Vogal Temática


Em nosso idioma, a vogal temática é caracterizada por uma vogal (presente em verbos) responsável pela indicação de conjugação. Essa vogal deve estar localizada sempre após o radical, e em alguns casos, agrega-se ao mesmo. No português, são apenas três as vogais temáticas – ou seja, vogais que permitem a identificação sobre qual conjugação determinado verbo faz parte. Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre as vogais temáticas.

Vogal Temática

O que são vogais temáticas e onde se aplicam

Para compreender o que são as vogais temáticas, é fundamental entender, previamente, o que são os radicais. Os radicais nada mais são do que portadores de identidade ou sentido para cada verbo.

Para compreender, veja alguns exemplos a seguir:
-> Verbo: Entender. Seu radical: entend;
-> Verbo: Participar. Seu radical: particip;
-> Verbo: Reagir. Seu radical: reag;
-> Verbo: Supor. Seu radical: Sup.

Com essa base, confira a seguir o que são e como são classificadas as vogais temáticas.

Na língua portuguesa, as vogais temáticas são classificadas, basicamente, da seguinte forma:

• Vogal ‘a’: a vogal ‘a’ caracteriza verbos que integram a 1ª conjugação. Alguns exemplos são: buscar, cantar, falar, deixar, determinar, participar;
• Vogal ‘e’: a vogal ‘e’ caracteriza verbos que fazem parte de uma segunda conjugação. Alguns exemplos aqui são: comer, entender, aquecer, surpreender, romper, conter, receber;
• Vogal ‘i’, por fim, a vogal ‘i’ caracteriza verbos que fazem parte da terceira conjugação, sendo alguns exemplos: surgir, assistir, proibir, cair, sorrir, reagir, partir.

Os verbos que terminam em ‘pôr’, como é o caso de compor, depor ou supor, por exemplo, fazem parte da segunda conjugação. Isso porque a verdadeira vogal temática destes verbos é o ‘e’, sendo esta uma colocação da língua portuguesa em latim e, consequentemente, um tanto quanto arcaica.

Já o conjunto que se forma a partir da combinação entre a vogal temática do verbo e o radical em questão ganha um nome especial: tema. Existe, ainda, uma segunda forma de classificar as vogais temáticas: que podem ser nominais ou verbais.

Vogal temática verbal

A vogal temática verbal é subdividida de três formas:
1. Vogal ‘a’: para os verbos com terminação da primeira conjugação em ‘ar’;
2. Vogal ‘e’: para os verbos com terminação da segunda conjugação em ‘er’;
3 Vogal ‘ir’: para os verbos com terminação da terceira conjugação em ‘ir’.

Vogal temática nominal

Já as vogais temáticas nominais são as seguintes:

1. Vogal ‘a’: para os substantivos que terminam com a vogal ‘a’, sendo alguns exemplos: casa, sala e mala;
2. Vogal ‘o’: para os substantivos que terminam com a vogal ‘o’, sendo os exemplos: sexto, livro, carro;
3. Vogal ‘e’: para os substantivos que terminam com a vogal ‘e’, sendo alguns exemplos: sete, gole, sorte.

Sobre a aplicação das vogais temáticas, atemáticas e desinências

Seja para os substantivos ou verbos, há ainda as vogais do tipo atemáticas.

Quando aplicadas aos verbos, as vogais atemáticas costumam estar no presente no subjuntivo. Alguns exemplos são:
-> Cante. Radical: cant. Vogal atemática: “e” – mesmo que na 1ª conjugação;
-> Venda. Radical: vend. Vogal atemática: “a” para a segunda conjugação;
-> Parta. Radical: part. Vogal atemática: “a” – desta vez, para a 3ª conjugação.

Já no que se refere aos substantivos, as vogais atemáticas sempre são finalizadas com vogais do tipo tônicas. Alguns exemplos são:

-> Saci, sofá, pé, cipó, caju, rapé.

Sobre as desinências

As desinências, também conhecidas como ‘terminações’, consistem em elementos que, quando em conjunto com o tema (formado pela vogal temática do verbo + seu radical), indicam cada uma das flexões do verbo em questão. Essas flexões do verbo podem ser: de modo, de número, de tempo ou de pessoa.

Vamos considerar um exemplo de desinência a seguir:

• Amar
O verbo amar pode ser dividido em: amávamos e amaremos. Nele, é possível identificar os seguintes conceitos estudados neste artigo:

-> O radical, em ambos os casos, é o mesmo: “am”;
-> A vogal temática do verbo é “a”;
-> O elemento é “mos”, uma vez que é comum tanto em “amaremos” como em “amávamos”.

Resumidamente, a desinência consiste na terminação do verbo a ser estudado.

No caso do verbo amar, o elemento ‘re’ (que varia de ‘ra’) está em suas mais variadas formas: amaremos, amará, amarei, amarão, amarás e assim por diante Não à toa, essa desinência é tanto de tempo (indicando o futuro do presente) como de modo (já que é indicativa).

E agora que você já conhece as mais variadas classificações de vogais temáticas, confira a seguir como elas são aplicadas.

-> Exemplo: verbo assistir

No caso do verbo assistir, podemos considerá-lo de duas diferentes formas:

1. Na primeira pessoa do futuro plural: assistiremos;
2. Na primeira pessoa do pretérito imperfeito plural: assistíamos.

Neste verbo, podemos identificar:

• O seu radical: ass;
• Sua vogal temática: “i”;
• Seu elemento: “mos”, que aparece em ambos os usos do verbo.