Enzimas


Enzimas são conjuntos de constituições orgânicas de origem geralmente proteica, com ação extra ou intracelular que tem cargos catalisadores, estimulando reações químicas que, sem o seu comparecimento, incertamente ocorreriam. Isso é alcançado por meio do declínio da energia de ativação essencial para que ocorra uma reação química, ocasionando o crescimento da rapidez da reação e propiciando o metabolismo dos seres. A competência catalítica das enzimas faz com que elas se tornem aptas para uso industrial, como na indústria alimentar ou na farmacêutica.

Em complexos vivos, a grande parte das reações bioquímicas acontece nas vias metabólicas, que são séries de reações onde o resultado de uma reação é usado como reagente na próxima reação. Diversas enzimas estimulam distintas etapas das vias metabólicas, atuando de maneira concertada de forma que não pare o curso nessas vias. Qualquer enzima pode ter ajustes da sua atividade, diminuindo-a, aumentando-a ou até interrompendo-a, de maneira a articular o curso da via metabólica onde está inserida.

Enzimas

A parte da Bioquimica que estuda as reações enzimáticas é a denominada enzimologia.

Atividade enzimática

As enzimas transformar uma substancia, denominada de substrato, em outro chamado produto, e são imensamente própria para a reação que fazem a catalisação. Isso quer dizer que, geralmente, uma enzima catalisa somente um modelo de reação química. Portanto, o modelo de enzima encontrado em uma célula define o modelo de metabolismo que a célula realiza.

A rapidez da reação catalisada por uma determinada enzima é expandida por causa do declínio da energia de ativação essencial para transformar o substrato em produto. A rapidez da reação pode ser do critério dos milhões de vezes, como por exemplo, a enzima orotidina – 5’-fosfato descarboxilase reduzindo a duração da reação por ela catalisada de 78 milhões de anos para somente 25 mil segundos.

Como são estimuladores, as enzimas não são absorvidas na reação e não mudam a estabilidade química dela.

A atividade enzimática depende do comparecimento de certas moléculas, de maneira genética denominada cofactores. A origem química dos cofactores é muito mutável, podendo ser, um ou mais íons metálicos, como por exemplo, o ferro, ou uma molécula orgânica. Esses cofactores participam diretamente ou não da reação enzimática.

Mecanismo “chave-fechadura”

Na catálise de uma dada reação química, as enzimas agem mutuamente com o substrato, produzindo com eles, por tempo determinado, o denominado grupo enzima-substrato. Na organização das formações secundárias e terciárias de uma enzima, passam a aparecer determinados lugares na molécula que causaram um encaixe para a hospedagem de um substrato, do mesmo jeito que uma chave se encaixa em uma fechadura.

Esses lugares de encaixe são denominados de sítio ativo e permanecem na face exterior da enzima. Ao se acoplarem nos sítios ativos, as essências ficam perto uma das outras podendo reagir com mais facilidade.

Assim que acontece a reação química com as essências, o grupo enzima-substrato é desfeito. Soltam-se os resultados e a enzima retorna para trazer novos substratos para a produção de demais complexos.

Fatores que afetam a atividade das enzimas

– Temperatura

A temperatura é uma condição fundamental no funcionamento das enzimas. Dentro de determinados medidas, a rapidez de uma reação enzimática cresce com o crescimento da temperatura. Contudo, com uma certa temperatura, a rapidez da reação cai bruscamente.

O crescimento da temperatura ocasiona uma agitação maior das moléculas e, dessa forma, maiores oportunidades delas se baterem para reagir. No entanto, se for transposta dada temperatura, o movimento das moléculas torna-se tão intenso que as ligações que consolidam a estrutura da enzima se quebram e ela se corrompe.

Para cada modelo de enzima há uma temperatura ideal, onde a rapidez da reação é extrema, possibilitando a maior quantidade possível de choques moleculares sem corromper a enzima. A grande parte das enzimas humanas apresenta como temperatura ideal 35° a 40°C, o estado de temperatura ideal do corpo humano. Já as bactérias que habitam em fontes com água quente têm enzimas que a temperatura ideal fica em torno de 70°C.

– PH

Outra condição de acomete a maneira das proteínas é o nível de acidez do ambiente, mais conhecido pro pH. A grandeza de pH vai de 0 a 14 e mensura a acumulação referente a íons de hidrogênio em um certo ambiente. A medida 7 possui um ambiente neutro, nem básico nem ácido. Medidas perto de 0 são mais ácidas e as perto de 14 são mais básicas.

Cada enzima possui um pH ideal de desempenho, onde o seu funcionamento é máximo. O pH ideal para a grande parte das enzimas está ente 6 e 8, porém existem exceções. A enzima do estomago responsável pela digestão, chamada pepsina, age com eficiência em pH muito ácido, no qual a grande parte das enzimas seria corrompida. Já a tripsina, uma enzima que age em locais básicos, tem como pH ideal a medida 8.