativamente.

O elemento indispensável em qualquer oração é o predicado, que possui em sua estrutura um componente lexical e um componente gramatical. O Predicador é o componente lexical do predicado, sendo o componente gramatical o responsável por unir categorias de aspecto, tempo, número, pessoa e modo. Quando um verbo reúne em uma mesma forma concreta os dois componentes, lexical e gramatical, damos a ele o nome de verbo predicador.

Azeredo completa as Categorias da Descrição Gramatical explicando o fundamento dos Processos Sintáticos. Ele explica que em um discurso há uma associação semântica entre palavras, sintagmas e orações. Elas podem ser intuídas pelo locutor e o receptor através de fatores extralinguísticos ou explicitadas pela coesão textual. Nessa segunda maneira há o emprego de pronomes pessoais, transpositores, possessivos e demonstrativos, concordância, advérbios, etc.

Tanto as associações intuídas como as explicitadas podem ser estabelecidas entre as constituintes de uma oração (nesse caso são fundamentalmente sintáticas) ou entre as orações mesmas (e nesse caso são fundamentalmente discursivas stricto sensu).