Advérbio ou Pronome Indefinido?


Advérbio

Advérbio é a categoria gramatical das palavras que transformam um adjetivo, um verbo ou também outro advérbio. Ocasionalmente transforma um substantivo. É a expressão invariável que mostra as situações onde acontece a atividade verbal.
Somente os advérbios de lugar, intensidade e modo são flexionados, sendo que todos os outros são invariáveis. A única flexão que realmente há na classe dos advérbios é a de grau.

adverbio ou pronome indefinido

Classificação
Conforme a situação que apresenta, o advérbio pode ser:
– Tempo: logo, hoje, primeiro, tarde, ontem, amanha, outrora, cedo, depois, dantes, ainda, antes, antigamente, nunca, doravante, então, jamais, ora, agora, já, sempre, enfim, amiúde, afinal, breve, entrementes, constantemente, imediatamente, provisoriamente, primeiramente, sucessivamente, à tarde, às vezes, à noite, de repente, de manhã, de vez em quando, a qualquer momento, de quando em quando, de tempos em tempos, hoje em dia, em breve.
– Lugar: antes, aqui, dentro, ali, fora, adiante, acolá, além, atrás, lá, aquém, detrás, cá, onde, acima, perto, abaixo, aí, aonde, debaixo, longe, algures, nenhures, defronte, adentro, alhures, afora, nenhures, embaixo, aquém, à distancia, externamente, à distancia de, de perto, de longe, em cima, à esquerda, à direita, em volta, ao lado.
– Modo: mal, bem, assim, melhor, adrede, pior, acinte, depressa, debalde, às pressas, devagar, às claras, à toa, às cegas, à vontade, aos poucos, às escondidas, desse jeito, dessa maneira, desse modo, em geral, lado a lado, frente a frente, de cor, a pé, em vão, e a grande maioria dos que terminam em –mente: tristemente, calmamente, propositalmente, amorosamente, pacientemente, docemente, bondosamente, escandalosamente, generosamente.
– Negação: nem, não, nunca, de modo algum, jamais, de forma nenhuma, de jeito nenhum, tampouco.
– Afirmação: certamente, sim, realmente, efetivamente, decerto, certo, deveras, decididamente, indubitavelmente.
– Dúvida: porventura, acaso, possivelmente, quiçá, provavelmente, talvez, por certo, casualmente, quem sabe.
– Intensidade: demais, muito, pouco, em excesso, tão, bastante, demasiado, mais, quanto, menos, quão, assaz, tanto, que, nada, tudo, todo, de todo, quase, de muito, extremamente, por completo, intensamente, bem, grandemente.
– Inclusão: até, ainda, mesmo, também, inclusivamente.
– Exclusão: exclusivamente, apenas, salvo, somente, senão, simplesmente, unicamente, só.
– Ordem: primeiramente, depois, ultimamente.

Grau do advérbio
Os advérbios, apesar de fazerem parte da classe de expressões invariáveis, podem possuir variações quanto ao seu grau. Fora o grau normal, o advérbio pode se manifestar no grau superlativo e no comparativo.
– Grau superlativo: quando a situação manifestada pelo advérbio mostra-se acentuada. O grau superlativo pode ser constituído pelo método sintético, com a adição de um sufixo, ou pelo método analítico, quando outro advérbio mostra o grau superlativo.
Ex:
Superlativo sintético: Dormi tardíssimo
Superlativo analítico: Dormi muito tarde
– Grau comparativo: quando a situação manifestada pelo advérbio mostra-se com relação de semelhança. O advérbio não se flexiona no grau comparativo. Para mostrar esse grau são usadas as formas mais…que, tão…quanto, menos…que. Ele pode ser de três formas: comparativo de superioridade, comparativo de igualdade e comparativo de inferioridade.
Ex:
Comparativo de superioridade: Dormirei mais cedo que você
Comparativo de igualdade: Dormirei tão cedo quanto você
Comparativo de inferioridade: Dormirei menos cedo que você

Pronome indefinido

São expressões que pertencem a terceira pessoa da oração, oferecendo-lhe sentido impreciso ou manifestando quantidade imprecisa.
Ex:
Alguém entrou na casa e destruiu todos os móveis.
Não é difícil notar que “alguém” mostra a pessoa de quem se fala de maneira vaga, imprecisa. É uma expressão que tem a capacidade de mostrar uma pessoa que de certa forma existe, porém cuja identidade não se conhece ou não se quer apontar.

Os pronomes indefinidos podem ser classificados em:
Pronomes indefinidos adjetivos: classificam um ser apresentado na oração, concedendo-lhe o sentido de quantidade similar. São eles: certo (s), cada, certa(s).
Ex:
Cada comunidade tem seus hábitos.
Certas pessoas atuam em diferentes profissões.

– Pronomes indefinidos substantivos: Adquirem o lugar do individuo ou da quantidade próxima de indivíduos da oração. São eles: alguém, algo, fulano, beltrano, sicrano, nada, outrem, ninguém, tudo, quem.
Ex:
Alguém lhe incomoda?
Ninguém está aqui.

É possível observar que, em certas situações, algumas expressões podem ser ora pronomes indefinidos adjetivos e ora pronomes indefinidos substantivos. Como:
Alguns, algum, alguma(s), demais, bastante(s), mais, muito(s), menos, muita(s), nenhuns, nenhum, outro(s), nenhuma(s), outra(s), pouca(s), pouco(s), quaisquer, qualquer, qual, quanto(s), que, quanta(s), tal, tanto(s), tais, tanta(s), todo(s), um, toda(s), uns, vários, uma(s), várias.
Ex:
Mais ações e menos palavras.
Alguns se satisfazem com pouco.

Os pronomes indefinidos podem ser separados em invariáveis e variáveis.
– Variáveis: alguma(s), algum(s), nenhuma(s), nenhum(s), toda(s), todo(s), muita(s), muito(s), pouca(s), pouco(s), vária(s), vário(s), tanta(s), tanto(s), outra(s), outro(s), quanta(s), quanto(s).
– Invariáveis: ninguém, alguém, outrem, nada, tudo, cada, algo.

Há também, locuções pronominais indefinidas:
Cada um, cada qual, qualquer um, quem que, quantos quer, seja quem for, todo aquele, seja qual for, tal qual, tal ou qual, tal e qual, uma ou outra, um ou outro.
Ex:
Cada um escolheu a sua bebida.