Sentido da palavra locução


Apesar de a matemática ser ainda muito temida pela grande maioria dos estudantes, independente do grau de educação que estejam cursando, o português é uma das matérias onde os alunos mais apresentam dificuldades.

Também pudera: nossa língua é definitivamente uma das complexas – basta pensarmos em nosso sistema verbal – e na tentativa de explicá-la, os estudiosos criaram mais exceções do que regras, o que sem dúvida alguma é um fator que complica ainda mais o entendimento da disciplina.

E um dos tópicos de português onde essa dificuldade de entendimento é muito nítida é nas chamadas locuções, em grande parte devido aos variados tipos de locuções existentes em língua portuguesa. Vamos então desvendar o universo das locuções para que possamos entendê-las melhor.

locução

O conceito de locução 1

Já que estamos tratando de linguagem, vamos utilizar duas categorias para entender o conceito de locução: a lógica e a morfologia. Quando lemos ou escutamos a palavra “locução”, a primeira coisa que nos vem à mente é a palavra locutor, e essa não é uma feliz coincidência, pois o conceito de locução passa pela ideia de locutor. Assim, uma primeira definição do conceito de locução pode ser a maneira como o falante ou o escritor estrutura sua fala.

Apesar da definição acima estar correta, ela não está completa. Vamos então refiná-la. Se falamos de estrutura da fala, falamos da junção de palavras. Assim, o conceito de locução pode ser definido como a união de dois termos. Melhorou, não? Mas esta definição ainda não está completa, pois uma frase qualquer, como “quase cai”, pode ser considerada uma locução, o que abrangeria muita coisa. E esta é uma importante pista para que possamos definir o conceito de locução. Consegue concluir o que é uma locução? Não? Sem problemas, a gente te ajuda: locução é a união de dois termos que dizem respeito a um único significado.

Tipos de locuções 2

As locuções podem ser formadas com cinco classes de palavras da língua portuguesa: preposição, conjunção, advérbio, adjetivo e verbos. Portanto, há cinco tipos de locuções. Vamos analisar cada uma delas e ilustrá-las com exemplos, prestando especial atenção às locuções verbais, que tendem a ser um pouco mais complicadas.

Locução prepositiva: como você deve saber, a preposição é uma classe de palavras responsável pela união de elementos presentes na oração. “De”, “com”, “da” são exemplos prototípicos de preposições. Dito de outra maneira, é o elemento que une sujeito e predicado. Na oração “Foi um sinal de respeito para com ele”, a locução prepositiva está na união das preposições “para com”;

– Locução conjuntiva: as conjunções também exercem a função de ligamento, mas esse ligamento se dá entre orações de uma mesma frase, e não entre os elementos da frase. Um bom exemplo pode ser encontrado em orações que possuem vírgula, como em “Sou adolescente, visto que já tenho 13 anos”, onde a locução conjuntiva está na união “visto que”;

– Locução adverbial: o advérbio é uma classe de palavras complicada. Por definição, ele modifica o sentido do verbo, do adjetivo e dele mesmo, podendo ser de tempo, de modo, lugar, negação, ordem, etc. Uma boa regra para identificar a ocorrência de locução adverbial é encontrar a união entre preposição, artigo, substantivo ou advérbio. Na frase “Fomos às pressas porque estávamos atrasados”, a locução adverbial está em “às pressas”, pois temos a junção entre um artigo e uma preposição que forma a crase (a+a=à), juntamente com um advérbio de modo (pressa);

– Locução adjetival: um adjetivo é uma palavra que qualifica ou determina algo ou alguém. Assim, “dos sonhos”, “amor de mãe” e “de inverno” são todas locuções adjetivas (ou uma forma menos culta) de se dizer onírico, amor materno e invernal, respectivamente;

Locução verbal: diz respeito à junção de dois verbos, mas esses verbos possuem pré-requisitos para formarem uma locução propriamente dita. O primeiro deve ser um verbo auxiliar flexionado de acordo com o contexto (tempo, número, pessoa e modo), e o segundo um verbo principal em uma das formas nominais – infinito, terminados em -r; gerúndio, terminados em -ndo; e particípio, terminados em -ado ou -ido. Passemos aos exemplos:

“Estou lendo um artigo sobre locuções”: a locução verbal desta frase está na junção do verbo auxiliar estou, flexionado na primeira pessoa do singular e no tempo presente, juntamente com o verbo principal lendo, na forma nominal do gerúndio.

“Preciso sair de casa um pouco”: nesta frase, a locução verbal recai sobre “preciso sair” formado pelo auxiliar na primeira pessoa do singular e pelo verbo principal no indicativo.

“Fomos obrigados a estudar, mesmo não querendo”: nesta oração, temos a locução verbal “fomos obrigados”, formado pelo verbo auxiliar no tempo pretérito perfeito e flexionado na primeira pessoa do plural, juntamente com o verbo principal no particípio.

Agora que você já sabe o conceito e os tipos de locução existentes, procure e tente classificar algumas locuções e verá como elas são indispensáveis na língua portuguesa.