Pronomes Indefinidos


A língua portuguesa é um dos idiomas mais complicados do mundo. Não é à toa que pessoas que tem como língua materna o inglês, por exemplo, têm tanta dificuldade em entender todas as regras gramaticais que compreendem a formação da comunicação em português. Uma destas classes é a dos pronomes indefinidos.

A utilização dos pronomes indefinidos é feita em sentenças onde o sujeito não é conhecido e está na terceira pessoa. É como se os pronomes indefinidos generalizassem a presença do sujeito ou supusesse a sua existência. Veja o exemplo:

– “Alguém veio aqui e pegou os meus docinhos”.

Pronomes

Neste caso, o pronome indefinido “alguém” indica que uma pessoa pegou os doces da outra, mas não se sabe ao certo quem foi esta pessoa. É exatamente neste tipo de situação que os pronomes indefinidos são utilizados na língua portuguesa. Existem várias regras gramaticais para a utilização dos pronomes indefinidos e suas diferentes formas. Veja agora como utilizar os pronomes indefinidos de forma correta.

Regras dos pronomes indefinidos

Alguns pronomes indefinidos podem assumir outras classes gramaticais dentro de uma frase. Veja o caso do pronome “certo”:

– “Certas pessoas precisam aprender a manobrar o carro”.

– “Você é a pessoa certa para este serviço”.

Veja que na primeira frase a palavra “certas” faz o papel de pronome indefinido, já que a pessoa não especifica quem exatamente deve aprender a manobrar o carro. Já na segunda frase, a palavra “certa” é um adjetivo para o substantivo que vem antes dela. A regra diz que, quando esta palavra vem antes do substantivo, então é um pronome indefinido. Se vier depois, é um adjetivo.

Um dos pronomes indefinidos mais comuns é a palavra “algum”. Porém, é necessário respeitar uma regra específica deste pronome em determinadas situações. Veja estas duas sentenças:

– “Algum objeto me pertence”.

– “Medo algum me fará desistir”.

Na primeira frase, o pronome indefinido “algum” está indicando que ela possui sentido afirmativo. Já na segunda sentença é fácil identificar o sentido negativo que a palavra “algum” impõe. Neste caso, a expressão “medo algum” pode ser substituída por “nenhum medo”, situação em que fica mais fácil a identificação do sentido negativo da frase.

A palavra “cada” também é um pronome indefinido e só pode ser utilizada quando estiver relacionada a um numeral ou a um substantivo. Veja o exemplo:

– “Cada professor teve sua chance”.

– “As frutas foram distribuídas e foi possível dar duas laranjas para cada um”.

Os dois casos estão descritos nestas duas sentenças. Na primeira, a presença de um substantivo ao lado da palavra “cada” certifica que a frase está correta. Na segunda frase, “cada” está relacionada às pessoas que receberam duas laranjas.

Pronomes indefinidos negativos são muito utilizados na língua portuguesa. Entre os principais estão: “nenhum”, “nada”, “ninguém”, entre outros. O pronome “nada” pode assumir a forma de advérbio em algumas situações. Veja os exemplos:

– “Nada disso pode ser resolvido”.

– “Os alunos não estão nada interessados nesta aula”.

A primeira oração mostra a palavra “nada” desempenhando o papel de pronome indefinido, já que a palavra exprime a ideia de que nenhuma coisa pode ser resolvida. Na segunda sentença, no entanto, a palavra “nada” está na sua forma de advérbio de negação.

Outro caso de transformação de um pronome indefinido em advérbio é com a palavra “todo”. Veja estas duas sentenças?

– “Todo cão é amigo do homem”.

– “A menina comeu o bolo todo”.

A primeira situação indica que qualquer cão é amigo do homem, o que dá a ideia de imprecisão ao número de cães que amigos dos homens. Já na segunda sentença, a palavra todo é um advérbio de quantidade, indicando que o bolo inteiro foi comido pela menina.

Há situações em que é necessário utilizar pronomes indefinidos em frases interrogativas. Tais pronomes podem estar presentes sozinhos na frase ou numa locução pronominal indefinida. Veja alguns exemplos:

– “Qual destas mulheres é a escolhida?”.

– “Quantos poderão participar desta aula?”.

-“Quem de vocês pode me ajudar?”.

Os pronomes “qual”, “quantos” e “quem” são utilizados em frases com sentido interrogativo. Com outros termos, elas podem formar locuções pronominais como: “quem quer que”, “seja quem for”, “tantos quantos”, “seja qual for”, entre outras.

Locuções pronominais

Outras locuções pronominais são utilizadas na língua portuguesa. Elas são criadas de acordo com a necessidade das frases onde os pronomes indefinidos estão inseridos. Veja alguns exemplos:

– “Qualquer um pode fazer o que você faz”.

– “Todos nós estamos empenhados nisso, cada qual em sua função”.

– “Viajar é possível para todo aquele que tiver dinheiro”.

– “Eu encontrarei este bandido, quem quer que ele seja”.

Independente da situação, os pronomes indefinidos são necessários para trazer concordância a muitas sentenças e saber utilizá-los é importante para manter um bom nível de comunicação dentro de uma conversa com qualquer que seja o outro comunicador.