Texto e textualidade


Texto

Texto é o grupamento de frases e palavras interligadas que possibilitam uma interpretação e emitem uma mensagem. É toda obra original escrita e que pode formar um documento escrito ou um livro. O texto é um elemento linguístico de dimensões maiores do que a frase.

Em processos gráficos, o texto é o conteúdo escrito, por divergência a todos os outros conteúdos iconográficos, como as ilustrações. É o componente central do livro, periódico ou revista, formado por produções concretas, sem títulos, subtítulos, fórmulas, epígrafes e tabelas.

Um texto pode ser cifrado, sendo criado conforme um código definitivamente suspenso após uma leitura direta. Ele possui tamanhos diferentes e precisa ser redigido com coerência e coesão. Pode ser considerado como não-literário e literário.

textualidade

Os textos literários possuem uma colocação estética. Normalmente, são escritos com uma linguagem poética e expressiva, com o intuito de conquistar o interesse e sensibilizar o leitor. Os autores dos textos literários acompanham um certo estilo e utilizam as expressões de maneira elegante para manifestar as suas ideias. Existe um domínio da linguagem conotativa e da função poética. Os romances, contos, poesias, novelas e textos sagrados, são exemplos de textos literários.

Os textos não-literários, por sua vez, apresentam atividade utilitária ao explicar e informar o leitor de maneira objetiva e clara. São modelos de textos informativos que não se preocupam com a estética. Existe um domínio da linguagem denotativa e da função referencial, diferentemente do estilo literário. Alguns exemplos de textos não literários são, textos científicos, didáticos, reportagens jornalísticas e notícias.

Existem ainda os textos narrativos que contam uma certa história. A história é descrita por um narrador, que pode ou não participar de forma direta da história. Esse tipo de texto utiliza uma estrutura específica e predeterminada.

Além desses, há ainda outro tipo de texto conhecido como texto crítico. Esse modelo é uma exibição textual que começa a partir de um método analítico e reflexivo originando um conteúdo junto com uma crítica construtiva e bem demonstrado.

De maneira geral, todos os textos precisam possuir determinadas particularidades formais, isto é, tem que apresentam estrutura e elementos que construam uma relação entre eles. Entre essas particularidades formais tem a coerência e a coesão, que oferecem forma e sentido ao texto. A coerência está ligada com a compreensão, ou seja, a interpretação daquilo que está escrito ou que se fala. Já a coesão é a ligação entre as palavras ou frases do texto.

Um texto para ter sentido precisa possuir coerência. Apesar da coesão não ser requisito suficiente para que as afirmações formem um texto, são os recursos coesivos que oferecem maios legitimidade e realçam as relações entre os seus vários componentes. A partir disso, pode-se concluir que a coerência depende da coesão.

-Textualidade

Textualidade é o grupo de particularidades que faz com que o texto seja reconhecido como tal, e não como um aglomerado de frases e palavras. Uma interpretação possível indicaria como textualidade um argumento usado pelo interlocutor, fundamentada em seus antecipados conhecimentos funcionais e estruturais de texto, que possibilita por meio da apreciação de diversos fatores exercer a textualização de uma mensagem em uma situação já estabelecida.

De acordo com Dressler e Beaugrande, existem dois conjuntos de sete elementos, que são encarregados pela textualidade de todos os discursos:

1)Elementos semânticos (coesão e coerência);

2)Elementos pragmáticos (aceitabilidade, intencionalidade, informatividade, situacionabilidade e intertextualidade).

A Linguística Textual passou a progredir no fim dos anos 60 na Europa, principalmente entre os anglo-germânicos, e tem se empenhado a analisar os fundamentos característicos do texto e os elementos implicados em sua recepção e produção. Em paralelo ao progresso dessa teoria, do fim dos anos 60 até os dias de hoje, tem se consolidado e se expandido, no ramo da Linguística, as pesquisas relacionadas aos fenômenos que transcendem as margens da frase, como o discurso e o texto, abrangendo menos os produtos e mais os processos.

Elementos pragmáticos

-Intencionalidade: referente a comunicação efetiva, que possibilita que os propósitos comunicativos fiquem com clareza para o leitor.

– Aceitabilidade: o texto fica igual à expectativa formada pelo receptor. É dependente da qualidade do texto.

– Situacionalidade: o texto se adapta ao cenário da comunicação. Conduz a direção do discurso.

– Informatividade: discurso mais informativo e menos previsível.

– Intertextualidade: combina contextos e textos.

– Contextualidade: circunstância comunicativa precisa em que o texto foi construído.

– Coesão: dispositivo linguístico que assegura a ordem do texto e o item semântico. A coesão gera a disposição formal do texto.

– Coerência: menção e não contradição, a não redundância e a importância.