Ponto e vírgula


O ponto serve para finalizas, a vírgula, para fazer uma interrupção, e o ponto e vírgula (;)? Mas não é claro?

Justamente por ser tão claro, o ponto e vírgula é centro de muitas interrogações, dúvidas, reticências e exclamações.

Um fato é fácil de perceber: ele insinua uma parada extensa, isto é, é moderador entre o ponto (interrupção final) e a vírgula (pausa leve).

É curioso perceber que não existe uma norma que imponha a utilização do ponto e vírgula. Quem resolve se vai ou não usá-la é o próprio escritor, de acordo com a necessidade, quando necessitar estruturar melhor os elementos de uma oração, determinando as partes mais longas com o ponto e vírgula e as mais curtas com apenas a vírgula. É também usado quando existe o emprego extenuante da vírgula, para o mesmo ofício mencionado anteriormente.

Ponto e vírgula

Utilização do ponto e vírgula

1)Em situações e contagem de itens, ou em situações de um esclarecimento que inclua elementos, normalmente encontrados em recitas, livros didáticos, manuais de instrução, textos jurídicos, etc.

Ex:

– “Deveremos abordar, nessa assembléia, os seguintes itens:

a) cursos a serem disponibilizados, no próximo ano, aos nossos subordinados;

b) propósitos a serem alcançados;

c) sistema de aprendizagem e meios audiovisuais;

d) renda necessária.

– Art. 2º O aluguel de imóvel urbano legitima-se pelo posto nesta Lei. Parágrafo exclusivo. Permanecem legitimados pelo Código Civil e pelas leis especiais:

a) os alugueis:

1. de imóveis de posse da União, de suas autonomias e fundações públicas, e dos Estados dos municípios;

2. de vagas independentes de garagem ou de lugares para estacionamento de veículos;

3. de lugares reservados a publicidade.

2) Quando ocorre a exclusão de um verbo, sinalizada pela vírgula, se ocorrer um intervalo antes do sujeito está será é indicada pelo ponto e vírgula.

Ex:

– “Na linguagem escrita é o leitor; na fala, o ouvinte.”

– “Nas civilizações limitadas ou anônimas há problemas: nessas, porque a ocorrência de cobrança é maior; naquelas, porque as obrigações são totais.”

3) Na utilização exagerada da vírgula em um intervalo longo. Nessa situação usa-se o ponto e vírgula para desmembrar as orações, e a vírgula para outras interrupções do meio das orações.

Ex:

– “A inclusão dos computadores pode ocasionar dois resultados: um, de origem econômica, é a diminuição de custos; o outro, de provocações sociais, é a desocupação de funcionários.”

– “De vez em quanto, também a gente tem o conforto de saber que certas coisas que se dizem por acaso auxiliaram alguém a se harmonizar consigo mesmo ou com a sua vida; sonhar um pouco, a identificar uma vontade de realizar coisas boas.”

4) Para determinar interrupções entre orações, quando se mistura algumas conjunções entre as mesmas.

Ex:

– Quero sair mais com você; uma vez que um casal precisa possuir boas amizades.

– Eles sabiam de tudo o que acontecia no colégio interno; porém, como já era de se imaginas, nunca fizeram nada. Essa não é uma situação obrigatória.

– Ele chegou adiantado, como de costume; por conseqüência, testemunhou a cena desde o principio.

– Amanhã é dia de exame; contudo não comecei a estudar ainda.

5) Quando não existe a necessidade gramatical da utilização do ponto e vírgula, ele pode ter a atividade textual de acentuar o significado adverso da conjunção ou de desmembrar orações coordenadas evidenciando o significado antitético entre as duas.

Ex:

– Muitos se esforçam; porém, poucos conseguem;

– O coronel não temia o que lhe podia ocorrer; os soldados, sempre.

– Uns trabalham; outros descansam.

– Se dirigir, não beba; se beber, não dirija.

Linguagens de programação

Em certas linguagens de programação de computar, como, por exemplo, C++, C#/CSharp e Java, o ponto e vírgula é usado para desmembrar as instruções que compõem um programa de computador, ao mesmo tempo que em outras esse caractere tem atividades diferentes, como, por exemplo, Assembly, no qual o ponto e vírgula é usado para assinalar uma porção do código que o programa não deve realizar ou interpretar.