Classificação dos Elementos da Tabela Periódica


Elementos representativos

Um elemento é considerado representativo quando apresenta todas as camadas internas completas. Sua distribuição eletrônica termina em subnível s ou p. Os elementos das famílias A são todos representativos.

Elementos de transição simples ou externa ou só transição

Um elemento é considerado de transição quando apresenta a última camada interna incompleta. Sua distribuição eletrônica termina em subnível d. Os ele­mentos das famílias B, com exceção das séries dos lan­tanideos e actinídeos, são todos de transição.

Classificação dos Elementos

Observação
Alguns autores consideram os elementos das famílias 1B e 2B como representativos, pois apre­sentam a última camada interna completa.

Elementos de transição interna

Um elemento é considerado de transição interna quando apresenta a penúltima camada interna incom­pleta. Sua distribuição eletrônica termina no subnível f. Estão todos na família 3B. São as séries dos lantanideos e actinídeos.

Determinação da família e do período por meio da distribuição eletrônica

O período do elemento é exatamente igual à quanti­dade de níveis que o átomo apresenta. A família depen­de da classificação dos elementos (representativos, de transição ou de transição interna). Caso a distribuição termine em subnível s ou p, a família é do tipo A e seu número é igual à quantidade de elétrons na camada de valência. A distribuição eletrônica de um elemento ge­nérico X com número atômico 33 está representada a seguir: Is2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s23d10 4p3.

No exemplo anterior, a quantidade de níveis é igual a quatro. Logo, seu período é o quarto e sua família é do tipo A, pois sua distribuição termina em p. Ele apresenta camada de valência 4s2 4p3, perfazendo assim cinco elé­trons nessa camada. Logo, está na família 5A.

Quando o elemento tem sua distribuição terminando em subnível d, seu tipo de família é B. Para saber o nú­mero desse elemento, basta observar a última quantidade de elétrons no subnível d e adicionar mais duas unidades. O exemplo de distribuição eletrônica para o elemento ge­nérico X, de número atómico 24, é apresentado a seguir: Is2 2s2 2p6 3s2 3p64s23d4.

No exemplo apresentado anteriormente, a quantida­de de níveis é igual a quatro; portanto, o período é o quarto. A família desse elemento é do tipo B, pois sua distribuição eletrônica termina em d. Ele tem quatro elé­trons no subnível d, portanto, a esses quatro, adicionam-se dois elétrons e a família indicada será a 6B. Quando a distribuição eletrônica do elemento termi­nar em f, sua família será sempre a 3B.

Distribuição irregular da família 1B

Os elementos da família l B (cobre, prata e ouro) têm distribuição eletrônica irregular do tipo ns1(n-l)d10. Para o cobre (Z = 29), sua distribuição é: Is2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s13d10.

Metais, ametais, semimetais e gases nobres
O critério usado para agrupar os elementos nestes gran­des grupos é a semelhança entre suas propriedades físicas.

Ametais ou não-metais

Os ametais ou não-metais apresentam onze elemen­tos: carbono (C), nitrogênio (N), oxigênio (O), flúor (F), fósforo (P), enxofre (S), cloro (C^), selênio (Se), bromo (Br), iodo (I) e ástato (At).

À temperatura ambiente, carbono, fósforo, enxofre, selênio, telúrio, iodo e ástato são sólidos; nitrogênio, oxigênio, flúor e cloro são gasosos e o bromo é o único líquido. Os ametais apresentam na camada de valência de 5 a 7 elétrons, por causa disso, têm a tendência de receber elétrons, para adquirir a estabilidade eletrônica, transformando-se em ânions. São péssimos condutores de calor e eletricidade e não apresentam ductibilidade e maleabilidade.

Semimetais ou metalóides

São, ao todo, sete elementos: boro (B), silício (Si), germânio (Ge), arsênio (As), antimônio (Sb), telúrio (Te) e polônio (Po). À temperatura ambiente, são todos sóli­dos. Os metalóides, visualmente, são parecidos com os metais, pois apresentam cor acinzentada ou prateada e, quando polidos, apresentam brilho metálico. As outras propriedades assemelham-se às das dos não-metais.

Gases nobres ou inertes

São, ao todo, seis elementos: hélio (He), neônio (Ne), argônio (Ar), criptônio (Kr), xenônio (Xe) e radônio (Rn). À temperatura ambiente, são todos gasosos. Com exceção do hélio, que apresenta dois elétrons na camada de valência, todos os outros gases nobres apresentam oito elétrons na última camada, ou seja, a camada de valên­cia é completa, o que confere aos gases nobres grande estabilidade química. Em função disso, em termos natu­rais, eles não perdem nem recebem elétrons; portanto, são pouco reativos (são inertes quimicamente). São ga­ses monoatômicos.

Alguns autores consideram o hidrogênio um ametal, por ser semelhante aos elementos pertencentes a este gru­po, mas apresenta propriedades de metal ao mesmo tem­po. Por causa disso, a maioria dos químicos coloca o hidrogênio em uma classificação à parte.

Metais

Mais de 80 elementos apresentados na tabela, são metais. À temperatura ambiente, todos eles são sólidos, exceto o mercúrio, que é liquido. Apresentam cor co­mum acinzentada ou prateada, exceto o ouro, que apre­senta cor amarelada ou dourada, e o cobre, com cor aver­melhada. Apresentam, quando polidos, brilho metálico. A camada de valência tem de um a três elétrons. Devido a isso, têm a tendência de perder elétrons, transforman­do-se em cátions. São ótimos condutores de calor e eletricidade. Podem ser facilmente transformados em fios, ou seja, apresentam ductibilidade, e em lâminas ou cha­pas, propriedade conhecida como maleabilidade.