História da Educação


Diferentemente do que o senso comum pode vir a atribuir à história da educação, a verdade é que ela faz parte de uma história cultural e geral, ou seja, com presença forte em todos os períodos e continentes do mundo.

Sendo assim, em cada espaço histórico ou período a educação teve como principal objetivo atender a metas específicas, que correspondiam principalmente às visões e crenças do povo daquela época. Por isso, a melhor forma de garantir o entendimento pleno da história da educação é situando a mesma na história geral e em âmbito atual.

As diferentes fases da história da educação

A história da educação é dividida em inúmeras fases e, neste artigo, você irá conhecer as principais delas:

Educação

• Educação primitiva

Por mais que não exista qualquer documento que comprove a educação primitiva dessa forma, muitos são os historiadores que defendem que ela sempre aconteceu de uma maneira muito dinâmica e espontânea ao mesmo tempo.

Dessa forma, os jovens dessa época aprendiam por meio da observação e realização de atividades peculiares da época, como a caça, pesca ou agricultura. Além disso, o ensinamento também era proposto por meio da observação de fenômenos do clima, rituais religiosos e sagrados, imitação, preparação para guerra e outras atividades que, hoje em dia, podem nos parecem no mínimo curiosas.

• Educação oriental

A educação oriental foi a primeira a ser desenvolvida por uma população mais civilizada. No Oriente Médio, especificamente do Egito, por exemplo, os jovens começavam a frequentar a escola entre os 6 e 7 anos, aprendendo a ler, a contar histórias, escrever e outros. Os maiores aprendiam também astronomia, música, matemática e poesia.

Já entre os hebreus, a educação era realizada em 10 anos – entre os 08 e 18 anos de idade. Nessa fase, muitas eram as civilizações em que os pais da criança eram os responsáveis por sua educação.

• Educação clássica

Já esse período da história da educação foi desenvolvido entre os séculos V antes de Cristo e V depois de Cristo, já se relacionando diretamente com a educação ocidental – compreendendo principalmente a Grécia e Roma Antiga.

A história da educação grega, por exemplo, foi dividida em quatro diferentes períodos: heroica, cívica, humanista e helenística. Já a romana ganhou três fases: heroico-patricia, influência helênica e Imperial. Mesmo com suas similaridades, educação romana e grega ofereciam alguns pontos bem agravantes de divergência.

• Educação medieval

Já a educação medieval foi a base para o aprendizado na época em que o cristianismo dominava em todo o continente europeu, ou seja, entre os séculos V e XV depois de Cristo. Nesse período a educação foi essencialmente dogmática, religiosa e com ensinamentos predominantemente literários, abstratos e com grandes prejuízos para o ensino científico e/ou intelectual.

• Educação humanista

A educação humanista foi implantada especialmente após o período da Renascença, a partir do século XV. Mesmo com autoridade e disciplina como características exigidas, os pensamentos críticos e livres finalmente se tornaram possíveis. As disciplinas de caráter científico também retornaram. As atividades físicas também passaram a ser incorporadas no ensino.

Modelos de educação mais modernos

A partir do século XVI a história da educação se remodelou para oferecer estruturas mais recentes e modernas, bem similares com o que temos atualmente.

Vamos conhecer um pouco mais sobre esses modelos?

• Educação realista

A educação realista, como o seu próprio nome já nos dá a entender, foi baseada principalmente nas ciências e na filosofia. Os autores mais estudados nessa fase foram: Copérnico, Galileu, Descartes e Newton.

Com as “ciências novas”, esse modelo de educação foi o primeiro a iniciar métodos para ensinamento de uma forma mais realista e moderna.

• Educação naturalista

Já a educação naturalista teve como base o filósofo Jean Jacques Rousseau. A sua influência foi altíssima para que possamos conhecer os moldes de educação aplicados atualmente. Para o naturalista e filósofo, a educação depende de algumas características, como por exemplo: a experimentação, a liberdade, a diferença entre a mente do indivíduo adulto e da criança e outros.

Dessa forma, na educação naturalista a base para o aprendizado depende da compreensão dos aspectos tanto físicos, morais como também intelectuais. Uma das únicas e mais agravantes diferenças entre o modelo criado por Rousseau e o que temos atualmente é o fato de que ele defendia que as crianças deveriam ter apenas um único educador durante a sua trajetória de aprendizado.

• Educação nacional

Durante a Revolução Francesa, realizada no século XVIII, a educação nacional foi criada e se instaurou como um modelo utilizado até os dias atuais.

A educação nacional orienta que o Estado seja o responsável pela escola primária universal, obrigatória e com possibilidades gratuitas, uma vez que a educação é um direito de todos – previsto na própria Declaração Universal dos Direitos Humanos. Sendo assim, atualmente esse termo também pode ser diretamente relacionado com a educação de caráter democrática.