Tópico Frasal


Logo na escola primária as crianças já aprendem que um parágrafo deve conter um assunto específico. O autor do texto só deve criar outro parágrafo quando a ideia anterior já foi discutida. Esse ponto é extremamente importante na produção de um texto dissertativo-argumentativo, pois ele influencia diretamente na estrutura do texto. Em provas, vestibulares e exames é imprescindível que o estudante saiba os conceitos básicos desse assunto.

Tópico Frasal

No entanto, mesmo que o tema seja explorado durante todo período letivo, muitos estudantes ainda têm dúvidas sobre a montagem de um parágrafo. Afinal, trata-se de um assunto mais profundo do que aparenta ser.

Assim como o texto de uma forma geral, um parágrafo também é dividido em três partes elementares: introdução, desenvolvimento e conclusão. Na primeira parte o autor apresenta, em um ou dois períodos, a ideia central do parágrafo. Ele desenvolve, então, a ideia-núcleo, discutindo com seus argumentos ou descrições a respeito. A parte final é o fechamento de sua explanação, mas nem sempre é utilizada, pois não é obrigatória.

A primeira parte é responsável por dispor a ideia central, e por isso é chamada de tópico frasal. Dessa forma, a estruturação do texto é mais clara, visto que logo de início o autor já demonstra o que será discutido nas linhas subsequentes. Depois de mostrar o núcleo do que será dito, é mais prático apresentar os argumentos que corroboram a ideia central.

Mas nem todos os parágrafos são escritos dessa maneira. Segundo a pesquisa de Othon Garcia, o pesquisador que conceituou o tópico frasal, cerca de 60% dos parágrafos são feitos dessa forma. Esse estudioso acredita acontece dessa maneira devido à herança greco-latina das letras ocidentais. O tópico frasal utiliza a generalização para que depois seja especificada a ideia nos períodos seguintes. Essa forma de disposição é muito próxima do raciocínio categórico-dedutivo, presente no pensamento ocidental desde os gregos antigos.

O tópico frasal auxilia o autor e o leitor, já que o primeiro não precisará criar considerações desnecessárias, e o segundo lerá um texto mais coeso. A unidade do parágrafo facilita a leitura e torna o texto simples e bem estruturado. Levar em consideração o tópico frasal é importante para criar um texto com coerência semântica e lógica em todos os períodos. Isso é essencial para um texto dissertativo, e é por isso que os estudantes precisam se dedicar ao estudo desse assunto.

Alguns exemplos de tópico frasal

“Os estudantes de línguas estrangeiras devem utilizar a estratégia da imersão. Isso significa que precisam estar inseridos no ‘mundo da língua’. Dessa forma eles se acostumam com o idioma por conviver cotidianamente com ele. Entre algumas técnicas está o uso de post its em tudo para melhorar o vocabulário, assistir filmes e ouvir músicas na língua, formar frases do dia a dia e até pensar no idioma estrangeiro.”

O tópico frasal nesse parágrafo é: “Os estudantes de línguas estrangeiras devem utilizar a estratégia da imersão”. Os períodos seguintes procuram aprofundar melhor a ideia-núcleo com argumentos e exemplos aplicados na realidade. Outro parágrafo:

“Os direitos conseguidos pelos trabalhadores muitas vezes se tornam seus algozes. Muitos empresários decidem demitir os funcionários devido ao seu alto custo. Como eles precisam arcar com impostos e direitos trabalhistas, que muitas vezes saem caro, acham melhor diminuir a folha de pagamento. Isso acontece porque o Estado brasileiro é exigente com a livre iniciativa, de modo que muitas vezes o patrão paga o dobro do salário de um funcionário para mantê-lo ativo”.

A ideia-núcleo, ou tópico frasal, está na primeira frase do parágrafo. O autor discute então por que os direitos trabalhistas se tornam algozes, utilizando argumentos para corroborar sua ideia.

Formas do tópico frasal

Segundo Othon García, existem diversas formas de apresentar o tópico frasal. Veja quais são:

1. Declaração Inicial: O autor apresenta sua ideia inicial, e então, nos períodos seguintes, busca argumentar em favor dela. O tópico frasal pode ser uma afirmação ou negação, que será endossada ou justificada através de exemplos, analogias, confrontos, razões ou restrições. Veja um exemplo:
“Ainda não é possível saber como os romanos pronunciavam seu idioma. Por causa disso…”.

2. Definição: O autor do texto apresenta um conceito ou um termo que exige uma definição. Essa será feita nos períodos seguintes. É, evidentemente, utilizada em textos didáticos. Um exemplo:
“O expressionismo abstrato é um estilo totalmente interiorizado, no qual a realidade não é representada. Vemos exemplos em pintores…”.

3. Divisão: O autor apresenta seu tópico frasal de uma forma dividida, discriminando ideias. Ele divide em tópicos ou elementos o conteúdo que está sendo disposto. É uma forma didática simples e clara. Como o modo anterior, é utilizado na didática. Veja esse parágrafo:
“A princípio o movimento operário não tinha uma inclinação ideológica, mas logo surgiram correntes que buscavam guiar os trabalhadores: a) o anarquismo; b) o socialismo; c) o comunismo.”

4. Interrogação: O tópico frasal é na verdade uma indagação. O autor passa então a responder a questão nos próximos períodos. O modo de interrogação também é compreendido por alguns autores como uma declaração ou divisão.
“Como era a servidão medieval? Era uma forma de produzir e garantir a proteção em troca de uma parte da produção…”.