Formação das palavras: Derivação


A língua portuguesa é uma das mais difíceis de aprender. Por mais que os brasileiros achem que o mandarim é uma língua difícil, o português está no mesmo nível de dificuldade que o idioma oriental. Existem centenas de regras e suas exceções que acabam confundindo quem precisa aprender esta língua para se comunicar.

Uma das características mais interessantes da língua portuguesa é a formação de muitas das suas palavras. Existem as chamadas palavras primitivas, que não foram formadas por nenhum tipo de processo, ou seja, elas simplesmente existem. Porém, existem milhares de outras palavras que são formadas a partir destas palavras primitivas. Veja um exemplo bem claro desta situação:

– A palavra “tarde” é uma palavra primitiva, ou seja, não foi formada a partir de nenhuma outra. Já a palavra “entardecer” é outra palavra, criada a parti da palavra primitiva “tarde”.

Derivação

Esta criação de uma palavra a partir de outra é chamada de Formação de Palavras e o processo empregado neste caso foi uma Derivação. A derivação é um processo de formação de palavras que inclui sufixos e prefixos para criar novas palavras. Existem algumas situações onde há derivação. Algumas delas são bem específicas. Veja:

• Por prefixação: esta é uma forma de derivação que envolve a inclusão de um prefixo (termo que vem antes da palavra primitiva) ao termo primitivo. Exemplos:
– Desabotoar (prefixo “des”; palavra “abotoar”)
– Incrédulo (prefixo “in”; palavra “crédulo”)
– Infraestrutura (prefixo “infra”; palavra “estrutura”)

• Por sufixação: a derivação de palavras por sufixação é aquela que cria uma palavra por meio da inclusão de um sufixo após a palavra primitiva. Exemplos:
– Normalmente (sufixo “mente”; palavra “normal”)
– Observando (sufixo “ando”; palavra “observa”)
– Sulforoso (sufixo “oso”; palavra “sulfúrico”)

• Derivação parassintética: neste caso, a palavra formada pelo processo de derivação é criada a partir da inclusão de um sufixo e de um prefixo ao mesmo tempo. Exemplos:
– Amanhecer (sufixo “cer”, prefixo “a”, palavra “manhã”).
Em todo caso de derivação de palavras por meio de uma parassíntese é necessário que, ao retirar o sufixo ou o prefixo, a palavra formada não faça sentido. Caso a palavra formada após a retirada do sufixo ou do prefixo faça sentido e exista na língua portuguesa, a derivação não foi parassintética, mas sim, sufixal e prefixal.

• Derivação regressiva: esta é uma forma peculiar de derivação de palavras para a criação de outras. Em muitos casos não ocorre exatamente uma redução da palavra original, mas a substituição de uma letra por outra. Veja estes casos:
– castigar se torna castigo;
– bajular se torna bajulação;
– morrer se torna morte.
Em todos estes casos houve a transformação de um verbo em substantivo. Esta é a situação mais clássica da derivação por regressão, mas existem outros casos.

• Derivação por conversão: a derivação neste caso é a mais simples, mas a que pode mudar completamente o rumo de uma conversa. A derivação por conversão mantém a palavra em sua forma original, mas altera seu sentido e classe gramatical. Veja:
– Você já pode jantar.
Neste caso, a palavra “jantar” é um verbo. Agora veja esta outra frase:
– O jantar estava uma delícia.
A palavra “jantar” nesta frase é um substantivo. Ou seja, houve uma derivação de palavras por conversão. Existem centenas de casos de verbos da língua portuguesa que se tornam substantivos em algumas situações.

Importância de se aprender sobre derivação de palavras

A formação de palavras por derivação é o tipo mais comum na língua portuguesa. Existe ainda a formação de palavras pelo processo de composição, mas este é um tipo que lida com as palavras de outras formas. É importante que as crianças aprendam desde pequenos sobre a formação de palavras para que consigam distinguir os termos que utilizam na sua comunicação. Assim, quando estiverem nas séries mais a frente na sua educação escolar, poderão desenvolver textos e redações mais coerentes.

Isso significa que a educação das crianças deve começar em casa, com os pais já dando as primeiras noções de língua portuguesa ao filho desde pequeno. Isso facilita o aprendizado da criança durante as primeiras séries de sua educação escolar. Ao entrarem na escola despreparadas, as crianças têm dificuldades para entender certos conceitos, inclusive de outras matérias. Tendo uma educação desde casa, é possível melhorar a forma como elas assimilam as informações.

Ao terem total noção de como formar novas palavras na língua portuguesa pelo processo de derivação, é possível ampliar ainda mais o vocabulário. Mesmo para quem não trabalha com edição e redação de textos de quaisquer tipos, é importante ter um vasto vocabulário, principalmente se tratando de nossa língua mãe. Muitas pessoas se esforçam para aprender a falar e escrever em inglês, mas não conhecem totalmente a própria língua. Entender a formação de palavras é primordial para conhecer seu próprio idioma e por isso, quem puder e tiver a possibilidade de aprender mais sobre este assunto, que o faça: saber a língua portuguesa é dar valor as suas origens.