Pronomes Demonstrativos: Variáveis X invariáveis e Exemplos


Em primeiro plano, você sabe o que são os pronomes?

Pronomes são caracterizados como termos/palavras que possuem algumas metas específicas. Geralmente eles são utilizados para indicar a situação de determinados objetos ou de pessoas, no contexto do texto ou no próprio espaço/tempo.

Os pronomes demonstrativos, por sua vez, são aqueles capazes de nos indicar qual é o lugar que um objeto ou uma pessoa se encontra. Dessa forma, a posição dos mesmos em relação ao discurso se torna possível.

Pronomes Demonstrativos

No que diz respeito a essa localização, devemos destacar que ela pode estar presente no espaço, no tempo ou até mesmo no próprio discurso do indivíduo.

O principal intuito dos pronomes demonstrativos é dar maior ênfase para alguma expressão, por meio do reforço de algum termo que já foi falado anteriormente, por exemplo.

Variáveis X invariáveis

Os pronomes demonstrativos nos ajudam a identificar quem é que está falando, com quem, ou de quem se fala. Além disso, eles podem ser tanto variáveis quanto invariáveis no que diz respeito tanto ao gênero, podendo ser tanto feminino quanto masculino, como também varia em relação ao número, no singular ou plural.

Os pronomes demonstrativos considerados variáveis são:

• Para a primeira pessoa, os pronomes: este/estes, esta/estas;

• Para a segunda pessoa: essa/essas, esse/esses;

• E para a terceira pessoa: aquele/aqueles e aquela/aquelas.

Já os pronomes demonstrativos invariáveis, também utilizados com muita frequência na língua portuguesa são:

• Para a primeira pessoa o pronome: isto;

• Para a segunda pessoa, o pronome: isso;

• Por fim, para a terceira pessoa o pronome: aquilo.

Pronomes demonstrativos + preposições

Os pronomes demonstrativos também são encontrados com facilidade na nossa língua com as preposições.

São três os tipos de preposições utilizados:

• Preposição em, utilizada em neste/nesta, nisto, nesse, naquele/naquela, naquilo;

• Preposição de, encontrada em disto, desta/deste, desse/dessa, disso, daquela/daquele, daquilo;

• E por fim a preposição a, que é utilizada com a crase: àquela/àquele e àquilo.

Alguns exemplos simples são:

Não gosto disso que está comendo;

Você pode entregar o seu resultado àquele instrutor;

Minha mãe e pai moram nesta residência.

Regras para o uso dos pronomes demonstrativos

Os pronomes demonstrativos utilizados com maior frequência na língua portuguesa são: esta/este(s), isto, nesta/neste(s), deste/desta(s).

Para a utilização dos mesmos em frases, é necessário atentar para algumas regrinhas bem básicas. Em primeiro plano, eles só podem ser utilizados quando aquilo que se demonstra está próximo do indivíduo que está falando, ou então, no mesmo tempo presente. Além disso, também pode ser utilizado para se referir a algo que será mencionado a seguir.

Alguns exemplos:

Este aparelho de celular é muito bom;

Esta fazenda na próxima rua é do meu pai;

Esta pulseira que uso era da minha avó.

O uso dos pronomes esse/essa(s), nesse/nessa(s), desse/dessa(s) e isso podem ser utilizados quando aquilo que estamos falando está longe do indivíduo que fala, e sim, próximo daquele com quem estamos falando, ou seja, o nosso ouvinte ou a pessoa que estamos nos referindo.

Além disso, eles também podem ser utilizados para se referir a algo já dito anteriormente no mesmo discurso.

Alguns exemplos podem ser:

Papai, me passa essa panela de arroz?

Ou

Esse lápis ai no canto é seu.

Já os pronomes demonstrativos aquilo, aquela ou aquele são aqueles que podem ser empregados para coisas ou para seres que estão distantes tanto do ouvinte como também do falante, ou seja, não estão próximos nem da primeira e nem da segunda pessoa.

Um bom exemplo seria:

Aquele apartamento parece ser bem confortável.

Além disso, outras palavras que também são consideradas como pronomes demonstrativos estão tão presentes em nossa rotina que, muitas vezes, nos esquecemos que elas também possuem regras para o uso. Esses pronomes são: o/a, mesmo, semelhante, próprio e tal.

Pronomes pessoais como é o caso de o(s) e a(s) são considerados demonstrativos toda vez que são também equivalentes a aquilo, aquele ou aquela.

Na frase: “Não posso aceitar o que foi dito na reunião”, o “o” poderia ser facilmente substituído por ‘aquilo que’.

Outro exemplo: “Não entendo o que ela disse”. (Se referendo a aquilo que foi falado).

Além disso, geralmente esses pronomes são acompanhados das palavras “qual” ou “que”.

Já os pronomes demonstrativos mesmo/mesma(s) ou próprio/própria(s) são utilizados principalmente com o intuito de reforçar os pronomes pessoais ou então para fazer referência a algo que já foi dito anteriormente.

Alguns exemplos simples para entender bem:

“Ele mesmo decidiu ir para aula”.

Ou

“Os próprios alunos escreveram as respostas no quadro-negro”.

Os pronomes demonstrativos ‘semelhante’ e ‘semelhantes’ ou ‘tal/tais’ são aqueles que se referem a um nome já dito antes e podem oferecer ou um sentido incompleto por meio do uso de semelhante como totalmente completo, com o uso do tal.

Eles substituem alguns pronomes relativos como é o caso de esse/essa, aquilo/aquele/aquela, isso, estes/estas/isto.

Confira um exemplo:

“Em tais escolhas, temos que manter nosso pensamento positivo”.

Eu não tenho o semelhante cuidado (aquele cuidado).