Verbo reaver: particularidades linguísticas


Quem nunca ficou na dúvida na hora de escrever a palavra reaver, ou mesmo, qualquer outra que aos nossos olhos parece estar errada?

Pois bem, hoje trataremos especificamente do verbo “reaver” que no dicionário traz o significado de recuperar, retomar a posse de algo, além de ser considerado um verbo transitivo direto. De origem latina – rehabere – a palavra “reaver” é composta pelo prefixo “e” mais a palavra “haver”. Vamos aprender juntos?

Particularidades linguísticas e os verbos defectivos

Diversos verbos, não apenas o “reaver”, trazem consigo as chamadas particularidades linguísticas e isso se deve em grande parte a sua natureza defectiva, outro aspecto que estudaremos nesse artigo.

Verbo reaver: particularidades linguísticas

São considerados verbos defectivos os que não podem ser conjugados em todos os tempos, modos e pessoas, portanto, são aqueles que têm conjugação incompleta.

Então você pode estar se perguntando: os verbos defectivos não podem ser conjugados sob qualquer circunstância? Calma caro aluno, não é bem assim, os verbos defectivos podem sim ser conjugados sob uma forma, mas apenas uma, a arrizotônica, ou seja, um modo em que a chamada “vogal tônica” esteja fora do radical.

Agora vamos a segunda pergunta desse tópico: Por que isso tudo acontece?

Me explica?

Primeiramente, muitos verbos se fossem conjugados, dependendo do modo, do tempo, ou da pessoa, tornar-se-iam iguais a outros verbos já existentes. Por exemplo, se os verbos “falir” e “falar” forem, ambos, conjugados na primeira pessoa do indicativo teríamos o mesmo resultado: “falo”, para os dois. É por essa razão que apenas o verbo “falar” ganha sua conjugação na primeira pessoa do singular do presente do indicativo.

O primeiro motivo já seria mais do que suficiente para explicar os verbos defectivos, mas há ainda um segundo motivo para existência de tais verbos e é a seguinte: alguns verbos ao serem conjugados acabam adquirindo formas completamente diferentes na escrita e, principalmente, na fala, por isso não são utilizados, afinal causam sensações de estranheza durante a fala o que pode ocasionar situações pejorativas, ou mesmo, constrangedoras.

Os chamados verbos defectivos, geralmente, são conjugados na segunda pessoa do plural do modo imperativo, e também, na segunda e primeira pessoa do plural no modo indicativo. É importante ressaltar que flexões no presente do subjuntivo também não são aceitas.

Vamos a alguns exemplos de verbos dessa natureza: adequar, puir, banir, colorir, delir, exaurir, reaver, entre outros.

Como fica?

Bem agora que já vimos porque existem algumas particularidades linguísticas quando o assunto é o verbo “reaver” é chegada a hora de mostrarmos na prática, então vamos lá:

– Modo Imperativo: imperativo é o modo que indica uma ordem, conselho, ou mesmo, orientação. Aqui o verbo “reaver” pode ser conjugado apenas no imperativo afirmativo, desde que marcado pela segunda pessoa do plural, ficando assim:

Infinitivo Pessoal

Para reaver eu

Para reaveres tu

Para reaver ele/ela

Para reavermos nós

Para reaverdes vós

Para reaverem eles/elas

– Modo Indicativo: tem por objetivo expressar um fato, ou mesmo, uma certeza. Aqui o verbo “reaver” fica:

Presente do Indicativo

Eu ——

Tu ——

Ele/Ela —–

Nós reavemos

Vós reaveis

Eles/Elas —–

Modo Subjuntivo: Expressa incerteza, dúvida, ou mesmo, desejo. Devido a sua natureza defectiva o verbo reaver não poderá ser conjugado em todas as formas do chamado presente do subjuntivo.

Concluindo

Lembre-se devido ao verbo “reaver” derivar de haver a conjugação deve respeitar tal verbo. Haver também é um verbo defectivo. Agora parece difícil, mas tenho certeza que com um pouco de treino, concentração e memória não será nada difícil conjugar o verbo “reaver” e aplicá-lo em orações e textos.

Mais uma vez obrigada por escolher o “Resumo Escolar” como fonte de pesquisa, não se esqueça de dar uma olhada em nossos outros artigos sobre língua portuguesa. Bons estudos e até a próxima.