Trilogia


Uma trilogia, assim como o seu nome já nos dá a entender, nada mais é do que uma sequência de obras divididas em três partes, podendo elas apresentar características literárias, musicais, científicas, dramaturgas, cinematográficas e assim por diante.

Sendo assim, chegar ao conceito de uma trilogia é simples. Toda vez que ele é empregado, ele remete diretamente a algum tipo de obra – na maioria dos casos, literária ou cinematográfica – que, devido à sua complexidade, não conseguiu ser terminada em apenas uma edição.

Por isso, seus autores logo criam sequência, mantendo o seu público em alerta para quando a próxima edição sair. Nesse caso, uma trilogia de grande sucesso que pode ser indicada é a do Senhor dos Anéis, por exemplo.

 Trilogia

Certamente o mais curioso das trilogias é o fato de que demora certo período para que a segunda obra seja publicada depois da primeira, ou assim por diante. Por isso, os telespectadores e leitores mal conseguem conter a sua curiosidade acerca do que está por vir.

Recentemente uma das trilogias que está quase em seu fim é a de Jogos Vorazes. Depois de todos os livros já finalizados, a sequência logo ganhou espaço nas telinhas de cinema. O primeiro e o segundo filme já saíram, assim como a primeira parte do terceiro, que foi dividido em dois filmes para que os detalhes do mesmo não fossem perdidos.

Pois é: e quem é que nunca se rendeu a uma trilogia que atire a primeira pedra. Elas geralmente são mais atrativas do que os filmes ou obras literárias comuns uma vez que oferecem uma gama muito maior de detalhes, acontecimentos e situações realmente diferenciadas. Além disso, tem uma capacidade ainda maior de manter os leitores e telespectadores ligados.

O termo ‘trilogia’ nasceu do grego e desde então vem sendo utilizadas com muita frequência no cinema, sendo elas responsáveis pelos números mais atrativos de bilheterias.

Características das trilogias

Certamente uma curiosidade interessante sobre o tema é o fato de que as trilogias, na Grécia Antiga, eram classificadas como poemas dramáticos compostos principalmente por tragédias. Sempre em três diferentes obras, elas deveriam ser representadas em conjunto.

As trilogias desde sempre foram consideradas obras de três trabalhos no âmbito dos trabalhos artísticos. Nesse sentido está determinado ainda certo ‘padrão’: primeiro as obras são publicadas em suas versões literárias e assim que os principais fãs já terminaram de ler, é anunciado que as mesmas sairão também em suas versões cinematográficas.

De outra forma, podemos ainda afirmar que as trilogias – mesmo que não muito comum – podem ser apresentadas como trabalhos únicos, assim como com três obras individuais. Tudo vai depender principalmente do estilo do autor. O termo também é comum em produções de viés científicos.

Algumas características bem peculiares às trilogias são:

• A grande maioria das trilogias são obras de ficção científica, uma vez que são mais complexas e exigem um número maior de detalhes para possibilitar o entendimento pleno;

• Os cenários geralmente são os mesmos. Quando a primeira obra ocorre no deserto, as próximas também seguirão nesse mesmo caminho. Isso porque a história deve continuar a ser contada onde começou;

• Os personagens são os mesmos e, preferencialmente, os mesmos atores os interpretam, para dar um aspecto muito mais real à obra.

Alguns exemplos de obras que seguiram com os mesmos cenários e personagens em suas trilogias são: The Godfather, Back to the Future, Jurassic Park (Steven Spielberg), Matrix, Star Wars (duas trilogias) e o Senhor dos Anéis.

Desde sempre no cinema a trilogia que venceu o maior número de prêmios foi o Senhor dos Anéis, com 17 Oscars além de vários outros troféus. A direção da trilogia é de Peter Jackson.

Quais são as principais trilogias atuais?

Nos dias de hoje, as trilogias com o maior número de fãs no que se refere às obras literárias são:

• Jogos Vorazes – Suzanne Collins;

• O Senhor dos Anéis – J.R.R. Tolkien;

• The Kane Chronicles – Rick Riordan;

• Saga Crepúsculo – Stephenie Meyer.

No cinema, os principais destaques vão para: O Poderoso Chefão, Evil Dead, Trilogia das cores, Trilogia da Morte, GrindHouse, Toy Story e muitos outros.

Além disso, existem também algumas trilogias que se conectam unicamente por conta de seu tema, uma vez que não são exatamente sequências um dos outros. São personagens e cenários que diferem, porém, o tema principal continua sendo o mesmo.

Um exemplo nesse caso é a trilogia brasileira de José de Alencar, que aposta em uma ‘sequência’ com três obras literárias sobre indianistas. Os romances são: Iracema, Ubirajara e o Guarani.

Uma trilogia também não é a mesma coisa de que uma tríptico, já que nesse caso, o termo remete a uma sequência com três pinturas que estejam conectadas ou relacionadas entre si. Nesse caso, as três pinturas são criadas de apenas uma só vez e devem ser observadas juntas como se fosse uma única obra.