Bases: O que é e Classificação


As bases são substâncias que fazem parte da química inorgânica, junto com os ácidos, sais e óxidos. Elas estão nessa categoria por não possuírem cadeias de carbono conectadas com hidrogênio, como acontece com a química orgânica.

E, para que uma determinada substância possa ser caracterizada como uma base, ela precisa ter certas características que permitam isso, para criar um padrão. O conjunto de base reúne compostos que possuem semelhanças em suas propriedades e na forma como se comportam do ponto de vista químico.

Vários estudiosos estudaram uma forma de dizer o que é uma base. Brönsted-Lowry, por exemplo, diziam que eram as substâncias capazes de receber prótons. Já Lewis preferia um outro conceito, considerando como base os compostos que doavam pares de elétrons.

Bases

A ótica que vamos utilizar para analisar o que é base e o que não é, é a de Arrhenius, um importante químico, físico e matemático, cuja teoria é aceita pela Química Clássica.

O que é base?

De acordo com August Arrhenius, as bases são todas as substâncias que quando encontram-se em meio aquoso, ou seja,
quando são diluídas em água, se dissociam e se ionizam, liberando o íon negativo (ânion) OH-, chamado de hidróxido ou hidroxila.

Assim como nos ácidos, para que o conceito de Arrhenius possa ser aplicado, é necessário que a base seja colocada em contato com água, para que possa liberar o seu íon característico.

As bases são compostas, na maioria dos casos, por um metal ligado ao OH-. Veja alguns exemplos:

• hidróxido de sódio (NaOH), vendido com o nome popular de soda cáustica

• hidróxido de magnésio (Mg(OH)2), é o famoso “leite de magnésia”, usado para suavizar a acidez do estômago

• KOH: hidróxido de potássio, é a potassa cáustica, usada na produção de sabão e, até mesmo, nas etapas de processamento de determinados alimentos

• Ca(OH)2: hidróxido de cálcio, comercializado como cal hidratada, item básico da construção civil e também na
produção de argamassa

• NH4OH: hidróxido de amônio ou amoníaco, presente na fabricação de produtos de limpeza, indústria têxtil e no processo de revelação de filmes fotográficos.

Além da liberação do íon OH-, as bases também possuem outras características em comum, que possibilitam que elas sejam reunidas nesse grupo. Confira as principais delas:

• O sabor de materiais básicos é adstringentes. Você já comeu um caqui e sentiu como se a língua estivesse amarrada? É por causa do caráter básico, que diminui a salivação, promovendo esse sensação um tanto quanto desagradável!

• São capazes de neutralizar os ácidos. É por isso que o hidróxido de magnésio é usado por quem sofre com a acidez digestiva;

• Para que uma solução seja considerada básica, o seu pH deve ser superior a 7;

• Quando estão dissolvidas em água, são capazes de conduzir eletricidade, por conta da liberação de íons;

• Reagem na presença de indicadores como o papel tornassol, alaranjado de metila e fenolftaleína.

Classificação das bases

As bases podem ser classificadas em sub-categorias, de acordo com três critérios diferentes que vamos observar agora.

1. De acordo com a dissociação:

• Bases fortes: são as compostas por metais alcalinos (família 1A) e alcalinos terrosos (2A), que possuem um
alto poder de dissociação na água.

• Bases fracas: todas as que são formadas pelos outros metais e amônio. São mais fracas porque se dissolvem menos do que as outras.

2. De acordo com o número de hidroxila:

• Monobases: apenas um OH-, como as seguintes: NaOH, LiOH, KOH, AgOH.

• Dibases: possuem dois OH-, por exemplo: Mg(OH)2, Ca(OH)2, Fe(OH)2, Ba(OH)2.

• Tribases: as que têm três OH-, entre elas: Al(OH)3, Fe(OH)3.

• Tetrabases: por fim, as que são providas de quatro OH-, no seguinte modelo: Sn(OH)4, Pb(OH)4, Mn(OH)4.

3. De acordo com a sua solubilidade:

• Solúveis: são todas as substâncias básicas formadas pelos metais alcalinos.

• Pouco solúveis: nesse grupo, estão as bases compostas por metais alcalinos terrosos.

• Insolúveis: as demais, formadas por metais de outras famílias da tabela periódica e o amônio.

Entre as bases mais fortes estão o hidróxido de potássio (KOH), hidróxido de bário (Ba(OH)2), hidróxido de lítio (LiOH), hidróxido de sódio (NaOH), hidróxido de rubídio (RbOH) e o hidróxido de césio (CsOH).

Como você pode perceber, a nomenclatura das bases é dada pela palavra hidróxido (que faz referência ao íon que as caracterizam), seguida pelo nome do cátion que as acompanham (Na, K, Li).

Em alguns casos, é possível obter dois cátions diferentes, como no Ferro, por exemplo, existe o Fe+2 e o Fe+3. Nesse caso, existem duas possibilidades para dar o nome: a convencional, mas colocando o número do Nox no final, ou a palavra hidróxido + o nome do elemento, terminado em “oso” quando for o de menor Nox e em “ico” quando for o Nox maior. Ficaria assim:

Fe(OH)2: hidróxido de ferro II ou hidróxido ferroso
Fe(OH)3: hidróxido de ferro III ou hidróxido férrico