Aplicação dos óxidos


No estudo da Química, chamamos de óxido todo composto químico binário que seja constituído por partículas de oxigênio que contenham outro elemento em que, nesse processo, o átomo de oxigênio seja mais eletronegativo. Dentro desta área, os óxidos representam um grupo bastante considerável, uma vez que a grande parte dos elementos químicos geram os óxidos.

No nosso dia a dia, é muito comum nos depararmos com alguns exemplos de óxidos. Podemos destacar o gás carbônico, formado por dióxido de carbono ou óxido de carbono, a cal, constituída por óxido de cálcio e a ferrugem, composta por óxido de ferro III. Confira abaixo onde mais existe a possibilidade da aplicação dos óxidos.

óxidos

Exemplificando

Dentre as várias formas de aplicação dos óxidos, as principais e mais importantes são divididos em óxidos básicos: capazes de reagir com a água, formando uma base ou com um ácido, dando origem ao sal e a água na forma de produtos; óxidos ácidos: capazes de reagir com a água, formando um ácido ou com uma base, dando origem ao sal e a água na forma de produtos; peróxido: capazes de reagir com a água, formando água oxigenada e uma com base ou com um ácido, originando o sal e a água oxigenada; óxido neutro: não são capazes de reagir com base, ácido ou água.

Óxidos básicos:
• Óxido de cálcio (CaO): uma das maneiras para se obter este tipo de aplicação de óxidos é por meio do aquecimento de carbonato de cálcio (CaCO3) e podemos encontrá-lo no calcário, na calcita e também no mármore. Na maioria das vezes, o óxido de cálcio é denominado de cal viva ou de cal virgem. Quando submetido à água, origina a cal hidratada (Ca(OH)2), a cal apagada ou a cal extinta. Esse material é frequentemente utilizado em obras e construções, para a preparação de cerâmicas, cimento e argamassa. Já na agricultura, é eficaz na diminuição do PH (acidez) do solo;
• Óxido de magnésio (MgO): comumente conhecido como leite de magnésia, é originário da mistura deste composto com a água. O seu uso é bastante eficiente na forma antiácido estomacal.
Óxidos ácidos:
• Dióxido de Carbono (CO2): também conhecido como gás carbônico, este composto é encontrado com certa frequência na atmosfera, uma vez que é derivado da combustão de combustíveis, além da fazer parte da respiração de animais e plantas e do processo de fotossíntese que as plantas realizam. Quando reagido com a água, essa aplicação de óxidos, na forma de gás carbônico gera um meio ácido, por isso é comum encontrá-lo no método de gaseificação de refrigerantes e de água com gás. Em seu estado sólido, é chamado de gelo-seco, até porque a passagem de sólido para gasoso é feita de forma direta e em temperatura ambiente. Outra utilização deste composto é em filmes, teatro, shows ou outros eventos, para dar aquele efeito de fumaça ao espetáculo;
• Óxido de silício (SiO2): na grande parte das vezes, é denominada simplesmente como sílica. Esta forma de óxido é encontrada em quantidade abundante por todo o planeta. A maneira mais eficaz de obtê-lo é na areia, o que não impede de existir também em outras formas cristalinas como a ametista, o topázio ou o quartzo. A fonte mais comum de aplicação é na fabricação de vidros.
Peróxido:
• Peróxido de hidrogênio (H2O2): na sua forma aquosa, dá origem a água oxigenada, utilizada normalmente para o clareamento dos pelos do corpo e dos fios de cabelo. No caso em que ela apresentar somente 3% da sua concentração, é utilizada como alvejante, antisséptico e bactericida. Se for a níveis maiores do que 30% são usados somente em indústrias, para a fabricação de fibras têxteis, alvejante em madeiras e para impulsionar foguetes. Ao ser exposto à luz, tal composto entra em decomposição e explode se aquecido.
Óxido neutro:
Monóxido de carbono (CO): é um gás caracterizado por ser bastante tóxico. Dentre os vários sintomas, destacamos os problemas de visão, as dores de cabeça e, em casos extremos, pode levar à morte. As formas mais comuns de exposição a ele são a poluição da atmosfera e o fumo passivo. A sua principal utilização é em siderúrgicas, através da hematita, feito na fabricação de ferro metálico e da sua reação com o óxido de ferro III. Ainda, é encontrado no uso de metanol, a partir da sua combinação com o gás hidrogênio.

Uma curiosidade

Todos já ouvimos a expressão aço inoxidável certo? E ela só é possível por causa do seu material, o aço, ter resistência maior à corrosão se comparados com outros compostos. Podemos explicar esse processo da seguinte maneira: ele possui essa característica em função de que, quando é ligado diretamente com o níquel ou o cromo, fica com a sua ação reativa menor. Ou seja, o aço tem como principal particularidade resistir à corrosão da própria atmosfera.

Como o nome mesmo já acusa, o aço inoxidável é constituído de uma alta-liga que luta bravamente contra a ação deteriorante das partículas de oxigênio. Nesse caso, não reage à oxidação. Isso se deve, sobretudo ao cromo, que é responsável pela produção de uma película extremamente fina de oxido de cromo localizada na superfície do aço, tornando-a insolúvel e impermeável às formas mais comuns de corrosão.