Língua portuguesa no Vestibular


No vestibular, certamente a língua portuguesa é uma das matérias cobradas que mais conseguem tirar o sono dos estudantes. Isso porque ela exige uma série de conceitos, além da compreensão, leitura e interpretação de textos. Ah! E isso sem contar a redação, que também não foge desse receio.

Porém, é certo avaliar que na prova dessa matéria não tem erro: a intenção é avaliar como é a capacidade de leitura e concentração, além da própria interpretação e compreensão crítica daquele tema que é explorado em cada questão, sendo eles de natureza literária ou não.

Além disso, busca-se notar como o aluno conhece e sabe empregar os principais conhecimentos linguísticos: seja em suas respostas ou, até mesmo, na produção de textos e redações (principalmente na segunda fase dos principais vestibulares de todo o País), devendo eles atender com os requisitos de coesão, coerência, gramática, vocabulário extenso, adequação e outros.

Língua portuguesa

Para início de conversa, o aluno deve ter conhecimento avançado sobre a língua e seus principais conceitos, sabendo distinguir quais são as principais variedades do português. É claro que a norma ortográfica, assim como o conhecimento de pontuação também são cobrados como básicos, uma vez que nós o aprendemos desde os primeiros anos de vida, tendo ainda experiência diária com o idioma.

Quais são os conteúdos mais cobrados no vestibular?

A língua portuguesa no vestibular pode ser a mais variada possível, ou seja, definitivamente não há como prever o que será cobrado. Porém, com alguns conceitos básicos na ponta da língua (sabendo aplica-los, é claro), não tem erro!

Vamos conhecer um pouco mais sobre os segmentos mais cobrados em língua portuguesa no vestibular?

• Morfossintaxe – classificação de palavras

Quem sabe classificar cada uma das palavras presentes em uma frase, oração ou parágrafo? Se ainda não sabe, com certeza, este é o momento de aprender. O aluno qualificado para mandar bem na prova deve saber:

1. A flexão dos verbos – modo, expressão de tempo, aspectos da voz, modos e correlação dos tempos;

2. Formação correta das palavras;

3. A flexão nominal;

4. Concordância tanto verbal como nominal;

5. Regência verbal e nominal;

6. Advérbios e uso deles;

7. Pronomes – quando são usados?

8. Processos para subordinação e coordenação da língua;

9. Palavras conectivas;

10. Citação de diferenciados tipos de discursos, como o discurso direto, indireto normal ou livre;

11. Saber reorganizar um parágrafo, um período ou uma oração sem que o sentido seja perdido.

• Organização textual

A organização textual também é de extrema importância, independentemente de qual seja o curso pelo qual o aluno presta o vestibular. Isso acontece porque as redações e textos são cobradas para toda a vida e ele deve saber montá-los para a dissertação de artigos, projetos, TCCs e outros no decorrer do curso e da vida profissional como um todo.

Sendo assim, a língua portuguesa no vestibular abrange temas como:

1. Narração, temporalidade e a própria sequência correta na explicação de eventos;

2. O tema dissertação, por sua vez, envolve a capacidade do aluno de argumentar, referenciar, demonstrar os fatos e criar relações verdadeiramente lógicas;

3. A descrição também é importante na organização da redação, já que envolve a especialidade, a simultaneidade e a própria ordem de cada um dos elementos descritos.

• Elementos para composição

1. Intertextualidade – com o que o tema escrito está se relacionando?

2. Relação do texto com base em seu conceito cultural e/ou histórico;

3. Relação da redação com a obra de algum autor;

4. Recursos expressivos capazes de articular o artigo com maior qualidade;

5. E o poema? Como é formado? Atente para os ritmos, sonoridades, imagens e versos.

Por fim, lembre-se de estudar a composição dos artigos, a linguagem semântica, tradução de sentidos, conjugação e figuras de linguagem, temas também cobrados com frequência.

E a literatura?

Os conhecimentos de língua portuguesa, atualmente, são cobrados junto com a literatura nos vestibulares. Por isso, algumas obras literárias – geralmente nacionais – devem ser lidas para que a prova seja verdadeiramente finalizada com êxito.

O melhor é que, além de ler as obras já cobradas para um vestibular específico, o aluno também se dedique à leitura de outros livros daquele mesmo autor. Essa ação ajuda a contextualizar melhor sobre o escritor e sobre a sua forma de escrever, de contextualizar e outros aspectos que assim são notados com maior facilidade.

Além disso, lembre-se: a maioria dos vestibulares fazem questões específicas sobre os livros relacionando-os com recursos da língua portuguesa e, até mesmo, com outras obras daquele autor. Por isso, apostar em uma leitura mais ampla pode trazer mais repertório e referências para a realização do vestibular de língua portuguesa.

No Romantismo, os autores mais cobrados são:

José de Alencar;

• Manuel Antônio de Almeida;

• Almeida Garrett.

No Modernismo, os autores que ganham destaque são:

Clarice Lispector;

• Mário de Andrade;

Manuel Bandeira;

Carlos Drummond de Andrade;

Graciliano Ramos;

Fernando Pessoa;

Oswald de Andrade;

• Guimarães Rosa.

No realismo, por fim, ganham destaque Machado de Assis e Eça de Queirós.